Facebook do Piratacast Twitter da Equipe Piratacast TV do Bau Piratacast, Diário de Bordo e Papo Pirata Feed do Site Feed do Podcast Assine no Itunes Entre em Contato

Piratacast 36 – Religião

10 / abr / 2012
Papagaio Pablito


É possível conversar sobre religião e não acabar se matando ou ofendendo alguém? E crença, é a mesma coisa que religião? Religião e ciência podem, ou conseguem, habitar o mesmo espaço “pacificamente”? Foi pensando nisso e em muito mais que Jabour_rio (@jabour_rio), Iskilo (@iskilo666), Junior (@junior_cq) e Cleverson (@cleverson) convidaram o autor e nerdcaster (jura?!) Eduardo Spohr (@eduardospohr) para conversar sobre o último daqueles três assuntos que não se debate: RELIGIÃO.

LINKS RELACIONADOS

Acenda sua vela!
Neil deGrasse Tyson sobre a origem da vida, a evolução e vida extraterrestre (comentado pelo Cleverson)
Neil deGrasse Tyson comentando sobre Deus ser a (desculpa) explicação para aquilo que não entendemos
Filosofia Nerd, blog do Eduardo Spohr
Zeitgeist, dublado
A Bíblia narrada por Cid Moreira
Foto do Iskilo como coroinha
– Livros do Eduardo Spohr [na Saraiva] [no Submarino]
– Escute o Papo Lendário do Mitografias

CASAMENTO do Jabour_rio ou mais conhecido como:

Vanessa e Maycon

Enlace Matrimonial de

Vanessa Sousa da Silva e Maycon Martins Teixeira.

Pais da Noiva: Georgina e Severino.
Pais do Noivo: Sandra e Tony

Data do casamento: 12/05/2012.
Local: Igreja Santa Cecília, Bangu – Rio de Janeiro – RJ.

Lista de presentes no Ponto Frio (internet) – Código: 182950

Lista de casamento na Leader (loja física): Você vai na loja e pede pela lista de presentes dos noivos. (Código da lista: 114078)

Agradecemos muito a quem ajudar a construir o lar do @jabour_rio e @jabour_nessa!
 

MURAL DOS PIRATAS

Opine ou conte-nos alguma experiência pessoal relacionada ao tema no espaço de comentários abaixo ou envie um e-mail para o piratacast@piratacast.com que comentaremos no próximo PAPO PIRATA, o nosso podcast de feedback da galera.

EDIÇÃO e TRILHA SONORA: Iskilo (@iskilo666)

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


Opções de Dowload

FEEDS:
Quer ter todos os artigos do Baú Pirata e/ou os Podcasts
de forma automática direto no seu computador? Assine nossos feeds!


Categoria(s): Piratacast

145 marujos comentaram até agora...

  1. Frantisco disse:

    Vixi…….
    Estou baixando agora, mais tem tudo para o podcast pegar fogo. O tema é difícil de ser debatido, mais espero uma grande discussão.
    Depois de escutar volta para comentar ou mandar um email.

  2. Luis Alexandre disse:

    Eu poderia cair no clichê e digitar “mamilos”, mas não farei isso! uhasuhsauhs

    Mais um tema polêmico! Já foi política, homossexualidade e, agora, religião. O próximo programa vai ser sobre futebol, será?!

    Escuto vocês desde o “finado” Filecast e só agora caiu a ficha que nunca fiz um comentário, que vergonha.

    Parabéns pelos ótimos programas e que continuem com o ótimo trabalho 😀

    EDIT: Agora que vi, Eduardo Sporh! Que coincidência, ontem comecei a ler o segundo livro do Eduardo. Muito bom 😀

  3. iskilo666 disse:

    ISSO!! Demorou, mas na sua última frase vc entendeu o que queríamos com o cast.. Que por sinal explicamos nos primeiros 3 minutos.. hehehe

  4. iskilo666 disse:

    Eu já fui ateu e hoje sou agnóstico.. O Jabour também, e o Spohr se considera cético.
    .
    O Junior e o Cleverson são protestantes, mas não defenderam a religião deles em nenhum momento, até a criticaram.
    .
    Acho que o que mais te incomodou era porquê não tinha nenhum Ateu ortodoxo, ou seja, aquele em que a sua convicção extrapola a possibilidade de argumento dos outros.
    .
    Até tínhammos um Ateu “na fita” para participar, mas ele não pode por motivos diversos, mas sabíamos de ante-mão que ele não é ortodoxo, e na verdade, não gravaríamos com nenhuma pessoa que tivesse pensamento assim.
    .
    Nosso podcast aborda todos os assuntos que achamos interessante pela nossa ótica, e temos como filosofia que nada é uma verdade absoluta, e toda informação, e até discussão, é bem vinda.
    .
    Eu deixei de ser ateu após a minha vivência me levar a refletir que nem tudo nessa vida é explicável, e na verdade, não precisa e nem deve ser. A passagem do livro do Spohr que eu citei resume muito minha idéia: “A humanidade deixou de acreditar no impossível” (que não deve estar com essas palavras, mas é como minha memória guardou), a fé, a fantasia leva a criatividade, a pensar em novas formas de resolver problemas que antes pareciam sem solução.

    • Artur Antunes disse:

      Não entendi isso:

      “Acho que o que mais te incomodou era porquê não tinha nenhum Ateu ortodoxo, ou seja, aquele em que a sua convicção extrapola a possibilidade de argumento dos outros.”

      Tipo, o que é um Ateu Ortodoxo para você? Porque eu pensava que era um Ateu convicto, mas eu posso me considerar bem Ateu, porém como eu poderia destruir a capacidade de argumentação? Será que o Ateu ortodoxo é tipo o fanático? Se for assim eu até concordo, porque nenhum tipo de fanático, tanto religioso, quanto Ateu, deixa uma discussão saudável fluir, mas de qualquer jeito fica a minha dúvida que eu não entendi.

  5. iskilo666 disse:

    Os ponto e vírgula são passagens diferentes de algo que estava sendo discutido naquele bloco, ou que seria discutido no próximo.
    .
    Eu tentei utilizar o máximo de referências possíveis, como Alcorão, Torá e Budismo (iria até colocar do Taoismo, mas não achei narração). Tem até uma passagem do Zeitgeist, que é uma das mídias com tendência ateísta, mas com os argumentos mais interessantes que eu já ví.
    .
    Se você reparar, nas passagens da bíblia, busquei passagens imparciais, que não defendesse nenhum Dogma. Gênesis e Apocalipse são das passagens mais abstratas da bíblia. Peguei um Provérbios, que cita mais bons costumes do que qualquer coisa, e no outro é um pedaço de uma parábola que mostra o próprio Jesus dizendo que novos tempos exigem novas abordagens de religião, ou porque não, do pensamento em geral.
    .
    Recomendo que escute novamente o podcast, com cabeça aberta, sem se preocupar em nos encontrar defendendo ou atacando alguma coisa, pq em nenhum momento buscamos isso.

    • AndreiRated disse:

      O pessoal esperava o que? que vocês respondessem o sentido da vida, universo e tudo mais? queriam que a opinião dos participantes sejam a mesma da de vocês para curtirem o tema? Não sou muito fã de religião, mas curti pra caramba o papo.

      • Filipe MacLeod disse:

        Boa resposta! achei a mesma coisa… Trata-se de algumas opiniões, se tivessem que colocar todos os âmbitos teológicos em um debate, teriam que colocar umas 1000 pessoas no cast, afinal todos podem crer em uma mesma coisa mas não necessariamente concordar com tudo e por sua vez havendo discordância em algum ponto… seria uma opinião diferente das demais…

  6. Stuart disse:

    Caramba, muito bom o tema e toda a discussão sobre. Na verdade, acho que é o primeiro que escuto com essa abordagem, pois como já vi em outros, a preocupação é “a religião é o ópio do homem”, “a religião só serve pra trazer desgraça, o mundo seria melhor sem ela”, ou seja, não era um podcast sobre religião, era um podcast sobre ateísmo “fundamentalista”, que o que ele acha, está certo e que do jeito que ele pensa seria melhor. Talvez por isso, o Danilo aí tenha ficado meio decepcionado.

    Mas lembre-se que “toda unanimidade é burra”.

    Gostei da explicação sobre o que é religião, como ela surgiu, como foi tratada durante os anos, enfim, muito bom.

    Acho a religião importante pra pessoas. “Se Deus não existisse, seria preciso iventá-lo” disse Voltaire. É do próprio homem querer acreditar em algo (seja superior ou não), é isso que impulsiona a vida dele (se você acredita que pode melhorar no trabalho, se esforça, não? é um tipo de fé).

    As religiões podem fazer muitas coisas boas pelas pessoas, bem como não. Do mesmo jeito como tudo na vida. Tem que existir um equilíbrio. Contudo, as pessoas também tendem a fazer como melhor lhe convém, perdendo assim as motivações da religião em si.

    É assim que eu penso. Eu também fui catequizado, tinha que ler a bíblia quando era pequeno, minha tia me obrigava, eu só podia sair pra brincar depois de fazer a leitura do dia hahahahaa. Na época eu detestava, mas hoje vejo que aprendi muito, tive discernimento pra filtrar aquilo pra minha vida. E nem de longe sou religioso, mas leva você a parar e pensar: “As pessoas poderiam ser mais legais umas com as outras pra variar”. Sendo religioso, cristão, ateu, budista, o escambau, religião tem um papel (embora hoje não cumpra tanto) de criar moral e caráter.

