Facebook do Piratacast Twitter da Equipe Piratacast TV do Bau Piratacast, Diário de Bordo e Papo Pirata Feed do Site Feed do Podcast Assine no Itunes Entre em Contato

Piratacast 48 - PodcastsNo Piratacast de abril, Maycon (mais conhecido como @jabour_rio), Iskilo (@Pabloesmuniz), Junior (@junior_cq) e Cleverson (@cleverson), recebem a presença ilustre e inédita de Dudu Sales (@eduardo_sales) para bater um papo totalmente original e inédito (só que não) sobre podcasts ou “os programas de rádio na internet”

Obs: A vinheta inicial “The Podcasters” foi produzida pelo nosso amigo @LucasAmura e enviada originalmente para o Radiofobia e o gerente da bagaça, Léo Lopes, nos cedeu gentilmente.

PODCASTS CITADOS

– Depois das 11
– Papo de Gordo
Podtrash
Cine Masmorra
Pauta Livre News
Losties
Metacast
Game on the Rocks
Matando Robôs Gigantes
Aspiracast
Nerdcast

MURAL DOS PIRATAS

Opine ou conte-nos alguma experiência pessoal relacionada ao tema no espaço de comentários abaixo ou envie um e-mail para o piratacast@piratacast.com que comentaremos no próximo PAPO PIRATA, o nosso podcast de feedback.

 

EDIÇÃO e TRILHA SONORA: Jabour_rio (@jabour_rio)

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Opções de Download

 

FEEDS:
Quer ter todos os artigos do Baú Pirata e/ou os Podcasts
de forma automática direto no seu computador? Assine nossos feeds!

Categoria(s): Piratacast

74 marujos comentaram até agora...

  1. Poxa, que bom, logo hoje que estou ouvindo um telha cast antigo sobe o Dudú!

  2. kikinho disse:

    kkk que biba esse eduardo sales kkkkkkkkkkkkkk

  3. Thiago Miro disse:

    O tal cara que enviou um e-mail pedindo pra divulgar também me enviou EXATAMENTE o mesmo e-mail. O Nossocast também recebeu essa mensagem. Mesmo tendo menos de 1 ano de internet, ele ouvia o cast há mais de um ano. Sim, foi um e-mail enviado pra todo mundo.

  4. João Luiz CL disse:

    Muito bom o cast, acho que foi o mais instrutivo sobre o assunto. Enquanto eu ouvia o cast tive uma ideia de um podcast sobre animação, apesar de que vira e mexe algum podcast comenta sobre algum filme ou série de animação, por uma pesquisa rápida que para ver se tinha algum perdido por aí não tem nenhum. Eu acho um tema muito interessante, se tivesse um com certeza eu ouviria, até se tiver um maluco como eu quiser chamar pra fazer um teste eu aceito xD

    • Fala João…
      De anime existia o Animecast e agora tem o Anime Freak Show que eu lembre…
      Agora animação em específico eu realmente não lembro…
      É isso aí rapaz… Fale sobre um nicho que você entende…
      Essa é a melhor maneira, na minha opinião, de “você se dar bem”!

      • Tom Marcos disse:

        Ola amigos, era para ser surpresa, mas vamos lá… nos aqui do Internet Discada preparamos um Podcast sobre Animação, se chama PodAnimar e vai ao ar o primeiro Episodio amanha dia 19/04, Audio/video, engraçado como varias pessoas tem a mesma ideia ao mesmo tempo…

  5. Oi amigos piratas, por incrível que pareça não conheci podcasts pelo Jovem Nerd, mas sim por Losties! Estava procurando por episódios para baixar e o google me apresentou ao belo mundo dos podcasts! Eu achei muito legal comentar sobre a serie, dar palpites, e logo PH e Dudú, não tem caras mais legais para iniciar alguém nesta nova mídia! Fui logo conhecendo o papo de gordo e o rapaduracast, depois de algum tempo foi que conheci o Nerdcast, Monacast, etc …então seguiu-se as maratonas, um cast puxa outro, alguns não gostei de cara, mas depois de um tempo voltei a escutar e passei a gostar! Cometar, é ate legal mas o problema é que são tantos casts e não dá pra comentar sempre por falta de tempo e ainda tem o problema dos caras que não aceitam a sua opinião e partem para agressão, por isso que não comento mais no rapaduracast! O cinecastcult é muito bom, mas não tenho coragem de comentar pois o nível técnico lá é tão bom, que fico contente só de ouvir o cast, um dia ainda post algo legal lá rs
    Acho que vcs são um dos pouco podcasts que leem os comentários, via de regra dos cast é lerem apenas emails, mas é sempre legal ter um retorno, nem que seja só um abraço no fim da leitura de emails!
    Quanto a qualidade do áudio, tb não suporto baixa qualidade, eu sei que da sim pra fazer algo legal sem equipamento top, a regra é simples tem que ser compreensível, cara não tem coisa pior vc ficar voltando varias vezes para tentar entender o que foi dito, então se a pessoa passar um tempo fazendo testes, distancia, volumes, equipamentos, vc consegue a qualidade mínima sem grandes investimentos, basta se dedicar procurar informações no google ou ouvindo o metacast!
    Mais uma vez falei demais, Valeu!
    Bené

    • Pablo Muniz disse:

      Nunca é demais, pode falar a vontade..

      Quanto aos comentários, não se sintam culpados, a equipe aqui todo mundo escuta podcast pra caramba, mas não comenta quase em nenhum..

      Como ninguém (pelo menos aqui) tá ganhando dinheiro com essa bagaça, podemos dividir dessa forma, a gente produz, e vocês comentam.. hehehe

  6. Tudisco disse:

    Olá Sr. Jabur rio, falei q iria comentar aqui ainda hoje, e nem sabia q ia sair um episodio hj…rs

    Não queria postar uma propaganda logo no primeiro contato oficialmente no blog ainda mais pq o projeto ta engatinhando ainda, mas como o tema é relevante ai vai

    Estou dando inicio a um podcast inspirado por boa (se não todos) os podcasts citados pelo inigualável Lucas Amura que infelizmente nunca poderei telo como convidado, porem gostaria de deixar um convite para quando estiver com o podcast preparado que ao menos um pirata (eu preferia todos rs) participasse de algum episodio.

    um forte abraço de um ouvinte novo (mas q esta fazendo uma maratona ininterrupta) e já fã dos piratas e do grande Dudu Sales

  7. Macgaren disse:

    Olá Piratas. Muito bom o cast. mas sou suspeito pois gosto dos podcasts quando falam sobre podcasts. Uma coisa que vocês falaram foi sobre Nichos e disso posso falar com propriedade já que atualmente faço parte de um Podcast que fala do Nicho de um nicho : Nosso podcast é só sobre o Homem-Aranha. Cofcof http://aracnofa.com.br/blog/ Cofcof . Como vocês falaram no cast nós somos o exemplo de que sabemos que nunca teremos muitos comentários e nosso número de Downloads não será alto mas desde que começamos, estamos mantendo o público que nos ouve. Acho importante porque se alguém vai lá e se predispõe a baixar o episódio é porque é fã do personagem e vai sempre estar interessado em ouvir. O que não necessariamente aconteceria em um podcast sobre assuntos variados. Eu por exemplo não escuto TODOS os episódios de nenhum podcast que acompanho (Mas não se preocupem que mesmo não ouvindo, eu baixo só pra dar o Download o/) se o tema não me interessa, passo reto. Hoje em dia escuto por volta de vinte programas e admito que essa enxurrada de opções acaba fazendo com que certos assuntos fiquem repetitivos. Estou dando mais preferência para assuntos mais gerais como por exemplo o citado “histórias de escolas” afinal por serem pessoas diferentes, as histórias sempre vão ser novas também.