    Olha Jesus aí pra dizer “Vês o cisco no olho do teu irmão e não vês a trave no teu?”.

    Acho que é isso! Vocês tão de parabéns!

    • .
      .
      .
      Cara… Eu não curto religião e nem por isso recrimino quem é religioso…
      .
      Não sei se notou, mas ninguém tentou catequizar vocês nessa conversa… O papo na verdade não foi sobre religião, mas sobre religiosidade… Tendo ou não, deve-se respeitar… Podemos até chamar um ateu para fazer um contra-ponto no Papo Pirata, porém nenhum que ache que a sua crença seja unânime…
      .
      O problema do católico extremista é o mesmo do muçulmano extremista e o mesmo problema seu (ateu extremista)… Não é porque você não acredita que tem que obrigar os outros a não acreditar… Foi exatamente por esse pensamento que o outro convidado não participou… A gente não está aqui para polemizar por polemizar, mas lançar idéias boas para vocês e quem sabe ajudar a melhorar o mundo?
      .
      Pense nisso!
      .
      .
      .

      • Stuart disse:

        E justamente por isso está entre os melhores que já ouvi! E olhe que eu não conheço muito o piratacast!

      • Stuart disse:

        Aliás, sempre que o papo é religião, eu não consigo deixar de lembrar do livro Guia do Mochileiro das Galáxias que faz uma citação, algo como: “E numa sexta feira, há exatamente 2000 anos atrás, só porquê um cara disse que seria legal se as pessoas fossem boas umas com as outras pra variar, pregaram ele em um pedaço de pau”.

      • Pablo Grilo disse:

        Sou a favor da fé alheia e respeito a crença dos outros, mas concordo: religião é um mal da humanidade. Quando me refiro a religião, quero dizer institucionalização + padronização + corporativismo da fé, o que é algo que nunca deveria acontecer. Quando se torna religião, vira politicagem, vira sobrepor através da catequização a sua fé sobre outras pessoas como demonização dos deuses/cultura alheios e isso é ruim.

  7. AndreiRated disse:

    Fala galera da perna pau, olho de vidro e cara de mau.

    Eu escutei até metade porque saio as 5 do trabalho, termino de escutar quando chegar em casa. Mas já vou deixando o feedback, se tiver mais coisas pra falar comento denovo depois.

    Adorei o papo de vocês, não ficou algo de “imposição” de quem geralmente não respeita religião ou tem uma e quer enfiar crenças guela abaixo nos outros. O papo foi tranquilo, idéias simples, que nos faz pensar e bem saudável. Buscando que para o bem ou para o mal, religião sim pode ser discutida, e sim pode ser tanto bem ou mal.

    Adorei a participação do Dudu Spohr, já tive a grande oportunidade de te-lo como professor e sei o quão humilde ele é de frente com esses assuntos. Por mais que o assunto do livro dele seja polêmico, já que quando alguém escreve sobre religião é difícil fugir de certas críticas a seitas dogmáticas como vemos por aí.

    No mais concordei com quase tudo que vocês falaram, e sempre digo isso. Pra mim é irrelevante tudo sobre criação ou sobre origem. É tudo relativo e tudo pode ser ou não verdade. Mas sempre bato na tecla de que a humanidade precisa de uma moral, de educação e da vontade de evoluir para diminuirmos as nossas origens animalescas. E isso que falta mais em todos, ateus ou não. Um sentimento maior de cordialidade, amizade, maturidade e repeito.

    Vlw pessoal pirata. o/

  8. Tanko disse:

    Quando era criança eu também ficava fazendo estas comparações, vendo como a Bíblia teria “explicado” a evolução e conceitos científicos… o homem veio do barro, que lindo, veio da sopa primordial, é feito de pó de estrelas e voltará a ser.

    Ok, e onde está a razão de uma visão onde a mulher vem da costela do homem e precisa obedecê-lo? Sendo que a mulher – XX -, até onde sei, é o “default” da espécie humana.

    Isto é, o que está certo foi revelação divina ou ao menos demonstração de grande conhecimento e visão do mundo, o que está errado é problema de tradução, interpretação, ou claro, metáfora.

    Vou continuar ouvindo e depois comento mais. Está bem interessante o cast e até agora estou curtindo a abordagem.

  9. Thiago disse:

    “Você prova cientificamente que deus não existe” doeu em mim.
    Foram tantos erros que não teria por onde começar de qualquer forma foi sério demais e acho que não acrescenta nada, não acho que devam continuar com isso.
    Abraços.

    • .
      .
      “Foram tantos erros que não teria por onde começar” – Assim é fácil criticar hein? Ouvinte “for real” do @piratacast justifica porque concorda ou discorda… Se eu fosse você, começaria agora a falar sobre “os nossos erros” que faríamos questão de debater isso aqui nos comentários e/ou no Papo Pirata do fim do mês…

      Outra coisa… Dizer que um podcast sério demais não acrescenta nada é no mínimo controverso… Como assim? Os podcasts “de zueira” acrescentam oque na sua vida, rapaz?
      .
      .

      • Thiago disse:

        Os engraçados podem não acrescentar nada mas são divertidos isso já é o suficiente.
        E não tenho tempo(saco)de ficar escrevendo tudo aqui e não pretendo debater nada (claro isso é problema meu), só quis dizer que o episodio não me agradou porque foi um show de falacias e claro se não gostasse do trabalho de vocês não ouviria.

        PS: Amostra rápida o autor citado é Richard Dawkins e não Stephen Hawking.

        Tchau

        • .
          .
          Hum… Aí é questão de gosto mesmo… Eu ouço podcasts de comédia também e não os desmereço… Sou fã do PautaLivreNews, Toscochanchada e Nerdcast… Nós mesmo do @piratacast já gravamos alguns podcasts de comédia e temos intenção de não fugir de vez desse estilo, porém eu tenho muita pena de pessoas que só vêem filmes de ação, por exemplo… Ou só escutam rock… Eu sempre fui muito eclético (há quem diga “sem opinião” ou “sem gosto”). Acredito que a diversidade me enriquece muito mais do que a mesmice… Mas essa é só minha opinião de bosta…
          .
          Obrigado pelo feedback e mesmo não tendo sido eu que falei, agradeço pela correção sobre o “Richard Dawkins”… Muitas vezes acaba passando batido um erro porque no calor da conversa nem sempre percebemos que falamos besteira…
          .
          Tchau pra vc também, amiguinho!
          .
          .

          • Tourinho disse:

            RÁ!! A gente é referência pro Jabour!

            Podem fechar a internet…

            Ainda estou ouvindo este episódio, mas preciso comentar o quanto vocês estão agradando cada vez mais nos temas, levando de uma maneira séria (no bom sentido), estudada e embasada. Parabéns mesmo.

            E já falei e falo de novo. Tenho inveja de seus ouvintes. Povo curte comentar aqui, hein?

    • Renan Aspira disse:

      Se o crente tem que provar que Deus existe, assim o ateu tem que provar que Deus não existe. Ceticismo sem argumento algum é só covardia intelectual.

      • Cleverson disse:

        E essa é a premissa da eterna batalha entre fé/religião – ciência e ateismo e afins.
        XD

      • Artur Antunes disse:

        Um Ateu não tem que provar que Deus não existe. Isso é uma falácia da inversão do Ônus da prova.

        Eu não ia comentar isso, porém falar que é uma covardia intelectual é um pouco demais. Os Ateus pensam sim nisso e não tem medo de argumentar sobre essa questão.

        • Renan Aspira disse:

          Artur, filosofia é assim. Você tem que argumentar porque algo não é. Enquanto os dois lados ficarem calados não tem conclusão.

          E não tem nada haver com ônus da prova. A falácia do ônus da prova é quando se transfere a responsabilidade de comprovar o argumento. No que eu disse não houve nenhuma transferência de ônus.

          Como disse, se o crente tem que provar que Deus existe assim o ateu tem que comprovar eu Deus não existe. Se ninguém provar não há conclusão necessária.

          Wittgenstein, Hume e diversos outros filósofos que negaram a existência de algo não simplesmente disseram que aquilo não existe por falta de argumentos da outra parte. Eles formularam suas teorias independentemente para provarem suas negações.

        • Artur Antunes disse:

          Veja bem, nenhum dos lados está calado sobre essa questão. Os Ateus não tem motivo para acreditarem e os crentes simplesmente acreditam e todos acham que isso está certo. Cada um defende o seu lado, assim como você escolhe ficar no meio disso e eu pessoalmente não acho que você está calado sobre isso, assim como os outros não estão. Sustentar uma ideia não é fica calado sobre ela, muito pelo contrário, é debater para deixar a ideia mais forte. Se na filosofia tenho que argumentar sobre algo falando porque não é, então é muito simples: Não tem prova nenhuma, logo é um produto de ficção.

          Eu falei sobre inversão do Ônus da prova porque eu não tenho que ter provar para não acreditar, mas quem diz que ele existe tem que provar e quem diz que eu tenho que provar que ele não existe está jogando uma responsabilidade que não é minha e sim de quem acredita. Todo mundo não acredita em um monte de coisas. Se querem que eu acreditem, me provem. Como é uma questão pessoal minha, eu que decido as condições se vou acreditar ou não e eu não acredito em nada até que me provem o contrário e acho isso saudável. embora até nisso podem me contestar e eu posso mudar a visão de como vejo as coisas, caso seja convencido disso.

          Como eu coloquei lá embaixo, as pessoas simplesmente não acreditam em algumas lendas como o Saci Pererê. Ninguém sai por ai falando que é agnóstico ao Saci Perere, mas que simplesmente não acredita que ele exista. Também não é possível provar que o Saci não existe, mas acredite, tem gente que acredita nele (um pessoal que mora isolado da civilização, em uma fazenda e mal vai para cidade, por exemplo). Eu não acredito em Deus, assim como não acredito no Saci Pererê. Eu não coloco deus como se ele fosse mais especial que os outros deuses que também mereciam o beneficio da dúvida seguindo esse raciocínio, como Zeus, Odin, Alá, Brahma, Shiva, etc. Você acredita em Zeus, não acredita ou é agnóstico com relação a ele?

        • Renan Aspira disse:

          Se o argumento é falta de prova o ateísmo não se torna nada menos do que uma crença.

          Se formos considerar conhecimento o CVJ (Conhecimento Verdadeiro Justificável) o ateísmo não passa por falta de justificativas reais.

          Saci Perere e um Deus onipotente são coisas muito diferentes. O Saci Perere é um garoto, ele pode ser observado. Se ninguém o vê ou comprova que o vê então sua existência é refutável. Deus, e alguns deuses, não podem simplesmente ser vistos como um garoto.

          Zeus, Anubis, Alah, ou qualquer outro Deus é possível. Assim como deuses inimaginados pela humanidade.

          Se eu disser que existe um tênis na superfície da Lua eu tenho que mostrar o porque. Assim como se eu disser que não há eu também tenho que provar o porque, mesmo que seja mais provável a segunda opção.

          Se não quer provar aceite que é só uma crença, que até pode ser verdadeira, mas não parece ser justificada.

        • Artur Antunes disse:

          Não sei se é uma crença, porque tratasse de algo que eu não acredito que exista, porém como é uma coisa que eu acredito que não exista, então pode ser uma crença sim, pois eu não tenho provas que deus não existe, assim como não tenho provas que Harry Potter não existe. embora uma vez eu vi um pastor no programa do Roberto Bastos dizendo que ele existe. Toda teoria cientifica também é uma crença. Ninguém pode afirmar com 100% de chances que o universo foi formado pelo Big Bang. São coisas que estão acima do nosso conhecimento. Na verdade qualquer coisa pode ser uma crença. A gente pode pensar que estamos no mundo real, mas as máquinas na verdade já nos escravizaram e estamos em uma Matrix. Tudo que você acredita ou não, é uma crença, então sim, eu não acreditar em deus é uma crença, mas se um dia ele descer dos céus em suas carruagens de fogo, vai ser um fato. As pessoas não acreditam em um monte de coisas, mas deus elas colocam em um pedestal alguém de todas as outras. Eu acho assim, que dar o beneficio da dúvida para deus, beleza, mas dê o beneficio da duvida para todo o resto também, assim fica coerente.

          O Saci Pererê já foi observado por testemunhas, assim como alienígenas e outras coisas. Mesmo que na teoria Deus não esteja nesse mundo, o Saci Perere nunca se mostrou para ciência assim como deus.

          Então você também é agnóstico a Zeus pelo que eu entendi?

          Outra coisa, hoje, com todo poder da ciência, não sabemos quase nada sobre o universo. O que a gente pensa que sabe, pode estar errado. Alguns habitantes do meio do deserto de 2000 mil anos atrás sacam mais do que a gente?! Não tem lógica nenhuma. Naquela época o conceito de ciência nem existia.

          Se existe um deus fora de todas as religiões já vira masturbação mental. O universo pode ter sido gerado por qualquer coisa.

  10. Thiago Miro disse:

    Angra na trilha sonora. Me Gusta.

  11. mprazin disse:

    Amigos,
    como assim: Espiritismo e Catolicismo andam ali, lado a lado?

    Gente, o único ponto em comum entre estas duas religiões é o fato de serem critãs. De resto nada tem em comum. Partindo da premissa básica do Espiritismo de que há a multiplicidade de encarnações – fato que justifica e explica todas os “mistérios” que o catolicismo até hoje não elucida aos seus seguidores.

    O cast foi bem bacana para quem nunca leu sobre nada, ou quem nunca se preocupou sobre o assunto. Mas para quem já conhece e vivencia foi apenas uam forma de saber o qeu se passa na cabeça de cada um e conhecer cada caster.

    Estava indo tudo muito tranquilo até alguém (sinceramente não sei quem foi) dizer que o Catolicismo e o Espiritismo andam ali pertinho , grudado um no outro… acho até que faltou masi pesquisa de voces em relacao ao Espiritismo, pouco ou quase nada foi citado.

    Multiplicidade de existências, comunicação entre encarnados x desencarnados, libre-arbítrio… enfim… há um sem número que de questões há serem esclarecidas e debatidas.. muito mais interessantes do que apenas ficar falando do que u m ou o outro “acha”.

    Religião é conceito de vida, não há como falar desse assutno e achar qeu esta apenas “abordando de maneira sutil” se é pra ser imparcial voces deviam ter estudado mais para poder expor suas opinioes.. adoro o cast de voces – que fique bem claro – e respeito cada um que compoe o grupo, mas , amigos, não se aborda um assunto assim tão importante como se conversássemos sobre a rodada do campeonato estadual do último final de semana.. requer estudo e pesquisa.. e , se não há tempo para isso, melhor não abordar o assunto.

    Há dois assuntos que voces claramente não estudaram: espiritismo e budismo. Bastaria alguém ter estudado apenas essas duas vertentes religiosas que o programa pegaria fogo. Mas vocês foram conservadores, falando apenas de catolicismo e um ponto aqui outro ali, de islamismo (que é uma religiao maravilhosa, diga-se de passagem).

    Houve até um caster que teve a brutalidade de associar islamismo aos atos absurdos terroristas de grupos extremista que se dizem islâmicos.. ainda bem que um outro participante interveio e avisou qeu o islamismo nada tem a ver com os malucos que usam a religiao como ferramenta politica/bélica.

    Enfim… aguardo outros podcast´s para ouvir, curtir, me divertir, me instruir e comentar.

    Abraços.

    • .
      .
      Primeiro de tudo… Abrimos o podcast dizendo justamente que estávamos ali pra bater um papo sobre religiosidade, sobre nossas impressões sobre ela e que ninguém era especialista em nada e que aguardávamos que os ouvintes esclarescessem nossas dúvidas e erros, assim como você o fez…. Por isso valeu pelo toque e pelo feedback!
      .
      Quanto à andarem lado-à-lado o que eu quis dizer é que existem coisas comuns às duas religiões (claro que coisas muito diferentes também devem existir). Pelo que sei alguns santos são “compartilhados” (por falta de palavra melhor, desculpe se estou ofendendo)…
      .
      .

    • Junior disse:

      mprazin, quando nos referimos a isso foi para dizer que no Brasil muitos Espíritas se denominam também Católicos não que as duas religiões fossem a mesma coisa, dei inclusive o exemplo da minha esposa que vem de uma familia espírita mas foi batizada, fez catecismo, primeira comunhão e foi crismada na igreja católica e ainda hoje frequenta missas católicas.

    • Tourinho disse:

      Eu sou espírita e entendi perfeitamente a conotação dada pelos piratas. E concordo.

  12. mprazin disse:

    Mais uma coisa: não há “vela” relacionada a nenhum evento espirita.

  13. Junior disse:

    Danilo a idéia inicial do cast era ter ateus no debate mas nesse primeiro cast achamos melhor conversar sobre religiosidade para depois conversar sobre a ausência dela.
    E concordo com vc no ponto que eu sou cético se levar em consideração que ceticismo pode ser interpretado como questionamento permanente e a busca do conhecimento mas se for mas a crença em um deus e me exclui de ser um verdadeiro cético.
    Como disse durante o cast eu vejo deus em todos os lugares, não literalmente entenda, mas através dos seus atos de pequenas coincidências que podem mudar a sua vida, e por não conseguir comprovar que isso é realmente intervenção divina ou mera probabilidade quantinca e por crer me faz um crente mesmo ciente que existe outros caminhos possíveis a serem explorados.

  14. Kio (Caio Cesar) - 40 anos - Salto/SP disse:

    Salve, pirataiada.

    Independentemente de erros e acertos, acho que o que se sobressaiu neste programa foi o respeito com que abordaram o tema.
    É dificílimo tratar de um assunto onde, via de regra, todos têm seu ponto de vista muito pessoal. Ainda que seguindo doutrinas, cada pessoa vê – e sente – sua crença de forma única. Razão pela qual gera tanta discussão e extremismos.
    Iskilo, parabéns pela escolha das vírgulas sonoras, seu trabalho em buscar mensagens de religiões diferentes denota respeito e comprometimento.
    .
    Abração.

  15. Kiril disse:

    Talvez, se houvesse um “ateu ortodoxo” houvessem menos falácias infantis neste cast.

    …como por exemplo o fato de alguns de vocês dizerem que a ciencia está mais perto de afirmar a fé do que o atêismo, um conceito desse só é aceitavel de pessoas que se “atualizam” em ciencia por meio da Veja. Uma frase desse tipo só sai da boca de alguem que não conhece nada de ciencia, tão pouco de pelo menos sua própria religião.

    Como já falaram há uma discussão quando há pessoas de diversos pontos de vista, e não um bando de gente em cima do muro que não entende nem os dógmas de suas próprias religiões.