    Diferente do Júnior a qualidade do áudio não influi em eu ouvir ou não um cast. Claro que um áudio legal é sempre bom mas quando começo a ouvir um podcast novo o que mais me “segura” e me faz voltar e ouvir outros é a interação entre os participantes. Uso como exemplo o pessoal do mexidãocast: Os “descobri” mês passado e o que me fez continuar acompanhando foi a boa interação que eles tem. Pra mim nada é mais irritante que um podcast onde os integrantes dão a impressão de terem se conhecido cinco minutos antes da gravação.

    Enfim. deixa eu parar por aqui que isso já ficou enorme e esqueci metade do que queria falar (é a idade)
    Abraços.

  8. Fabiana Bahia disse:

    Olá piratas,

    Faz menos de um mês que me tornei ouvinte do piratacast e preciso parabenizar vocês por conseguirem mesclar muito bem humor com conteúdo!!

    Antes de fazer meu comentário gostaria de pontuar um fato que acabei de me dar conta. Eu sou adepta desse formato a uns bons 2 anos e esse é o meu primeiro comentário aqui ou em qualquer outro podcast.

    Acredito que essa vontade me veio somente agora e aqui no piratacast exatamente devido ao bom conteúdo e valorização dos comentários que encontrei com vocês!! 😀

    Agora sim o ponto que queria levantar haha. Porque vocês da podosfera tem essa mania de querer limitar o tempo dos episódios? Primeiro, sei que existe o tempo e trabalho com a edição. Segundo não sei se outras pessoas pensam como eu, mas falando como ouvinte se há assunto relevante e o papo está fluindo não parem por conta do tempo!!!

    Falando da minha realidade em SP, moro muito longe do meu trabalho e faculdade. Dessa forma, gasto em média 5 horas/dia me locomovendo entre casa>trabalho>casa>faculdade>casa (transporte público e carro). Junto aos livro, a podosfera me proporcionou tornar esse tempo improdutivo em aprendizado e/ou lazer.

    Atualmente, eu estou no fim da faculdade com TCC e tudo mais corrido ainda. Abandonei os livros pelo cansaço dos olhos, o que demanda mais tempo de podcast. Procurei por novas assinaturas, diminui o filtro e encontrei bons podcasts como vocês e outros nem tanto, mas que escuto porque não tenho paciência pra ouvir só música, pois preciso manter o cérebro funcionando!!!

    Bom, eu teria mais algumas coisas pra comentar, mas fica para uma próxima. Por fim, pleaseeeee quanto mais conteúdo melhorrrrrrr.

    beijos aos tripulantes!

    • Olááááá enfermeira… Quer dizer, maruja! hehe

      Deu uma vontade grande de falar sobre a “limitação de tempo” mas vou deixar pra debatermos isso no #PapoPirata, ok?

      Convido aos próximos ouvintes/leitores debaterem esse tópico aqui com a Fabiana…

    • Aurinha Dantas disse:

      Assim como a Fabiana, eu também escuto podcast no trânsito. Como levo cerca de uma hora para chegar ao trabalho, consigo ouvir um episódio pela manhã e outro à noite. Uma hora parece ser o limite de tempo da maioria dos podcasts. Caso o tema seja interessante, não vejo motivo para não estender a discussão. Pelo menos para mim, não vejo problema em parar um podcast na metade e continuar a ouvir no próximo tempo livre. Agora que isso vai ferrar um pouco mais a vida da galera da edição, isso vai. Adeus vida sexual, hein, editores!

    • Pablo Muniz disse:

      Olá Fabiana,

      Vamos discutir isso melhor no Papo Pirata, mas a questão da duração se justifica justamente no que você falou “se o papo está fluindo não parem por conta do tempo!”. Depois de alguns anos de produção de podcast, sabemos que quanto mais nos estendemos, mais difícil fica pra manter um alto nível da conversa.

      Demora para aceitarmos essa auto-crítica, no começo do Piratacast nós pensávamos parecido com você: “Ah, se gravamos 3 horas é porquê o papo foi bom por 3 horas”.. Só que não.

      Temos que saber separar o joio do trigo. Grande parte dessa conversa pode ter sido redundância, por exemplo. Ficarmos divagando sobre o assunto que já poderia estar encerrado, até com uma piadinha lá atrás. Aproveitar as oportunidades de dar dinâmica ao programa.
      Isso pode não ficar explicito na primeira vez que você ouve, mas com o tempo vc vai achar aquele podcast sacal, e ir abandonando aos poucos.

      Em podcasts curtos, com cerca de 30 minutos por exemplo, podemos deixar o programa extremamente enxuto, e só com contéudo de qualidade (e vocês saem pensando que somos inteligentes pra caramba). Lógico que, sempre tem que se avaliar se o programa não vai ficar com conteúdo “raso”, aí sim, com certeza ele deve ser mais longo. Cada caso é um caso, mas em podcasts, é sempre bom nivelar a duração “por baixo”.

      Como eu disse no programa, não tenham dúvida que nós podcasters somos os maiores críticos dos nossos próprios programas. O piratacast hoje não é 50% do que eu gostaria que ele fosse, em termos técnicos. Mas eu acho que é isso que nos motiva a cada dia buscar aumentar a qualidade.

      • Pablo Muniz disse:

        E tem um segundo argumento também, mas esse fica pro Papo Pirata..

        • Fabi Bahia disse:

          haha Oi piratas,

          Pablo, entendo os seus argumentos e acho ótimo a preocupação de vocês com a qualidade das discussões….Nunca percam isso!!! 😀 MAsssss, mesmo depois da sua argumentação continuo querendo/pedindo mais conteúdo haha Entenda isso como sinal de um bom trabalho realizado e se preocupe no dia que eu não pedir mais 😉

          beijoss

  9. Fábio Maciel disse:

    Nunca entrei no site sempre baixei os programas pelo iTunes… Pageview e Comentário para @iskilo666 ficar feliz

    • Aurinha Dantas disse:

      Se eu soubesse que os comentários eram tão importantes para os podcasters, já teria comentado antes. Como baixo tudo pelo iTunes, não tenho o hábito de visitar os sites.

  10. Fabio Miklos disse:

    01010011 11110011 00100000 01110000 01100001 01110011 01110011 01100101 01101001 00100000 01110000 01110010 01100001 00100000 01100100 01101001 01111010 01100101 01110010 00100000 01001111 01101001 00100000

  11. Christopher Moura disse:

    E aí marujada! Tudo bem?

    Que conversa legal! Acho que renderia uma série, devido a tantas ideias, problemas, histórias e fofocas.
    Eu me identifiquei em muitos momentos da conversa e vou explicar o porque:

    Por eu ser um ouvinte de podcast há anos, sempre quis fazer parte “deste mundo”; mas exatamente por ouvir tantos podcasts acabei criando um “filtro” no sentido de identificar tendências e ideias (boas e ruins). Exatamente por isso, não quis criar “mais um podcast genérico” pra ficar conversando historinhas engraçadas com meus amigos.

    Eu até tinha uma ideia e resolvi tirá-la do papel. Calma! Não vou fazer qualquer tipo de jabá para minha pessoa…

    Li e pesquisei bastante sobre produção de podcasts, edição, etc. Fiz alguns testes e não ficou bom…

    Não que a qualidade tenha ficado ruim, mas não tinha – na minha opinião de ouvinte – nada de diferente para trazer a esse formato ao ponto de atrair uma audiência. No entanto eu não desisti da minha ideia; só optei por mudar o meio: não vai ser podcast…

    Apesar de um pouco triste, essa é uma decisão adulta no sentido de não “nadar contra a maré”: acredito que encontrarei a minha “voz”, o meu estilo, no formato que escolhi.