    • .
      .
      Sua opinião foi anotada e é de suma importância para a gente… Muito obrigado!
      .
      .

    • Junior disse:

      Kiril realmente não lembro de termos falado que a a ciência está mas perto de provar que deus existe do que ele não existe, lembro sim de fazer uma brincadeira que faço com meus amigos ateus de que se eles me provarem científicamente que deus não existe eu viro ateu, o que me lembro de mencionamos no cast também foi que conforme a teoria da formação do planeta terra pelo Gênesis e pela ciência algumas coisas batem.

      Porém se falamos isso em algum momento talvez a base se encontre nos trabalhos de Michael Heller que formulou a teoria Teologia da Ciência que usa a teoria geral da relatividade, de mecânica quântica e conceitos de geometria não-comutativa para provar a existência de deus, não sei se essa teoria encontrasse na revista veja já que não a leio, mas se você tiver um estudo científico que formule uma teoria que deus não exista, mesmo que seja da revista veja, por favor nos traga que ele pode servir de pauta para um próximo piratacast, pois como disse acima a idéia de fazer um cast com ateus para debater o assunto existe mas num primeiro momento a escolha do tema foi para introduzir a idéia de religiosidade para depois debater a idéia de sua inexistência.

    • iskilo666 disse:

      Meu amigo, eu falei com todas as palavras, e inclusive coloquei uma virgula sonora antes para não misturar os assuntos.
      .
      Essa discussão é trazida na série “Through the Wormhole” do Discovery, apresentado pelo Morgan Freeman. É uma série que traz estudos de metafísicos, cada episódio discutindo uma das “questões primordiais” da humanidade. Eis o link oficial da série http://science.discovery.com/tv/through-the-wormhole/ está tudo em inglês, mas acredito que vc se vire quanto a isso.
      .
      E o primeiro episódio, tratou exatamente sobre isso http://science.discovery.com/tv/through-the-wormhole/episodes/creator/ “Is There a Creator?” – “Existe um criador?” – Onde eles apresentaram uma porrada de metafísicos e suas teorias, que chegam muito próximo a responder essa pergunta, sendo que as mesma teorias verificavam a hipótese contrária, de que “não existe um criador”, e os indícios foram mais fortes à primeira ideia.
      .
      Não é a minha opinião, não fui eu que formulei, apenas me foi apresentada, eu parei alguns minutos para refletir, como faço com toda informação, antes de somente rechaça-la pois vai contra o que eu acho.
      .
      Antes que você diga, “você está se baseando por um programa de televisão!” estou sim, um programa que acredito ter feito uma boa mediação entre o tecnicismo dos metafísicos, e o entretenimento necessário para atrair espectadores. Não sou, não quero, e nem pretendo ser um estudioso sobre isso, apenas recebi essa informação com cabeça aberta para absorver o que foi útil, e compartilhei aos meus amigos no bate-papo.
      .
      Caso você tenha uma teoria e uma defesa que seja mais forte do que as apresentadas na série, sinta-se a vontade para expor e defende-la. Estamos no aguardo.

    • iskilo666 disse:

      E digo mais, como já expomos no podcast passado, a Veja, como toda publicação, traz o ponto de vista de seu editor, e a citada tem sim seu teor maniqueísta e muitas vezes retrata apenas um lado da questão.
      .
      Mas cabe ao leitor ter o discernimento mínimo para ao ler, filtrar qual informação é útil e qual não é, qual está enviesada com opinião ou não, e por aí vai.
      .
      Esse argumento de julgar os consumidores do produto ao invés da qualidade do mesmo, é típico de mentes preguiçosas, que preferem atacar uma questão sem ao menos conhecer, analisar, ou argumentar com alguma base (porque na maioria das vezes, não a tem).

    • Artur Antunes disse:

      Engraçado que ao criticar as falácias, ele usou uma falácia a do Ad Hominem. No lugar de você falar sobre os argumentos debatidos no cast, você começou a atacar os participantes.

  16. Nerdanderthal disse:

    Abraço aos adeptos do Piratolicismo.

    Para mim, Religião nunca se tornou um assunto polêmico, porque não discuto sobre isso. Cada um tem sua crença e deve respeitar à do outro, mesmo àquele que não tem nenhuma.
    A polêmica, a discussão fervorosa, agressões, etc, são oriundas de pessoas fanáticas, da mesma forma que torcedores de futebol, políticos ou coisa parecida.
    Fui criado no Catolicismo e mais velho me encontrei melhor no Kardecismo. Me encontrei melhor, entenda-se como: achei algumas respostas a tudo isso que nos envolve misticamente, nas quais acreditei mais.
    Com diz John Lennon na música God, “Deus é um conceito, pelo qual medimos nossa dor!” Eu vou mais além – acho que Deus representa também tudo aquilo pelo qual não temos resposta.
    A ciência explica, comprova física e quimicamente, mas aí você pergunta: OK, entendi, mas quem “inventou” isso tudo? Única resposta aceitável: foi Deus.
    E assim vivem 99,9% das religiões na Terra: da dúvida de como tudo começou, de quem fez, o que somos, e pra onde vamos.
    Eu também acredito nessa força, nessa grande dúvida, nesse Deus e, seja lá como for, faço a minha parte com respeito, honestidade e amor, aguardando um futuro julgamento dos meus méritos, mas nunca esquecendo fazer, eu mesmo, o meu auto-julgamento aqui e agora.

    Bem já falei demais, mas quero deixar um recado para os religiosos fervorosos que não concordam com a criação de novos seres pela ciência, como se o homem estivesse querendo ser Deus: Se vocês acreditam que Deus nos concedeu a inteligência e que fez o homem à sua semelhança, por que Ele temeria a nossa evolução?
    Garanto que Ele se sentiria orgulhoso da sua criação e talvez, com a ajuda da nossa ciência, Ele poderia descansar de novo mais alguns dias da semana.

    • .
      “…Se vocês acreditam que Deus nos concedeu a inteligência e que fez o homem à sua semelhança, por que Ele temeria a nossa evolução?…”

      – Foda, isso!
      .
      .

    • Cleverson disse:

      Concordo totalmente com o que você falou de Deus ser uma desculpa para justificarmos o que não entendemos, tanto que nos links relacionados coloquei um video – do mesmo cientista falando do criacionismo – onde ele explica justamente isso.
      Deus deixou de ser um “porto seguro” e passou a servir de consolo para os preguiçosos e ignorantes (por falta de conhecimento e não por burrice).
      http://www.youtube.com/watch?v=FiaAXs84VjU

      • Junior disse:

        Danilo o primeiro video é de um grosseria sem limites, eu aceito a opinião dele mas eu nunca agredi um ateu como ele agride aos crentes de todas as religiões só pela razão de não concordar com a opinião dele e realmente fico triste que uma pessoa para defender um ponto precise ser tão estúpido e obtuso como essa pessoa foi.

        Já o seu segundo vídeo é de uma genialidade sem tamanho defende um ponto com argumentos e conversa sobre o tema de forma incrível passa informação e realmente acrescenta algo ao debate.

        O que eu realmente gostaria de ver mais aqui nos comentários desse cast são esses argumentos incríveis e que fosse deixado de lado um pouco a obtusidade.

      • .
        .
        Tô com o junior… Muito agressivo o velhinho aí do primeiro vídeo… Assim como não aceito o cara que tem que impor que a religião dele é a melhor, não tem como eu aceitar o ateu que chama de doente mental qualquer um que tenha religião e tudo o mais…
        .
        Mais uma vez eu digo: Não tenho religião definida, chegando muito perto de ser agnóstico ou gnóstico como o outro amigo aí falou nos comentários, mas querer impor minha vontade e ideologia a outro? Pra que?
        .
        .

  17. po @junior_cq pego no pe do ritual da vela, todo mundo tem um ritual de alguma coisa, mesmo que não seja religião. tipo eu só uso a camisa do meu time se ele ganhar, qual motivo.
    Eu acho que a camisa do time é uma publicidade e você ainda paga por ela.
    Então só faço publicidade do meu time se ele ganhar.

    • Junior disse:

      então não é que eu peguei no pé e mesmo pura curiosidade sobre o motivo do ritual da vela o pq de de acender uma vela para um santo, para um morto ou para pagar uma promessa, e um ritual que eu não consigo entender o motivo, e sinceramente gostaria de saber como vc me deu o motivo de usar a camisa do time só quando ele ganha.

  18. Olá Amigos Piratas

    Não ouvi ainda, voltando a vida online agora e com um grande presente me esperando.
    Adoro a forma que abordam os assuntos, sempre com a mente aberta para discussões e sem preguiça nenhuma de ouvir todos os pontos, pessoas e argumentos.

    Antes de ouvir gostaria apenas de expor o que penso e mais tarde replico.

    1- Sou gnóstico, isso mesmo, sempre me perguntam “não é Agnóstico?”, não! é Gnóstico mesmo, proveniente da Gnose, é uma crença baseada na vivência e experiência, a base é que se aceita de tudo desde que isto tenha sido provado ou sentido, como mediunidade por exemplo, não pode ser provada mas pode ser sentida.
    Textinho Jabá: domusdraconis.net/minha-gnose

    2- Pra mim a religião deve reunir o homem e fazê-lo crescer em espírito, bondade, fraternidade e disposição ao próximo, não importa qual seja sua religião, se ela te provêm isso, ela é boa.