    Mas ainda ficou aquela vontade: eu precisava criar um podcast. Calhou que, recentemente, eu dei um novo rumo à minha carreira e entrei como estrategista de conteúdo em uma produtora aqui em Brasília e eu consegui encaixar o formato podcast num projeto interno de uma instituição bancária de grande porte (na verdade, se trata da associação dos trabalhadores da mesma) e o projeto teve muito sucesso! Recebemos feedback de pessoas em todos os níveis do projeto: dos patrocinadores aos “ouvintes”: algumas críticas negativas de pessoas não acostumadas à tecnologia em si (que já esperávamos) e muitas críticas construtivas! Hoje o projeto está tomando um rumo diferente e o formato podcast fará parte do mesmo (um para treinamento corporativo e outro mais no formato conhecido pela podosfera: com notícias da área técnica e da área social)!

    Talvez eu não tenha a oportunidade de conhecer outros podcasters e participar de seus programas, nem convidá-los para os meus (pelo menos não agora), mas eu tenho o prazer de ter saciado a minha vontade! Acho que estou no caminho certo…

    Fui para São Paulo há algumas semanas para participar do workshop do Leo Lopes (Radiofobia) afim de aprender e aprimorar o pouco que eu sabia e conheci alguns podcasters que eu admiro, como o próprio Leo, o Tato Tarcan e o Prof. Maury (weRgeeks) além do Dudu Sales e da Maira Moraes (Papo de Gordo). E recentemente entrei para o grupo podcastbr com a finalidade de acompanhar e, se possível, colaborar como puder para o crescimento do podcast no Brasil.

    Para finalizar, não acredito em “bolha”. Acho que concordo com o Dudu Sales no sentido de que haverá uma onda de abandono. Segundo um artigo da Forbes (www.forbes.com/sites/michaelwolf/2013/04/04/funnymen-and-iphones-why-the-podcast-is-finally-coming-into-its-own/), nos EUA, existem 250 mil podcasts e aproximadamente de 100 milhões de pessoas que em algum momento já ouviram pelo menos um podcast. Esses números altos de audiência são explicados porque os ouvintes “vieram atrás” de grandes personalidades do Rádio e da Comédia que migraram para o podcast depois que estes perderam seus respectivos programas. Além é claro de outras personalidades da Literatura e do Cinema adicionaram a mídia podcast ao seus espectro de atuação. Pelo que li da pesquisa, eles já passaram por situações como a dos maiores blogs cuja fonte de renda vem do comércio de produtos próprios (camisetas, canecas, etc) visto que lá também os anúncios em podcasts ainda não tem tanto apelo quanto a TV e os websites diretamente. Percebi que eles criaram grandes redes de conteúdo: por exemplo: a Vox Media que oferece em seu leque o podcast do popular blog “The Verge” ao podcast da “SB Nation”. Dessa forma, eles ganham no volume (tal qual as redes que agregam os “grandes” canais do YouTube).

    Sendo assim, acredito que tudo depende da visão e do preparo do podcaster: só assim as “oportunidades” aparecerão!

    Desculpem pela mensagem gigante, mas eu tinha que escrever dada a relevância do tema e o meu atual envolvimento.

    Abraços!

    Christopher Moura

    P.S.1: Editar podcast é chato pra c&%$@*!

    P.S.2: Ao Júnior, que foi gratuito ao me “agredir” no Papo Pirata 47: Arquiteto de Informação não é um Engenheiro de rede que virou viado. Pra não estender ainda mais o e-mail sugiro pesquisar a área de atuação do A.I. no Google. Sou formado em Ciência da Computação: ainda desenvolvo, mas atuo como A.I. e como Estrategista de Conteúdo.

  12. Danilo Luiz disse:

    E aí marujada do mal, faz tempo que não comento para valer.