    3- Em uma religião há diversos níveis de interpretação, uma vez que alguém estudar religião e religiosos aprenderá que a vivência e interpretação de cada um é de acordo com seu nível de esclarecimento e interpretação teológica. Encontramos pessoas que dizem que o capeta acenderá a terra na páscoa, ou dirá que uma onda de pensamentos trará abertura a maldades, ou simplesmente que no feriado as pessoas fazem merda. O que quer que seja, coisas ruins acontecem, saber medir e respeitar a interpretação de todos faz parte de sermos humanos e indivíduos.

    4- Tenho sim preconceito a líderes religiosos que se aproveitam de seus fieis para ganhos pessoais, fazendo isso de forma discarada, exigindo sacrifícios e muito mais. No meu conceito, se existe um Deus, este deve ser bom a você, se ele quer seu mal em troca do bem dele, você está por um caminho que não passa de dor, culpa e penitência, procure uma filosofia, um Deus e um guia religioso melhor. Apenas pense fora da caixa e analise se aquilo te faz bem ou não.

    5- Indivíduo e comunidade pode ser religiosa, mas o Estado não, respeite o espaço alheio, não faça suas crenças afetarem a vida de outras pessoas que não as seguem, não julgue pela aparência, preconceitos, imposição, dogmas.
    Frase feita de auto-ajuda: Não incomode ninguém e ninguém irá te incomodar, discuta e debata com alguém e ambos terão sua mente expandida,

    Por hora grande abraço, em breve prosseguimos.

  19. Kio (Caio Cesar) disse:

    Salve, pirataiada.

    Estou terminando a leitura do livro “Deuses Americanos”, de Neil Gaiman, e gostaria de compartilhar um trecho que me parece bastante relevante ao tema:

    “Religiões são, por definição, metáforas, apesar de tudo: Deus é um sonho, uma esperança, uma mulher, um escritor irônico, um pai, uma cidade, uma casa com muitos quartos, um relojoeiro que deixou seu cronômetro premiado no deserto, alguém que ama você – talvez até, contra todas as evidências, um entre celestial cujo único interesse é assegurar-se de que o seu time de futebol, o seu exército, o seu negócio ou o seu casamento floresça, prospere e triunfe sobre qualquer oposição.
    Religiões são lugares para ficar, olhar e agir, pontos vantajosos a partir dos quais se observa o mundo.”
    .
    E sabe o que também é legal no texto? Dá margem a mais de uma interpretação… então, sirvam-se. 😉

    Abraços.

  20. Kezia Karol disse:

    Adorei a participação do Edu, Adorei também o bg musical de angra 🙂

    Beijinho

  21. Michel disse:

    Gostaria exclarecer alguns pontos citados no podcast:

    Primeiramente gostaria exclarecer que normalmente o conceito de teoria é utilizado de maneira errada.
    A acepção em senso comum de teoria como algo duvidoso, não provado ou a ser provada.
    A ciência cria teorias com base em fatos e ideias, dentro de um método científico. Uma teoria científica é o grau máximo de comprovação de uma hipótese.
    A Teoria da Evolução por exemplo, já foi comprovada, tanto em campo quanto em laboratório.
    Ainda podemos dizer que gracas ao método científico a ciência exclui convicções e crenças, criando assim o embate com as religiões.
    Caso haja interesse posso postar autores e filosófos que discutem o conceito de ciência.
    Outro ponto que chamou atenção no cast é o uso do termo agnóstico como alguem que é cético quanto a religião, o que não cultura popular não é errado. Entretanto muitos cristãos usam como uma forma torpe de criticar a igreja católica. Criando assim o “agnóstico cristão”, que se diz agnóstico, mas quando confrontado, mostra acreditar na existência de Cristo e da santíssima trindade.

    Somente mais uma informação sobre o cast, provavelmente não foi um cometa que se chocou com a terra. A hipótese, atualmente a mais aceita, é a de que um planeta denominado Theia ainda no princípio da formação da Terra teria se chocado com nosso planeta e sendo umas das hipóteses da formação da Lua.

  22. Artur Antunes disse:

    Bem interessante o cast. Sou Ateu e li o livro do Spohr, mas diferente do Esquilo que encara ele como uma explicação atual dos eventos de Bíblia, eu encaro como um mitologia.
    Muitas ficções já colocaram os conceitos de mitologias religiosas nós dias atuais como “Percy Jackson e o Ladrão de Raios”. Isso dá mais credibilidade a obra, faz a gente não questionar aquele universo, porém não me fez acreditar.
    Vejo que muitos de vocês estão no cima do muro e tentam se agarrar na religião e eu não condeno isso. Ser Ateu é como se um dia você visse um argumento contra a existência de deus que não tem como você negar, assim aparece o Morpheus com uma pílula vermelha e outra azul. Se você tomar a pilula vermelha vai descobrir que quando você morrer, sua existência vai sumir, que não tem ninguém guiando o mundo para o bem, as pessoas más nunca vão se punidas e que a injustiça existe, mas se você tomar a pilula azul, vai voltar para a sua igreja e acreditar no que quiser e tentar se agarrar naquela explicação da bíblia com todas as forças.

    Vocês colocaram lindas passagens bíblicas. Deixe-me acrescentar algumas que eu gosto:

    Levítico 20:13
    Quando também um homem se deitar com outro homem, como com mulher, ambos fizeram abominação; certamente
    morrerão; o seu sangue será sobre eles.

    ou se um homem violar uma jovem, ele deve pagar ao pai da mesma 50 peças de ouro, e ela se tornará a sua esposa
    e nunca se poderá divorciar dele enquanto viver (Deuteronômio 22: 28-29),

    EXODUS 21:20-21 Com a aprovação divina, um escravo pode ser surrado até a morte sem punição para o seu dono, desde que o escravo não morra imediatamente.

    “Se uma mulher for estuprada na cidade, e não gritar alto suficiente, ela deve ser apedrejada até à morte (Dt
    22:23-24). Caso seja no campo, então ela vive (Dt 22:25). Enfim, se o estuprador for apanhado, ele deverá pagar
    uma quantia ao pai e casar com a estuprada (Dt 22:28-29).”

    SAMUEL II 24:15 Deus manda uma peste que mata 70.000 homens em Israel.

    • Cleverson disse:

      Então Artur, eu não sou um exemplo de fiel mas deixa eu “criticar” um pouco o seu comentário.
      Acredito que você não tenha prestado muita atenção na parte do cast em que eu comentei repudiar as doutrinas aplicadas por algumas igrejas ainda hoje, baseadas no Antigo Testamento, que pregava muitas coisas absurdas.
      Em diversas passagens do Novo Testamento, Cristo condena tais atos, que um dia foram um exemplo a ser seguido e coloca a si mesmo como o caminho correto, entre diversas outras coisas. Curiosamente você só citou o Antigo Testamento…
      Não recrimino sua posição de buscar argumentos na própria Bíblia que sirvam de justificativa para mostrar como a fé pode ser absurda e afins – como em várias situações ainda é -, ou até mesmo sirvam de justificativa para ver o ateismo de uma forma mais atraente, porém na mesma Bíblia existem argumentos que descartam e repudiam tais “mandamentos”, atos e etc.
      É aquela situação: cada um faz suas escolhas e enxerga os argumentos que lhe convém, de acordo com a sua verdade. Você, aparentemente, quis ater-se aos absurdos.

      • Artur Antunes disse:

        Concordo que cada um faz as escolhas que quer. Em momento nenhum eu condenei isso, muito pelo contrário, voltando na analogia do Matrix, eu sou um cara que estou no mundo real, mas bem que seria maneiro voltar a viver a ilusão de um mundo justo. Sobre o velho testamento, eu respondi isso ai em baixo, mas posso repetir com palavras diferente para enfatizar melhor: Essas coisas ainda estão na Bíblia de muitas religiões. As regras da religiões cristãs dizem que você tem que acreditar na bíblia e contesta-la ou nega-la é automaticamente pecado. Então eu não vejo duas alternativas (talvez tenham mais) sobre o que você deve fazer: Acreditar em tudo ou retirar da bíblia essas partes.

        Pode me criticar cara. Discussões apenas deixam argumentos mais fortes. Ateus e crentes não podem fugir disso, embora as religiões pregam que o simples fato de contestar é um pecado, então siga o que você acha certo.

        • Cleverson disse:

          Discordo que contesta-la ou nega-la é pecado, ela está ali para passar experiência e ensinar, através do relato de outras pessoas mas isso é uma discussão muito mais longa e profunda do que isso. Vamos dar voltas e voltas aqui e, provavelmente, chegar a lugar nenhum. 🙂
          Antes de criticar todos os mandamentos, costumes, ações e tudo o mais que possa ser proveniente da Bíblia ou de alguma doutrina religiosa que padres, pastores e afins possam ditar ou ensinar a alguém, inclusive a mim, eu gosto de lembrar de uma passagem que diz “Examinai tudo. Retende o bem.”.
          Tudo é tudo, até a Bíblia. Então – voltando no começo da questão – eu posso contesta-la, como o seu próprio aval.
          🙂

          • Artur Antunes disse:

            Pois é, se a Bíblia fosse um texto de direito, seria um problema. Algumas parte condenam a contestação e outras partes como você mesmo disse, apoiam isso.
            Quando eu comecei a questionar religião eu pensava algo do tipo: Se deus é misericordioso, se ele é a verdade, caso eu conteste ele vou acabar descobrindo que na verdade ele estava certo.
            Nós dois fizemos a mesma coisa, porém você continuou acreditando e eu não. Interessante isso.

    • Junior disse:

      Artur eu concordo com vc que parte da bíblia seja mitológica no sentido acadêmico da palavra, seja um conjunto de historia que podem ou não ter base em verdades, por ser um crente (uma pessoa que crer) eu acredito que a base da historia seja verdadeira mas que ela não tenha acontecido daquela forma exata que foi narrada.

      Quanto as passagens que vc citou vamos por partes, a bíblia cristã e baseada no Torá que além de ser um apanhado dos textos religiosos judaicos era também um livro das leis judaicas, então além de contar com os textos sagrados também possui textos da “legislação” judaica da época e como o Estado e a religião na época eram uma coisa só, vc tinha a aprovação divina das leis.

      Assim como no Brasil do século 18 e 19 era permitido ter escravos é dar castigos corporais e até mata-los, ou até mesmo até 2005 aqui no Brasil se o estuprador casasse com a vitima do estupro era extinta a punibilidade do crime com a graça do estado e não a de deus por ser um estado laico.

      A parte de Samuel II 24 em razão de Davi ter agido loucamente deus puni o povo de Israel mas durante o processo deus se arrepende da punição e a para, para mim o mais importante é mensagem do arrependimento de deus o que demonstra a misericordiosa divina e que deus pode mudar de opinião sobre um assunto e se arrepender de uma decisão tomada para vc a mensagem pode ser que ele matou mais de 70.000 pessoas ou que isso é uma mito que na verdade houve uma peste que foi atribuída a fúria divina ou que isso é apenas historia da carochinha em razão de entrar no âmbito da crença e não da reprodução fiel histórica .

      • Artur Antunes disse:

        “deus se arrepende da punição”

        Vamos lá. Isso pela lógica é impossível. O deus cristão é unipresente, unipotente e principalmente uniciente, ele sabe tudo do passado, presente e futuro. Que escreveu a biblia cometeu um furo ai. Pois é, deus não matou, foi um mito, então porque não tiraram isso da bíblia. Sabe, a ciência é algo forte, porque os argumentos fracos são substituídos por argumentos mais fortes, mas a religião continua querendo apoiar umas paradas que nem os fieis acreditam

        Realmente a bíblia foi escrita em outras era, que escravatura era algo certo, porém eu pergunto para os dois: Por que as pessoas seguem a bíblia apesar disso? Por que não ignoram o velho testamento se só tem besteira nele? Apesar de muita gente falar que ignora, toda religião Cristã tem o velho testamento como um livro sagrado e incontestável, embora algumas religiões façam uma certa edição em algumas partes da bíblia, que segundo esse evangélicos, essas partes não são verdadeiras e eu apoio isso.

        • Cleverson disse:

          Cara, eu acredito que tais fatos não foram tirados de lá, principalmente por ser um documento sagrado há muito tempo mas – ao meu ver -principalmente para servir de lição.
          Tudo que aconteceu de errado ou de hediondo naquela época precisava, e precisa estar ali, para servir de lição a todos os outros que vieram depois daquilo. Sem um exemplo errado você nunca vai saber fazer o certo, e mesmo que o certo em uma época se mostre como errado depois, o que importa – na maioria da vezes – é a capacidade de arrependimento, perdão e entrega.
          Por isso essas coisas precisam estar lá até hoje.
          Mas é só o que eu penso. 🙂

          • Artur Antunes disse:

            Você tá falando dos pergaminhos do mar morto? Tu tá ligado que naquele manuscrito antigo diz que Jesus se casou com Maria Madalena.
            Também tem aquela inscrição tirada da Bíblia que Jesus dizia que ele estava em todo lugar, por isso não precisava adorá-lo em igrejas.

        • Junior disse:

          Então por incrível que pareça ele se arrepende algumas vezes na bíblia em razão pela mesma razão de também nos arrependermos pois foi nos dada a imagem e semelhança de deus e com isso veio o livre arbítrio que as vezes nos faz tomar decisões que nos arrependemos não em razão de estar certa ou errada e sim pela razão que fomos vingativos ou perdemos a mão quando podíamos ser benevolentes e misericordiosos.

          Seguimos essa religião ou aquela Artur por um fator de crença que no meu caso é superior ao fator de descrença são fatores pessoais que no meu caso tornam impossível negar a existência de deus ou achar que ele não existe, e seguimos a bíblia pela mensagem dela, pelo menos no meu caso, e não pelo o que está escrito como fosse um manual, e entendemos que algumas coisas que estão escritas nela estão defasadas ou faziam sentido em outra época mas hoje não fazem mais até pelo fato que vc descreveu que ela sofre interferência e edição do homem.

          Vou te dar um exemplo pratico disso embora a a bíblia diga que se você não acreditar em deus você não estaria salvo ela diz que vc tem o livre arbítrio concedido por deus para decidir se vc vai acreditar ou não nele então a mensagem para mim que embora eu não concorde com vc sobre a existência de deus eu defendo veementemente seu direito de escolher se ele existe ou não.

          • Artur Antunes disse:

            Junior, deus cristão sabe o passado, presente e futuro. Assim, é impossível tomar uma decisão errada. Ele sabe as consequências de qualquer ação dele. Isso dele ser arrepender pode ser tipo uma metáfora, embora em lugar nenhum deixa certo isso, porém eu acredito que a bíblia foi escrita para ser algo literal e depois que ela foi se contradizendo, começaram a dizer que ela tem que ser interpretada de um modo diferente que foi escrita. Isso me lembra quando os fanáticos de Star Wars tenta explicar porque aquela luta do episódio 4 é tão ruim, dizendo que é porque eles estavam cansados e tal, mas esquecem que foi uma parada que simplesmente fazia sentido na época. Claro que com o passar dos anos, principalmente no começo da era cristã, muita coisa foi tirada e outros colocadas na bíblia.

            Esse negocio de livre arbítrio é algo confuso. Tem um canal americano de TV com dois ateus que dizem que isso é a teoria de “deus o chefão da mafia”. Ele te dá direito de fazer qualquer coisa, mas se você não seguir os mandamentos dele, vai pagar eternamente no inferno, sendo que coisas ruins podem acontecer com você em vida. Não sei se concordo que ele é um chefão, mas é um conceito que eu não entendo.

  23. Renan Aspira disse:

    O episódio foi bem “chapa branca”. Não tentou ofender ninguém, ficou meio na retaguarda. Não os culpo, é difícil passar pelo campo da religião sem pisar em uma mina terrestre. E ninguém quer sair ofendendo grande parte dos ouvintes.

    Mas o problema é: não dizer que religião é ruim ofende os ateus. Nem todos, claro, mas uma boa parte. Não é a toa que odeio a ATEA e suas fotinhas falaciosas no Facebook.

    A maior parte da minha vida (tenho 18 anos) eu fui católico. Sou catequizado e crismado. Vim de uma família muito católica, mas felizmente bem liberal. Sempre questionei as coisas, mas não parava por ai. Meu Deus, quando era criança, não era mais o mesmo Deus Católico. Eu adaptei tudo que me ensinaram na Igreja com o que eu aprendia na escola ou achava mais correto. Próximo de minha adolescência eu comecei a parar de ir a Igreja, só fui por causa da Crisma. Quando tinha uns 16-17 anos pensei e me tornar budista. Li livros sobre essa religião e quase fui procurar algum templo budista. Mas desisti da ideia (mesmo aplicando certos ensinamentos em minha vida) e me tornei agnóstico. Não escolhi ser agnóstico, só me denomino assim porque um dia eu olhei pra mim mesmo e já era isso. E as disciplinas de filosofia na universidade só me fizeram me fixar mais nessa posição.

    A existência de Deus(e, porque não, deuses) é possível assim como sua ausência. A discussão é puramente metafísica. A ciência, hoje não pode discutir a existência de Deus por ser empírica.

    Além de que a ciência e a filosofia são verdades provisórias, mas não vou entrar nesse mérito.

    Por fim, vou explicar o que o Spohr falou do Hume. Para Hume todas as nossas idéias são empíricas (com algumas exceções), ou seja, vem de observações e sensações factuais. Até hoje o Sol nasceu, essa experiência eu possuo. Mas eu não posso, de forma alguma, afirmar de forma absoluta que o sol nascerá amanhã porque não tenho essa experiência. Não existem provas que as leis da física serão as mesmas amanhã. Nós cremos que serão as mesmas.

    • Artur Antunes disse:

      Não tenho muita coisa contra a ATEIA. Eu acho que eles tem o direito de divulgar assim como os religiosos a suas crenças nessa questão, porém eles são meio agressivos demais, tanto que não geram entendimento e sim ódio.

      Sobre a existência de deus, bom eu acho dar esse direito de duvida sobre ele é coloca essa questão em um pedestal. A maioria das pessoas não acredita em Buda, Alá, Zeus e um monte de outros deuses, porém deus elas dão o direito da dúvida. Tem um vídeo de fala sobre isso: http://www.youtube.com/watch?v=B2prg7myi5Y

      • Renan Aspira disse:

        Odiar foi demais. 😛

        Mas que é chato é. Talvez seja porque meu mural fica cheio direto. :S

        • Artur Antunes disse:

          Acho que a campanha vai mais para conscientizar as pessoas que precisam de leis mais fervorosas e convencer outras que acham que maltratar animais é certo. De qualquer jeito eu também não gosto de ver animais sendo maltratados na minha timeline, mas acho justa a luta.