    Ouvi o programa ontem e gostei bastante. Houve um tempo em que eu queria que todos podcasts fossem semanais, no entanto, hoje gosto da periodicidade dos podcasts que ouço. Além de entender como é o processo de edição, podcast acabou se tornando uma coisa que precisa de um horário propício. Apesar de ter ouvido esse programa ontem quando estava programando e lendo uns sites em inglês, concordo com o Jabour que para dar atenção, temos que estar fazendo algo no modo automático, como soldar, parafusar e etc.
    .
    Gostei da citação do Pablo, afinal eu gosto muito de robótica e atualmente estou construindo um braço robótico, passei meio domingo ouvindo podcasts enquanto serrava, furava, parafusava e fazia esse esforço braçal.
    .
    Concordo com o que vocês disseram sobre ter um programa específico para leitura de emails ou jogar no final. O primeiro podcast que ouvi foi o Nerdcast sobre Exterminador do Futuro quando eu havia acabado de assistir o 4º filme no cinema. O amigo que me apresentou teve que pular uma caralhada de leitura de emails para que eu pudesse aproveitar o programa.
    .
    Uma das coisas que gosto no Piratacast e WeRGeeks é esse despreendimento com o tempo de duração do podcast. Coisa que me irrita um pouco no Papo de Gordo, no Rapaduracast e no Nerdcast, pois há programas tão interessantes que podiam ter umas duas horas, mas os caras travam em 1 hora cravada.
    .
    Depois de tantos podcasts que já ouvi, leitura de emails no início é algo totalmente chato. Principalmente quando a gente quer apresentar um podcast a alguém. Outra coisa que irrita são os palavrões gratuitos, por exemplo, aqui no trabalho todo mundo ouve som em caixinha de som, então eu eventualmente ouço podcasts na caixinha de som, o que pode causar uma péssima imagem de mim. Outro caso foi quando o WeRGeeks fez um programa excelente sobre dinheiro, iria mostrar para minha namorada que é economista, só que eles ficaram falando palavrões sem contexto, só por falar. Não tive como mostrar esse programa já que ela detesta até mesmo os palavrões mais leves. E piadas internas? É algo detestável, coisa que o Pauta Livre News adora fazer, sem falar nos palavrões gratuitos a todo momento.
    .
    Concordo com o Cleverson que há programas que são mais interessante na leitura de emails. Por exemplo, eu não tenho o menor interesse em quadrinhos e nem em jogos novos, no entanto ouço todos os MRGs, por causa do papo legal que eles têm. E há programas de quadrinhos e de jogos que a leitura de emails acaba sendo a melhor parte. Outro caso foi o Rapaduracast Plus que acabou, foi o período que acompanhei fielmente o Rapaduracast, pois falava das novidades do cinema, tinha leitura de emails, tinha conversa informal, o que me atraía mais, já que como andei desempregado em 2012, saí pouco para o cinema e aí ficava complicado acompanhar o Rapaduracast normal por conta dos spoilers.
    .
    Falando em estar desempregado em 2012, um dos motivos de parar de comentar foi esse. Eu já sou um cara um quanto chato por natureza e aí desempregado fiquei mais chato ainda. Ficar comentando abobrinhas não é nada produtivo nem para os podcasters, nem para a imagem que as pessoas vão formar sobre mim através de meus comentários. Além disso, vivemos num mundo digital, tudo o que fazemos na internet também é verificado na hora de avaliarem o currículo, esse também foi um motivo principal que me levou a parar de comentar em tudo quanto é lugar.
    .
    Outra coisa que também me ocorreu é que já ouvi podcasts de diversos assuntos. Então quando surge podcasts com temas que já ouvi várias outras vezes, não faço questão de ouvir. Exemplo: acho todo tipo de preconceito um primitivismo. Então não preciso ouvir programas sobre racismo, sobre gays, etc. Às vezes até ouço se tiver querendo me ocupar.
    .
    Também já quis ouvir mais podcasts específicos sobre um determinado assunto. Só que chega uma hora que qualquer assunto se esgota. Já ouvi alguns podcasts sobre histórias de TI, só que vai ter uma hora que o assunto acaba ou que o podcast começa a falar coisas que você já sabe, por exemplo o podcast Canadá para Brasileiros que sai todo domingo, os caras sempre respondem as mesmas perguntas.
    .
    Um coisa engraçada que aconteceu com o mundo do podcast foi que através do Piratacast conheci o Alx. Certa vez fomos num pub lá perto da Av. Paulista e conheci vários amigos dele. Resultado, hoje converso pelo Facebook com essa galera que conheci mais do que o próprio Alx.
    .
    Concordo com o Junior na questão de qualidade de áudio. Programas ruins eu nem escuto. Já os podcasts novos nem sinto vontade de escutar. Por exemplo, o Aerolitos e o Nerddisse, são podcasts com temática nerd, nada que eles falem vai ser novidade para mim, sem falar que muito do que eles falarem vai ser coisa que já ouvi no Nerdcast. As piadas podem ser diferentes, mas o assunto e as reflexões vão ser as mesmas.
    .
    Gostei de ter ouvido o Grifo Nosso sobre A Batalha do Apocalipse nesta quarta-feira. Faz tempo que eu queria ouvir um programa destrinchando o livro. Concordo que eles detonaram o livro e fizeram algumas reflexões babacas sobre a trama, mas foi um programa que gostei por comentar de cabo a rabo a estória, ainda que tenham detonado, pelo menos leram.
    .
    Sobre guardar os podcasts, eu guardo todos, gosto de ter a idéia que tenho uma coleção de podcasts. Só deletei os que ouvi um episódio de um podcast, não gostei ou que a qualidade estava ruim e não ouvi outros do mesmo site. Apesar de ter parado de ouvir Café Brasil, tenho todos baixados até o 250 mais ou menos. Tenho todos Filecast apesar de ter muita piada interna e que não faz mais sentido hoje. Acho que é importante ter uma cópia de todos podcasts, pois podcasts acabam e sites ficam fora do ar, guardar é preservar o trabalho dos outros. Esses dias mesmo fui acessar um link que eu tinha guardado sobre uma montagem de um circuito e o site estava offline, se tivesse salvo a página como PDF não teria perdido essa informação. Acredito que o mesmo vale para vídeos no YouTube. Uma excessão são os Pauta Livre News, guardo somente os que ouvi e ouço somente os que o tema parece interessante ou que algum outro podcast recomenda.
    .
    Outros comentários que gostaria de fazer:
    1-Não fui no Tour Gastronômico desse ano porque não achei a comida atrativa.
    2-Não fui na Campus Party porque não tinha dinheiro para comprar ingresso ano passado, e nesse ano tinha voltado a trabalhar e ainda por cima tenho feito vários cursos.
    3-Pulei um ou outro Papo de Gordo, mas gosto do podcast e de toda turma.
    4-Pulei alguns Piratacasts e faz muito tempo que não ouço um Diário de Bordo, em parte, por não querer levar spoilers.
    5-Parei de ouvir um pouco o Radiofobia e o Na Calçada por conta dos temas.
    6-Hoje em dia escuto basicamente MRG, Nerdcast, Rapaduracast*, Piratacast, WeRGeeks, Papo de Gordo, Cinecast Cult, Canadá para Brasileiros e Terra Estrangeira.
    7-Sinto falta: Negação Lógica, Omegacast, QGNet, NerdExpress, Gavestática, Visão Histórica, Lagcast, Papo na Estante, Tabcast, Terabitcast, Topcast, Trompecast
    8-Preciso ouvir mais: Fronteiras da Ciência, Telhacast, Azilacast, Vida Beta Cast
    8-De vez em quando: Jurassicast, 99Vidas, Pó de Cash, Paranerdia, Pipoca e Nanquim, Pauta Livre News, TargetHD, Vortex Cultural, JWave, Metacast, Aspiracast, Descontrole, Papo Lendário, Quadrimcast
    9-Não sinto falta: Café Brasil, Toscochanchada, Discada, podcasts com a Kell Bonassoli (desde que ouvi um Telhacast que discordei demais das opiniões dela)
    .
    Abraços pessoal. Continuo com a mesma admiração pelo trabalho que fazem, mesmo que nem sempre venha aqui comentar. 😉
    .
    PS: Tinha que ouvir o cast mais uma vez para ver se não esqueci de comentar algo. Porém, raramente escuto um mesmo podcast duas vezes seguidas e bem de vez em quando pego para ouvir um podcast que já escutei.

  13. Danilo Luiz disse:

    Sugestão: convidem mais o PH, o Jurandir Filho, Izzy Nobre, Affonso Solano, Afonso 3D. 🙂

  14. Lourival Souza disse:

    Fala Piratas:
    Excelente tema e a forma como foi abordado. Sou ouvinte de casts a uns 3 anos e tive muita vontade de ter o meu a algum tempo atras. Mas pensei bem e percebi que não teria tempo suficiente para me dedicar como deveria.
    Ao falarem sobre podcasts de nicho me lembrei na hora do It´s Time do site MMABrasil. Gosto da forma como eles abordam os temas, as vezes debatendo o evento luta a luta ou apenas as principais. Não rola leitura de comentarios ou e-mails durante os programas. As vezes citam um comentário mais relevante ou interessante durante o episódio, mas o feedback é dado nos comentarios do próprio site e o debate se estende para além do programa. Essa é minha dica para quem gosta de MMA. Ouça o caste participe dos comentarios.
    Valeu Piratas, obrigado pelo conteudo que nos proporcionam.

  15. Ian R. disse:

    Ola marujos.
    Meus R$0,25 sobre o tema (os vinte e cinco mais duraveis ate agora hehehe)
    Concordo que o povo deveria ser mais unido. Acompanho vcs a algum tempo e so passei a ser mais atuante como comentarista faz pouco tempo. E se minha memoria nã falha teve jente “”””importate””” que participou de projetos no passado “”distante”” com vcs. não vou citar nomes, pois minha memoria pode não estar 100% correta.
    Sou um podparticipante.
    Participava do DMs’ Dirty Talk, infelizmente porcausa de horario de gravação, não participei dos 2 (ou, 3) ultimos. Atualmente o povo anda sem tempo de gravar. ate portque era mais bate papo que outra coisa.
    Participo eventualmente do lag cast. Novamente não participo mais porcausa de horario de gravação. Sempre tomei cuidado ao participar de casts onde posso opinar, mas acho que ja estou disvirtuando o topico.
    Escutei muitos meta cast e sou grato ao Dudu por tentar ajudar os iniciantes, fiz 9 podcast na verdade podhistoria (contava uma historia de RPG que mestrei) mas editar é uma tarefa ingrata e chata, muito chata. Por isso preferi me tornar podparticipante.
    Um abraço para vcs e continuem com o ótimo programa. Ganhar um premio ou alguma importancia sempre é bom, mas tenham certeza que manter a verdade de vcs não tem preço e vai manter os ouvintes / fans e aos poucos angariando novos.
    mantem o leme firme.
    AAAA antes que esqueça participei do podtrash 100 onde eles escolheram alguns ouvintes para participar e tambem da 1a e 2a temporada do podcast sobre game of trones no cine masmorra com a delicadissima, educadissima, otima host e editora Angélica Hellish

  16. Sergio Vieira disse:

    Sim senhores, fui eu. Vocês tem rezão. (Hoje não tem o famoso “… Não é bem assim…” 🙂
    Eu afirmei a ambos na CP que os podcasts estāo iguais. Mesmo formato, mesmos assuntos…
    E um adendo (um não, dois) não comentados no podcast:
    1) feed, xml ou rss, tem gente colocando mp3 (s/ feed) em blog e chamando de podcast.
    2) e podcasters sem fins lucrativos (aka o deste que vos escreve).
    Um abraço…

    • Junior disse:

      Concordo com vc Sergio arquivo de áudio em blog sem feed e áudio blog não podcast, mas gostaria de entender esse ponto do podcast sem fins lucrativos, pois no ver hoje 99% dos podcasters não recebe 1 centavo pelo trabalho deles no máximo conseguem pagar os custos do servidor e tirando do próprio bolso despesas com conexão a internet, equipamento, horas de trabalho etc, então o podcast sem fins lucrativos seria o podcast que mesmo que oferecessem dinheiro ele não aceitaria ou podcast sem fins lucrativos seria aquele que nunca recebeu um centavo de lugar nenhum mas se aparecer um patrocínio ele aceitaria de bom grado?

  17. Ciro Messias disse:

    Fala galera, beleza?
    Poxa, demorei, mas estou aqui para comentar enfim. E olha, o tema foi realmente ducarai! Acho que serviu de toque para muita gente que está querendo entrar nesse metiê. E aqui vão minhas considerações: Primeiramente, se não me engano o Iskilo falou sobre as piadas internas. Realmente isso irrita muito mesmo qualquer ouvinte de podcast, porque se o objetivo é entreter e o ouvinte se sente excluído disso, provavelmente ele não voltará a escutar o programa. Uma coisa que eu vejo que é muito comum em alguns podcasts, é o fato de alguém falar alguma coisa comprometedora durante a gravação, e na edição biparem o que o participante falou. Acho que está na mesma linha da piada interna essa prática. Deixar o ouvinte na dúvida, é melhor nem tocar no assunto e tira tudo desse contexto na hora de editar.
    Sobre os comentários dos episódios, o que mais se vê por aí são aqueles comentários vazios que vocês mesmos citaram no cast. E tmbé sobre as críticas, fiquei muito feliz quando o Maicon respondeu ao meu comentário sobre o ep. de Carnaval, que eu não curti muito, mas fiz questão de deixar um comentário lá. Uma pena que foi depois de vocês já terem gravado o Papo Pirata, e não ter tido tempo de ir ao ar.
    Tem alguns programas que a leitura de e-mails é muito extensa e cansativa. Mais de 15 minutos é demais mesmo para um Nerdcast. Adorei o que o Dudu fez no PDG, e só consegui acompanhar 1 PDG Café ao vivo até agora, de 2 possíveis (se não me engano). rs.
    Inclusive uma experiência minha, participei da leitura de comentários e feedback do Papo Filosófico, que só de gravação deu mais de 50 minutos. Claro que será um programa em separado, e não terá toda essa duração, e ainda não foi ao ar. Mas quando for, dá pra passar… mentira. Vou pedir isso pra vocês não. A menos que vocês fiquem muito curiosos e queiram verificar o conteúdo por sua própria conta e risco.
    Um abraço a todos, e muito rum pra nós todos!

  18. Léo Bruski disse:

    Boa noite pessoal, demorei mas vou comentar aqui também.

    Primeiramente gostaria de dizer que gostei muito do programa, mandaram muito bem no conteúdo com o Dudu Sales realmente vocês tem uma boa experiência no ramo do podcast no entanto, senti em certos pontos do programa uma certa arrogância principalmente quando falaram de novos podcasts e tal, como se vocês um dia não foram um podcast novo, não me incomodou falarem que nesse tom, mas se o sujeito estiver meio desanimado com o podcast dele, ele ouve esse programa e acaba desistindo porque vocês reclamaram para caramba.

    No entanto mandaram muito bem no programa, explicando a questão dos comentários e dos e-mails e isso eu gostei bastante, eu acho que se o podcast estiver sendo bem feito, com boas pautas os downloads e os comentários aparecem naturalmente. E para finalizar, digo que eu gosto de editar podcast só não gosto quando tenho que deixar de fazer coisas mais legais para fazer só isso, isso realmente é muito chato, mas se a gente for pensar, as vezes deixamos de jogar vídeo game!! Assistir um filme? ou série! Isso tudo pode ser feito em seguida e o podcast pode ser a prioridade, nunca se perde ao produzir um podcast.

    Muito bom galera, grande abraço!

  19. Rafael Portillo, 31 anos, Recife-PE

    Saudações e elogios redundantes para os Gokaiger brasileiros.

    Após ouvir um episódio tão importante como esse três vezes, é quase uma obrigação comentar sobre este assunto. Uma vez eu ouvi o Carlos Merigo dizer que se você faz uma coisa por mais de 10 mil horas, você se tornar um especialista nesta coisa. E já que nesses quase sete anos já ouvi mais de dez mil horas de podcasts brasileiros, talvez tenha um minimo de propriedade para comentar o assunto (carteirada!).

    E, nossa, vou tentar me controlar muito para não escrever demais.

    Levando em conta o primeiro tópico do episódio, não acho que tenha nada errado considerarmos o podcast como a ‘rádio da internet’. O futuro da tv não é ser ‘on demand’, chegando ao ponto de se ter acesso ao You Tube, que já foi chamada de ‘o futuro da televisão’? Então por que não podemos ter uma rádio ‘on demand’ também? Por que o podcast não pode ser o futuro do rádio?

    Outro comentário que quero fazer é que não há como negar que, apesar das tristes baixas em nossa história, a podosfera está na melhor qualidade técnica até agora. É satisfatório ouvir tantos podcasts já começarem com excelente qualidade técninca logo em seus primeiros episódios – tanto que está dificil para mim ouvir episódios antigos de certos podcasts. O que me deixa a desejar é a qualidade dos temas e a periodicidade dos mesmos. Enquanto o segundo problema seja mais dificil de resolver – pois depende de uma dedicação absurda do editor -, o primeiro precisa ser trabalhado e incentivado.

    Uma das coisas que eu considero mais chatas é o hype de certos assuntos, que causa uma imensa quantidade de podcasts diferentes abordem um mesmo assunto, como, por exemplo, o Dark Knight Rises, o qual encontrei pelo menos 30 podcasts diferentes sobre o assunto. Caramba, qual a chance de que seu episódio seja ouvido em meio a tantos? Mas talvez seja um problema meu, uma vez que poucos escutam tantos podcasts quanto eu.

    Com esse problema, acredito que seja necessário que um podcaster ouça, ao menos, alguns podcasts que já falam sobre o assunto abordado, seja para tirar alguma dúvida ou informação extra para o episódio, seja para não copiar o texto de outros podcasts. Eu acredito não existe problema em se inspirar em outros podcasters para criar seu podcast e seu tema – afinal, já disse Chacrinha: Nada se cria, tudo se copia.

    Quanto ao nichos, acho extremamente necessário para a podosfera que existam podcasts especializados. Sei que as vezes fica dificil falar sobre a mesma area o tempo todo, mas o reconhecimento daquele podcast e seu grupo naquela área é quase certo. E um reconhecimento naquela área pode trazer ganhos indiretos. Vale qualquer tema: lá fora, existe um podcast sobre o desenho My Little Pony que tem 30 mil downloads por episódio. Tudo bem que o costume de podcast lá fora é maior, mas, quem faz conteudo de qualidade acaba chamando a atenção do publico.

    E se quiser falar de outros tópicos, sempre existe espaço para um eventual off-topic.

    E falando em ganhos, não vejo nenhum problema em um podcast ter propaganda, em querer ganhar um trocado, mesmo que seja só para continuar existindo. Nem relógio trabalha de graça – pois ou precisa de corda ou precisa de pilha. Só não pode prejudicar a qualidade do podcast. Eu dou sugiro dividir as propagandas e recados do podcast em intervalos durante o episódio para não ficar tão maçante.