          Sobre os Ateus de facebook, postando um monte de coisas toda hora, algumas um pouco agressivas, outras bem mentirosas, eu acho que eles são tão chatos quanto os crentes que ficam tentando convencer todo mundo a entrar na igreja deles. É uma parada desagradável você estar em casa tentando se divertir e ver esses negócios toda hora. Se fossem campanhas exigindo tolerância, eu até apoiaria, mas sempre são umas paradas agressivas a religião. Esses dias eu vi um pessoal comentando de “como todo Ateu é chato, querendo que todo mundo saiba o que ele é o tempo inteiro e tocando nesse assunto sempre que tem uma oportunidade”, isto é, esse povo começar a queimar o nosso filme no lugar de buscar a tolerância.

  24. Artur Antunes disse:

    Vou aproveitar o seu comentário para falar um parada para sobre falácia.

    O Junior disse “Prove que Deus não existe”. Vamos por partes

    – Bom, isso ficou parecendo que todos os Ateus tem provas que Deus não existe. Ninguém tem provas que qualquer personagem de ficção não existe. É impossível provar que qualquer personagem de ficção não existe. Eu não posso por exemplo provar que o coelhinho da Pascoa não existe, assim voltamos aquele argumento que foi postado ai do Pirulla que na verdade todo Ateu é Agnóstico, isto é, ele não pode provar que Deus não existe e também não acredita, argumento que não concordo em partes pela definição, pois para mim agnóstico é aquele que apenas não consegue provar que Deus não existe, por isso não sabe de acredita ou não.
    – Eu chego para você e digo: Acreditem em Papai Noel, não façam nenhuma maldade senão não ganharam presentes no fim do ano. Assim você me diz que não acredita em Papai Noel e eu respondo o seguinte “Prove que papai noel não existe e eu não vou acreditar também”. Veja nesse exemplo que fui eu que disse que o papai noel existe, então sou EU que tenho que provar que ele existe e não a pessoa cética. Isso é chamado de falácia da inversão Ônus da Prova, quando você fala qualquer coisa e se alguém disser que é mentira vai ter que provar. Eu não tenho nada contra as pessoas terem fé, crença em algo sem provas, porém simplesmente acredite nisso como o Sphor falou e não tente fazer os outros provarem que não existe algo que você acredita.

    • Junior disse:

      quando eu disse “prove que deus não existe” falei bem claro que era uma brincadeira que faço com meus amigos ateus não que eu precise de provas da sua existência pois eu creio que ele existe e isso está bom para mim, é uma brincadeira que faço em razão de alguns ateus assim como alguns crentes (no sentido do que crer) querem que sua crença seja a verdadeira quando o assunto chega nesse ponto geralmente essa brincadeira gera um impasse que termina um debate e a pessoa costuma entender que não é um questão de verdadeiro ou falso e sim de crença.
      Faço a mesma brincadeira quando eles replicam para que eu prove que ele existe e falo que para mim basta o sol nascer e se por todos os dias como prova e que se essa prova não baste para eles eles devem continuar a acreditar que deus não existe e respeitar a minha crença que deus existe, pois nenhum dos dois pode provar científicamente que ele existe ou não e sim podemos acreditar ou não na sua existência.

  25. “…Na minha visão o papel do ateu é o mesmo que o de Morpheus em Matrix. O que nós queremos é mostrar a verdade…”

    Aí é que você erra (na minha opinião), pois não acho que ninguém “tem que mostrar verdade nenhuma pra alguém”, ainda mais quando a gente fala de religião ou a falta dela… Assim como acho absurdo o Ateu se inflamar todo para falar sobre a inexistência de Deus, acho muito errado um “crente” recriminar qualquer outra religião ou mesmo um umbandista parar na frente da minha loja, descer do carro e deixar rolando no ultimo volume uns atabaques sinistrões como aconteceu semana passada aqui…
    .
    Acredito que mais do que acreditar ou desacreditar em qualquer coisa o que se precisa é tolerância com a opinião dos outros… Só isso.
    .
    .

    • Artur Antunes disse:

      Acho que cada um tem o direito de pregar a sua visão religiosa, porém eu não acredito nesse negocio de mostrar a verdade. Mesmo que eu tenha usado esse exemplo do Matrix, usei no sentido que o mundo que o Ateu vê é mais dark e não tem volta. Acredito que parte dos motivos para as religiões serem criadas é para a gente ter algum conforto que o mal vai ser punido e que quando morremos, vamos continuar a existir como espíritos. O Ateu não acredita em nada nisso e vê um mundo injusto, que a qualquer hora você pode perder a sua vida.

      Uma coisa eu apoio o Sphor: Antes de mais nada eu sou cético. Se um dia eu acha que a religião é de algum modo verdadeira, eu volto a acreditar nela. Não existe uma verdade e assim a busca pela verdade constante.

    • FrankCastle disse:

      “um umbandista parar na frente da minha loja, descer do carro e deixar rolando no ultimo volume uns atabaques sinistrões como aconteceu semana passada aqui…”

      Fala verdade, Jabour: tu ficou foi com medo de não dar desconto pra ele e o maluco colocar o seu nome na boca do sapo! hahahahah (Só para aliviar a tensão 😛 )

    • Cleverson disse:

      Os cabelos acabaram quando passou de 50 comentários no primeiro dia…
      Agora já era.

    • .
      .
      Nisso eu concordo contigo e é o que falamos sobre o “controle de massa”… Ele pode ser considerado bom (com muitas ressalvas) quando mantém a ordem e o bom comportamento das pessoas…. O problema é que muitas vezes a parada desvirtua e aparece um gênio do mal querendo abusar das suas ovelhas… Isso é foda mesmo!
      .
      .

  26. Kio (Caio Cesar) - 40 anos - Salto/SP disse:

    Alguns comentários me entristecem. Acabam provando que a religião (ou falta dela) anda de mãos dadas com a intolerância… onde quer que vá. 🙁

    • Artur Antunes disse:

      Eu acho que ninguém aqui está ofendendo ninguém. Está acontecendo um debate saudável.

      • Kio (Caio Cesar) - 40 anos - Salto/SP disse:

        Intolerância não é sinônimo de ofensa, Artur.
        Mantenho minha opinião.
        .
        O fato de estar abaixo de um comentário seu não quer dizer que tenha sido direcionado pra você. Nesse caso, teria usado a opção “Responder”.
        .
        Abraço. =D

        • Artur Antunes disse:

          Intolerância? Onde? Estamos discutindo religião aqui, então é claro que não vamos concordar um com os outros, mas eu acho disso meio diferente de intolerância.

          Edit.: Sim claro, mas eu sempre fico com medo de passar dos limites nessas questões. Só estava fazendo uma checagem. 😀

          • Kio (Caio Cesar) - 40 anos - Salto/SP disse:

            Há discordâncias e discordâncias, Artur.
            Prova disso é que estou vendo uma coisa que você não está. Você acha uma coisa, eu outra.
            Tolero sua opinião e espero a recíproca.
            .
            Você pode afirmar que foi assim, como nosso caso, em todos os comentários acima?
            .
            Se sim, respeito sua opinião, ainda que não concorde.
            .
            Simples assim.
            .
            E olhe que nem estamos tratando sobre o tema em si, mas as reações que causaram. 😉

          • Artur Antunes disse:

            Realmente, em alguns casos aqui aconteceram alguns intolerâncias, mas talvez tenha sido mal entendidos também.

            Eu admiro a coragem do pessoal do Piratacast em fazer um podcast sobre isso. Apesar de religião ser uma questão muito importante, é muito polêmica. Dos 3 assuntos, eu acho uma verdadeira frescura apelar com futebol, porque é apenas um jogo, politica dá discussão, mas religião é a parada de explica e dita as regras de como as coisas tem que ser, interferindo na politica (como na questão do aborto, prostituição, etc) e cada um pensa isso de um jeito, mesmo estando na mesma religião.

    • Artur Antunes disse:

      Mas se eu tiver, já me desculpo aqui, embora não posso me desculpar caso esteja ofendendo as pessoas simplesmente por não acreditar, mas se eu sem querer ofendi pessoalmente alguém, fica ai as desculpas na conta. Esse assunto é bem polêmico, sendo difícil discutir caso se preocupe demais em não ofender. Eu diria quase impossível.

      • Junior disse:

        Artur como kio disse acima acho mesmo que talvez alguns comentários tenham sido agressivos, mas não incluam neles os seus acho ótimo seus argumento e incentivam bem o debate querendo mande mais e discorde de tudo pois o melhor do debate sobre um assunto e que nos leva a aprender mais sobre ele e conhecer mais lados e pensamentos sobre ele.