    Outra coisa que gostaria de dizer, e que eu já conversei com a galera presente na CP Recife de 2012, é que se o Nerdcast é o ‘melhor podcast brasileiro’ ele o é por causa da média, pois o Papo de Gordo e o Piratacast tem equipes melhores e mais entrosadas; o Pauta Livre News é mais engraçado; o Rapaduracast tem melhores especialistas de cinema; o Escriba Café tem melhor edição, e por aí vai. Isso sem contar que Azaghal e Jovem Nerd são excelentes Nerdcasters, mas péssimos podcasters – pois não se saem bem na maioria dos podcasts alheios que participam. Além disso, seu conteudo depende muito de seus convidados – o que por outro lado demonstra que eles sabem escolher bem seus convidados e sabem tirar o melhor dos mesmos. Enfim, eles não são perfeitos, apenas os mais populares.

    Nossa, estou tonto de tanto escrever. Tenho muito a escrever – como aquela conversa sobre personagens e personas no podcast -, devo ter esquecido de falar muita coisa que queria ter dito, mas já deve estar gigante este comentário . Apenas quero agradecer a galera que veio falar comigo nas duas oportunidades que estive em São Paulo – fiquei muito surpreso na quantidade de pessoas e no interesse deles no que eu tenho para dizer – e na galera que veio falar comigo na CP Recife de 2012.

    E espero que tenha mesmo um fofocast, pois me lembro da galera interessada na história do Valdemort, e imagino que deva ter várias outra histórias para ouvir, hehehe…

    Agradeço ao pessoal do Piratacast pela oportunidade, e para terminar, deixo duas frases:

    “Quem faz o podcast é o podcaster, e não seu tema.”

    “Um bom podcaster salva um tema ruim, mas um bom tema não salva um mau podcaster.”

    P.s.: desculpe alguns erros de português, pois meu corretor ortográfico não está configurado.

  20. Um pequeno adendo, de acordo com minhas pesquisas, em média, a relação entre downloads e comentários de um podcast é de 2%, levando em conta que casos como o nerdcast dificilmente passar de 0,7℅

  21. Fala Piratudos, faz tempo que não comento por aqui, mas não deixo de ouvi-los.

    Fazer um podcast de nicho é uma boa saída para quem quer fazer algo diferente. O problema é querer ter maior quantidade de ouvintes do que qualidade dos mesmos.

    Sou deficiente visual e participo de um podcast chamado Papo Acessível (http://www.papoacessivel.com.br) voltado para o público com deficiência visual.
    Na verdade não totalmente voltado para DVs, mas tentamos fazer pautas e discutir temas que outras pessoas possam se interessar. Temos até alguns ouvintes sem deficiência.

    O fato é que quando falamos de podcasts que tratam de temas mais específicos versus podcasts de entretenimento e afins, temos a seguinte situação:
    – os ouvintes de podcasts de nicho são potenciais ouvintes de podcasts de entretenimento.
    – os ouvintes de podcasts de entretenimento não são potenciais ouvintes de podcasts de nicho.

    Exemplo: quem ouve o Papo Acessível (normalmente DVs)ouve e gosta de Piratacast, Nerdcast e blablabla. Já quem ouve Piratacast e Nerdcast dificilmente ouvirá o Papo Acessível.

    Vocês também falaram de podcast mais didático. Eu tenho interesse em fazer um ensinando deficientes visuais à usar o computador com sistema de voz e outras tecnologias assistivas. É mais de nicho ainda. Terei um público de no máximo 10 ouvintes. Isso depois de 1 ano no ar. rsrs

    Abraços

  22. Pra mim não chegam nem a 2%. A média do @piratacast fica entre 0,5% e 1,5%. Somente alguns episódios esporádicos batem acima de 2% de comentadores…

  23. Aurinha Dantas disse:

    Sensacional a iniciativa do Dudu Sales de acabar com a leitura de e-mails no Papo de Gordo. Eu sempre adianto em vinte minutos todos os podcasts para pular os feedbacks. Quem aí também não curte leitura de e-mails, levanta a mão!

  24. Felipe Rosa disse:

    Saudações Piratas! Eu sou mais um dos crápulas que sempre baixa o podcast e nunca comenta, mas um episódio como este não posso deixar passar a oportunidade de agradecer o trabalho de vocês, e de muitos outros casts que escuto diariamente.
    Agora vou para a parte em que faço o mea culpa. Escuto podcasts todos os dias, mas em momentos em que fico impossibilitado de comentar. Ou estou lavando louça, ou na “sala de leitura”, ou caminhando e sendo taxado de maluco por rir sozinho na rua, ou comendo, ou como ocorre todos os dias, indo dormir com vocês em meus ouvidos.
    Nestes momentos, muitas vezes me ocorrer algo interessante para compartilhar, como a minha a concordância com o Cleverson quanto a ótima qualidade do Games on the Rocks (estava comendo enquanto ele falava isso), ou a minha vontade de xinga-lo por ficar de frescurinha quanto a qualidade de áudio dos caras (estava “obrando” neste momento). Hoje foi um caso atípico, pois enquanto ouvia vocês falando sobre ter ou não uma parte reservada para a retroalimentação (estava na rua, correndo para casa onde está meu computador) tentava manter em minha mente o que gostaria de falar para vocês. Acho que me lembro de quase tudo. Ainda não terminei de ouvir este PirataCast, mas provavelmente só vou termina-lo quando estiver indo dormir. Espero não sonhar com nenhum de vocês.
    Quanto a alguns dos tópicos levantados: sou a favor de publicidade, afinal o produto é gratuito, e prefiro ouvir um merchan a ter de entrar no site/blog e descobrir que o podcast que tanto gosto ou acabou ou entrou no temível hiato. Creio que isso foi o que ceifou tantos casts queridos como o PodCume, o Depois das 11, MonaCast e o Podcast de Cinema da MTV, que foi por onde adentrei neste submundo perigoso que vocês chamam de Podosfera.
    Não sei se vocês discutiram sobre isso, ainda não terminei de ouvir este episódio, mas gostaria de tocar no assunto da duração do podcast. Quando conheci o PirataCast fui cativado pela grande duração dos programas, que a meu ver deixa a conversa fluida, e faz com que o assunto seja devidamente destrinchado. Sou viuvá da época lá do 17 e 18 (Et e putaria, respectivamente) onde eram longas conversas nem um pouco cansativas e extremamente (des)informativas. Voltando a citar um dos meus podcasts xodós do momento, o Games on the Rocks, é isso que mais gosto neles, a capacidade de falar horas e horas sobre algo, e ter muitos desvios pelo caminho e mesmo assim não ser massante para quem esta ouvindo. O PirataCast se adaptou, pois faço ideia que edita um podcast de 4 horas deve ser um trabalho mais que ingrato, ainda mais sabendo que o retorno financeiro será minusculo. Mas sempre que escuto este papo maneiro que está rolando ali na mesa do lado, fico com gosto de quero mais quando vocês resolvem fechar a conta assim tão depressa. Mas para este mal tenho aqui os Papos Pirata e Diários de Bordo (este último foi um ótima ideia), no PdG tem o Papo de Gordo Café, e no PodTrash tenho o Lado B.
    Como nunca comento por aqui acho que este já está de bom tamanho, e massante o suficiente para vocês não quererem ver meu avatar tão cedo. Por último deixo mais uma vez o meu mais sincero obrigado por este belo trabalho que vocês, e muitos outros, realizam. Espero que fiquem ricos e não atraquem este barco nunca.

  25. Nerdanderthal disse:

    Apesar de vocês nem terem lembrado do meu nome quando falaram sobre ouvintes que ficaram conhecidos por seus comentários(mimimi…)eu vou comentar mesmo assim.

    Estou passando por momentos difíceis com o problema de saúde do meu irmão (vocês devem estar cientes disso), mas nunca deixei de ouvir e dar RT nos episódios do Piratacast e outros da minha lista de Top10.

    Sobre o assunto principal abordado no cast, gostaria de deixar minhas impressões como ouvinte e comentarista.
    Acredito, sem falsa modéstia, que fiquei bem conhecido na Podosfera devido à essa relação Ouvinte X Poscaster, assim tenho sido chamado pelo Twitter, muitas vezes para ouvir esse ou aquele Podcast e comentar.
    Eu sempre faço meu comentário o mais sincero possível, agradando ou não, no entanto, às vezes me sinto um pouco usado por algumas pessoas, no intuito de chamarem a audiência com o meu comentário ou minha indicação.
    Percebo que alguns Podcasts também tentam fazer isso convidando outros podcasters bem conhecidos na mídia, visando dar importância ao seu.
    Não sei se vocês já se sentiram assim mas percebo isso de longe.
    Quanto a diversos Podcasts repetirem certos temas, eu acho até legal quando são a respeito de fatos, filmes ou pessoa em evidência naquele momento. Pra mim é saudável ouvir a opinião de cada grupo, no entanto concordo que, quando o tema é algo genérico, como por exemplo Brinquedos de Infância, realmente fica muito desagradável ouvirmos a mesma coisa em vários Podcasts.
    Os programas não têm obrigação de serem de humor para fazerem sucesso. Cada um tem sua característica própria – quem quer ouvir humor, quem quer ouvir música, história,etc.
    Além disso, um mesmo podcast pode variar dentro desses valores. Por exemplo o Póóóó de Cash por 2 vezes fez Filosofias de Lugares Inusitados, tirando lágrimas dos seus ouvintes e nem por isso deixaram de ser bem baixados e bem comentados.
    A qualidade é tudo, tanto em tema, no conhecimento e carisma dos participantes e no resultado final da edição. Essas 3 coisas são primordiais para que ouçamos até o fim cada episódio e para que fiquemos satisfeitos.
    É horrível quando o som está caótico ou o tema não ajuda e também se tem alguém com vícios de linguagem (tipo assim, meio que, excesso de né, aí ou tá ligado?) além de erros gritantes de português.

    Por ser uma mídia de comunicação e com função de entreter e, por que não, também de instruir os ouvintes, é extremamente dolorido se escutar nossa língua mal falada.É broxante!!

    Um outro assunto abordado por vocês, falou sobre a vontade de cada um, inclusive o convidado Dudu Sales, em fazerem outros podcasts visando temáticas relativas às profissões de vocês.
    Não vejo problema algum em isso ser inserido nos próprios podcasts de vocês.
    Eu adoraria ouvir de tempo em tempo um episódio voltado à Economia, ou sobre Reparos em computadores, sobre Advocacia, etc.
    Os membros formulariam as perguntas e o especialista do grupo as responderia. Não vejo isso como uma descaracterização do podcast e sim como uma atração a mais e muito bem-vinda.

    Já falei muito para um retorno de meus comentários que fiz questão que fosse no Piratacast, o Podcast que mais gosto de ouvir. Você sabem disso.

    Sobre o meu mimimi no começo, não foi mimimi; foi mágoa mesmo!! Seus ingratos!! 🙁

    • Nerdanderthal disse:

      Mais uma coisinha: fiquei muito orgulhoso com os elogios ao Aspiracast do meu grande amigo Boris Depre, que sempre me convida para participar das gravações. Me sinto um Podcaster nessas horas!!!

    • .
      .
      Véião tá carente? Deve ter tempo que não vai ao proctologista né?

      Agora sério… Lembrei de vc e de mais uns 5 “ouvintes celebrities” quando ouvi, foi mal…
      Na hora do papo infelizmente não deu pra lembrar de todos, mas você é um cara que eu curto de graça e vc sabe disso…

      Sobre a saúde do seu irmão… Eu sei sim e estimo melhoras, véião!
      .
      .

      • Nerdanderthal disse:

        Nunca fui ao proctologista, seu bundão!
        Quem dá dedada na minha próstata é o UROLOGISTA!!!! E esse eu vou todo dia. Ahahahahaha…uiuiuiuiu…

        A propósito, eu exijo pedido de desculpas no próximo Papo Pirata, ou meu dinheiro de volta.

  26. Samukalhes disse:

    Fala piratas…
    Depois de séculos sem apaecer por aqui, resolvi dar o ar da graça..rsrsrs

    Estou re-re-re-fazendo uma maratona do piratacast assim como já estou terminando a do papo de gordo.

    Ótimo tema. ótipos pontos abordados.
    Participei de um podcast, tempos atrás, que terminou por problemas internos entre os participantes. As dificuldades que vocês citaram para podcasts iniciantes conferem. A minha visão era falar sobre os assuntos, dar minha opinião, me divertir, conhecer pessoas.. mas nem todos tinham este pensamento, e por isto o cast acabou.
    Estou montando outro com outros amigos e outras visões.
    ótimas dicas que vocês deram, só acho que escolher um assunto ou nicho é complicado. Limita muito os assuntos. Pode ajudar a montar as pautas, por exemplo, mas acaba no que o Dudu falou qnto a não conseguir falar sobre outras coisas no papo de gordo, ou não conseguir tocar outros projetos, pq não seria pertinente, ou não seria do perfil do podcast, sei lá…. porém concordo que é normal que podcasts de nicho tenham mais qualidade nos conteúdos, pq a final, só falam sobre aquilo né!?
    Enfim… Acho que é valido fazer novos podcasts, inovar.. e a idéia de querer ficar milhoário, por exemplo, acho que só atrapalha… é como nego fala de banda… tem que ser algo com amigos que seja mais pra manter teus amigos, conviver com as pessoas e tudo mais do que ‘querer dominar o mundo’..rsrsrsrs
    Enfim…
    Continuarei minha maratona.. o foda é ouvir os antigos e não poder comentar, pq.. a final. quem mais olharia os posts antigos!? rsrsrsrs
    Abraços 😉

  27. Victor Domiciano disse:

    Esse tema sobre podcast me fez ter a vergonha na cara de comentar.

    Dos 27 podcasts que ouço atualmente são conforme meu perfil (cinema, games, hqs, esportes, geral), mas dos que sigo e já segui coloco em 4 diferentes categorias gerais – independente do tema:

    O geral de humor – o entretenimento mor mas com alguma informação – liderado por Nerdcast, Pauta Livre News e Podtrash.

    Os com publico radical e que o cast acaba ficando forçadamente de nicho – MDM, BailedosEnxutos são divertidos e focados em hqs, mas o seu publico é tão extremista e boca suja que tenho medo de comentar no post dos sites.

    Mídias – “game e filme é divertido, vamos falar só disso porque gosto!” A maioria dos casts é de cultura pop – filmes, games. O pessoal é na sua maioria influenciada a ter seu podcast por influencia do Rapaduracast, Nerdcast ou Nowloading – mas infelizmente sempre os que acabam depois de um tempo eram desse tema.

    Tema especifico e técnico – por pessoas da área e que sabem do tema, mesmo que tenham humor não fogem da sua natureza – Historica, Cafe Brasil, Masmorracast, Pipoca e Nanquim.

    Sobre podcasts de nicho que é um bom exemplo é o 10jardas do JP que é só sobre NFL – taticas, comentarios e bastidores do futebol americano – muito bom e recomendo.

    Bom, acho que falei demais e são 3 da manhã – preciso dormir. até mais!

  28. Parabéns pelo episódio, é sempre bom ver o pessoal mais experiente contando suas experiências 🙂
    Achei muito bom vcs falarem dos nichos, esse para mim é o futuro dos podcasts. Nem vou falar do meu, que vai bem obrigado e sim do Aerocast Brasil por exemplo, sobre aviação, que para mim foi uma novidade excelente na podosfera brasileira. Nada melhor do que encarar o engarrafamento ouvindo algo sobre seus assuntos preferidos. Sou obrigado a concordar que talvez já haja um número excessivo de podcasts sobre humor/cinema/HQ/games.

    O futuro deve ser ainda mais bombástico para a podosfera, com as conexões 4G e com carros que rodam Stitcher/TuneIn radio. O segredo do nosso futuro é abraçar populações diferentes do
    1. geek que sabe assinar um feed, instalar um aplicativo, fazer o celular falar no som do carro. Infelizmente isso é uma minoria da população. Outro dia vi uma moça tentar botar o WhatsApp no Phone pelo browser, entende? rsrsrs…
    2. profissional que trabalha no computador e ouve podcasts sentado na cadeira.
    Se remover os geeks e os profissionais do computador, não sobra quase ninguém. A chave para isso é o carro que funcione como nos EUA, onde alguns carros já vêm com 4G/Stitcher, o cara pode apertar um botão e ouvir o PirataCast na highway…

  29. ripizud disse:

    Parabéns pelo programa, muito interessante ver o ponto de vista de vocês sobre o assunto, meu sonho é participar de um podcast, mas não teria tempo para ficar editando.Com a quantidade/tempo de postagem vai fazendo diminuir o interesse do ouvindo, por isso é tão bom encontrar um podcast novo, você vai lá e fica dias escutando todos de uma vez, e para mim isso é o mais ‘bonito’ do mundo do podcast.

    Abração ai, Dudu Sales você é foda!

    • ripizud disse:

      PS: Acho uma pena que as empresas de publicidade se baseiam pelos pageview, na minha opinião é isso que está matando o RSS. O que conta é a quantidade e não a qualidade como sempre…

  30. Alexandre disse:

    Fala galera! Muito legal o episódio. Acompanho vocês a pouco tempo mas tenho gostado muito do que ouvi. Este episódio sobre podcast foi bem interessante pois houve uma enxurrada de programas a respeito e é engraçado como opiniões diferentes convergem para um ponto em comum. Concordo que um podcast não é um programa de radio apesar de ser a forma mais fácil de explica-lo mas curti ainda mais a definição de que é um bate papo entre amigos em uma mesa do bar onde você fica com muita vontade departicipar. Ingressei a pouco tempo em um podcast o Papo ACessívelque trata sobre acessibilidade para deficientes visuais (http://www.papoacessivel.com.br) e já havia participado de outros programas em outros sites antes e falo para os desavisados que a gravação e edição não é algo fácil, mas ver o resultado final sendo baixado é uma sensação muito boa.
    Continuem com o excelente conteúdo mesmo que ele não tenha retorno financeiro pois saibam todos vocês que fazem um bem danado para todos nós seus ouvintes. Um grande abraço

  31. Que aula!! Eu vim aqui por que ouvi o Dudu comentar sobre esse programa no Papo de Gordo, já tinha ouvido falar no Piratacast, mas não vou mentir, eu já tenho uma porrada de casts em que sigo (e até produzo um, mas não vou soltar jaba.kk) então nunca baixei nenhum programa de vocês. Mas tenho que dizer, apenas por ouvir o bom bate papo nesse cast já foi o suficiente pare me fazer baixar e ouvir mais programas daqui. Principalmente por perceber que aqui tem uma galera mais madura do que um boa parte dos podcasts tradicionais, não que eu não goste dos podcasts tradicionais, mas chega uma hora em que a gente cansa de ouvir uma molecada jovem tentando fazer piada e ser engracado.
    E esse cast foi uma excelente aula sobre tudo isso, se o Dudu Sales um dia começar a organizar palestras com certeza eu irei me inscrever, o cara é uma aula de bom senso.
    Abraços a todos e foi um super prazer em conhece-los

  32. Ian R. disse:

    Cade o proximo???
    Ta muito atrazado. Aconteceu alguma coisa ruim???

  33. Diego Medeiros disse:

    Pessoal,

    Manera ai um pouco no som de fundo … Digamos que nesse cast estava tão alto que mal ouvia a discussão.

    Fora isso, mais um cast excelente.

    Parabéns

  34. Ramon disse:

    Só fui conhecer o Piratacast agora e já to corrigindo esse sacrilégio fazendo a maratona. Esse lembrou muito o metacast com informações PHODA pra quem tá fazendo ou quer fazer um podcast.

    Uma parada que me identifiquei foi em relação à qualidade do áudio. Depois q passei a gravar/editar fiquei muito mais “chato” pra isso. Agora sempre que ouço uma qualidade ruim de gravação, me incomoda.

    Abração rapeize!

  35. Thiago M. disse:

    Excelente cast…!!!
    Mas pelo tema esperava mais assuntos “polêmicos” do submundo dos podcasters… rsrs

    Concordo com o Diego, em alguns momentos o som de fundo incomodou um pouco, fora isso tudo perfeito…

    Abraço piratas.

  36. aLx disse:

    Não vou me estender até pq este comentário já está vencido. De qualquer forma, achei um grande programa com opiniões muito boas sobre produtores de podcasts.
    .
    Aliás, agradeço por me citarem no programa, embora não concorde muito com o que foi dito.
    .
    Acho, no entanto, que quem comenta em todos os programas e cuida para deixar um feedback com algum conteúdo, acaba por se tornar uma espécie de “colaborador” do podcast.
    .
    Como já disse em várias oportunidades, comentar é a forma do ouvinte interagir E agradecer ao podcast pelo trabalho que desenvolveu.
    .
    Parabéns pelo programa.
    .
    Abraços.
    .
    aLx

  37. Filipe Duarte disse:

    Eu e uns amigos estamos nos organizando para criar um podcast e na pesquisa por material acabei topando com esse episódio. Curti bastante e vou levar tudo o que ouvi em consideração.

  38. Norman Novaes disse:

    Galera, eu fiquei impressionado com o engajamento dos ouvintes de vcs! São poucos os podcasts que conseguem um debate de nível como este nos comentários. Parabéns mesmo.

    E parabéns pra equipe do Bau Pirata que há tempos conduz o podcast com grande competência.

    Gostaria de “compartilhar” com vc minha tristeza pelo Depois das 11, gostava muito dos caras. Aliás foi o podcast que mais me inspirou a começar a gravar podcasts também!

    Quem quiser conhecer o meu cast, é só passar lá no Bobos Sem Corte, http://bobossemcorte.com , garanto que vão se divertir muito! Abraços!

  39. Gabriel Tavares disse:

    Fala Piratas! Sei que esse comentário está EXTREMAMENTE atrasado, mas não pude deixar de comentar depois de tanto tempo. Eu sinto muita falta do depois das 11 também, mas:

    “Depois das 11 Podcasts, você vai rir se divertir, tem informação, descontração, variedades e informação. Depois das 11 podcast!”

    Acho que era algo assim…

    Um abraço a todos.

    E eu sou um dos ouvintes miseraveis que enchi o saco de alguns podcasters quando quis fazer o meu. Não que eu tenha deixado de ter vontade. Mas faculdade e trabalho tomam um tempo ingrato da nossa vida.


    .
    @jabour_rio, @iskilo666, @junior_cq,
    @cleverson, @piratacast, @baupirata