    • aLx disse:

      Concordo com o Kio. Me preocupa a forma como os comentários são colocados.
      .
      Sempre que existe uma discussão entre ateus e crentes, os ateus acabam colocando que quem escolhe acreditar é ignorante.
      .
      Sou a favor que cada um acredite — ou não acredite no que quiser.
      .
      Com respeito.
      .
      Eu, que acredito em Deus, Jesus, Anjos, Diabo etc, posso perfeitamente ser amigo de ateus com Rodrigo do Quarto Sinistro e Danilo Luis.
      .
      Mas confesso que meu sentimento de amizade seria duramente abalado se um destes me chamasse de ignorante por pensar de forma diferente.
      .
      Pra mim, falar que religião é Maléfica já denota falta de respeito. E mais, se para o ateu a religião é igual a NADA então ela não pode ser nem maléfica nem benéfica.
      .
      Acho que a verdadeira mensagem que deveríamos passar adiante — ateu ou não — é a do respeito. Se houvesse respeito entre a humanidade, quantas guerras teriam sido evitadas?
      .
      De todas as discussões, a que me causa mais mal estar é esta, de religiosidade.
      .
      Minha esposa é atéia e já discutimos muito sobre isso. Mesmo ela nunca conseguiu colocar seus pontos de forma que não fosse ofensiva.
      .
      Talvez — COMENTÁRIO JOCOSO MODE ON — falte no coração dos ateus, o amor de Deus! kkkkkkk
      .
      Fiquem todos em paz, com ou sem Deus.
      .
      O que realmente importa é que as nossas amizades sobrevivam a esta discussão e isso só vai acontecer com RESPEITO nas argumentações.
      .
      aLx

  27. Junior disse:

    Deixa te dar uma explicação da razão do substantivo abstrato ser escrito como se fosse um nome próprio, segundo a os textos judaicos ou a mitologia judaica, que como eu disse em outro comentário nada tem haver com a verdade ou a falsidade e sim um conjunto de historias que se baseiam uma tradição, o nome verdadeiro de Deus é impronunciavel e incompreensível, por isso todos os nomes atribuídos a ele são apelidos e pela mesma razão que escrevemos Jabour com letra maiúscula mesmo sendo um apelido do Maycom ou escrevemos Junior mesmo sendo um sufixo que significa o mais jovem e não o meu nome que é Carlos escrevemos Deus com a primeira letra em maiúscula quando nos referimos ao deus judaico/cristão .

  28. FrankCastle disse:

    Fala aí galera!

    Fiz meu exercício de fé e li os 90 comentários 😉

    Sobre o cast em si, o que vou dizer é apenas uma observação, não é crítica: achei que foi bem neutro ou “chapa branca” como o Renan Aspira disse. Não que isso seja ruim, mas o que houve foi mais uma conversa e compartilhamento de informações e não uma “discussão” (que foi o que houve no de política).

    E isso, de certa forma, foi bom (ou não) pois forneceu de forma neutra “armas” para cada um chegar aqui nos comentários e usá-las. Pois aqui sim, houve “discussão” 😛

    Fui criado em família católica, fiz catequese, fui a missas, retiros, etc. Porém nunca tive muita fé (via aquilo como um curso natural, como se fosse escola). Por volta dos 18 anos caí na real, vi que era realmente ateu e tornei isso público (saí do armário como dizem, piadas à vista). Porém, ao contrário da maioria dos ateus (creio eu 😛 ) não sou ateu por chegar a uma conclusão lógica de que Deus não existe, mas sim porque… simplesmente não acredito e tenho para mim, que realmente Ele não existe.

    Acho que esta questão de fé (em Deus) é irracional (não no sentido da pessoa ser sã ou louca, mas de ser algo movido por sentimento, emoção). Acho que quem crê (em sua maioria), também não é por causa do que está escrito na bíblia ou em provas materiais, mas sim porque simplesmente sente alguma coisa e crê. Sendo assim, muitos argumentos de ambos os lados podem ser em vão, quando as partes conflitantes discutem.

    O que realmente me incomoda na Religião, são coisas como: não pagar impostos ou fornecer certas regalias e exceções. Pelo que lembro, antigamente, líder religioso tinha direito a cela especial. Outro exemplo é esse:

    http://jesusmanero.blog.br/ateu-ganha-direito-de-usar-escorredor-de-macarrao-em-foto-oficial/

    O cara da foto aí pode ser um idiota, sem o que fazer? Sim. Porém, porque um cara que curte usar boné comum não pode tirar uma foto oficial com ele e um praticamente de religião pode? (mesmo que seja o mesmo tipo de boné).

    Alguns ateus apareceram por aqui e escreveram bastante. Isso acontece, porque geralmente os ateus incentivam este debate, ao contrário de alguns crentes e pessoas mais conformadas com a a religião e seus costumes impostos na sociedade. O que acontece é que alguns podem se inflamar e se exceder mais do que os outros. Particularmente, não curto ficar xingando gratuitamente Deuses, santos ou divindades em geral, falando palavrões, essas coisas. Acho até meio sem sentido (ainda mais para quem não acredita que essas coisas existam).

    Porém, parafraseando Daniel Sotto Maior, acho que devemos respeitar as pessoas e não aquilo em que elas acreditam. E é aí que muita gente se ofende à toa: não é porque eu falo mal da sua religião ou da sua igreja, que estou falando mal de você. E, geralmente, pessoas que interpretam isso erroneamente atacam a pessoa e não seu argumento. (Ad Hominem).

    Talvez eu pudesse falar mais, mas comentário ficou muito grande. A última coisa que eu queria comentar é:

    .

    Pessoal, vejo que muitos de vocês andam usando “.” (ponto final) para separar parágrafos. Mas em verdade vos digo: isso é coisa do Antigo Layout do blog. Sei que por muito tempo, vocês seguiram esta doutrina. Mas com a chegada da Reformulação do Blog e o Novo Layout isso foi anulado!

    Vejam, eu não usei o ponto e houve a quebra de linha (espero que nenhum engraçadinho edite para me sacanear, heheeh). Abaixo o ponto final perverso e desnecessário, viva o Enter benevolente! 😉

    Um grande abraço!

    PS – O SENTIDO DA VELA: Pô, já ia me esquecendo: ninguém solucionou a questão da vela do Junior! Pô, o pessoal consegue interpretar várias escrituras, abstraí-las e não conseguem explicar O Sentido da Vela? 😛

    Bem, eu também não sei, mas eu arriscaria algo assim: a sua chama representa o movimento da vida. O derretimento de sua cera, a passagem dos anos e ao final do seu pavio, a fumaça que é abstrata sobe, representando o espírito saindo do plano material. Essa mesma fumaça, se mistura aos ares que darão o sopro de vida e uma alma ao bebê recém-nascido que deixa o ar entrar em seus pulmões pela primeira vez! XD

    • .
      .
      “…Pessoal, vejo que muitos de vocês andam usando “.” (ponto final) para separar parágrafos. Mas em verdade vos digo: isso é coisa do Antigo Layout do blog. Sei que por muito tempo, vocês seguiram esta doutrina. Mas com a chegada da Reformulação do Blog e o Novo Layout isso foi anulado!…”
      .
      Como pode ver é um hábito antigo e mesmo sabendo que não precisa mais dos “.” vai ser difícil eu parar de usar. hehehe
      .
      “…Bem, eu também não sei, mas eu arriscaria algo assim: a sua chama representa o movimento da vida. O derretimento de sua cera, a passagem dos anos e ao final do seu pavio, a fumaça que é abstrata sobe, representando o espírito saindo do plano material. Essa mesma fumaça, se mistura aos ares que darão o sopro de vida e uma alma ao bebê recém-nascido que deixa o ar entrar em seus pulmões pela primeira vez! XD…”
      .
      And we have a winner. hehe
      .
      .

  29. Diogo Lopes Bastos disse:

    Religião sempre é um assunto dificil de conversar sem magoar alguem, você fizeram um ótimo trabalho. Sou Espirita e tenho meu ponto de vista a respeito de vários assuntos. Mas acredito que todas as religiões se complementem de alguma forma, o maior problema são algumas pessoas que por falta de conhecimento criam uma imagem errada da religião (como acharem que o Espiritismo tem ligação com macumba, todos os Evangélicos enganam para ganhar dinheiro, católicos são contra a ciência e seus avanços, entre outras). Ainda bem que pessoas assim estão diminuindo cada vez mais.

  30. Opá, falae pirataiada,
    Primeiramente gostaria de me desculpar por esse tanto de tempo sem aparecer por aqui, desde o começo do ano e passei por uma porrada de coisas na vida, desde iniciar um relacionamento, mudar de cargo na empresa, ter que cuidar do meu pai e outras coisas, inclusive agora eu estou namorando e a vida finalmente começou a engrenar!
    Vou tentar organizar meu raciocínio seguindo a ordem das minhas anotações do cast.
    Inicialmente gostaria de dizer que concordo com o Cleverson, quando o mesmo disse sobre a definição de religião e que o conceito de crença e religião acaba sendo confundido as vezes (não estou tentando dizer que ele esta certo ou errado, só vejo da mesma maneira que ele)
    Eu fui criado em igreja, desde meu nascimento, tive uma educação católica e fui frequentador até mais ou menos os meus 13 anos, que foi quando comecei a ter aula com um professor de história com ideias voltadas mas para o lado do ateísmo… Não que eu tenha deixado de acreditar em deus de um dia para outro, porém somado a isso, via que muita coisa pregada na igreja, não era posta em prática pelos fiéis, inclusive dentro de casa, além disso, ocorria uma certa falta de respeito por parte dos jovens que ficavam se pegando dentro da parte da sacristia da igreja durante a missa, isso acabou me desmotivando a frequentar a igreja… Passei anos voltado para o lado da racionalidade e a negação do espiritual, chegando ao ponto de parar de acreditar em deus, me baseando na “ciência” para tal. Porém hoje em dia eu penso de maneira diferente, acredito que precisamos sim acreditar num ser superior, ter uma espiritualidade, mas principalmente fazer o bem, criticar quem faz coisas erradas, não justificar seu erro com o erro do outro, ser honesto não importando o preço, não ceder as tentações, me indignar com a corrupção e tentar mudar essas coisas. Poderia citar diversas outros pontos mais importantes do que ter uma religião, mas acho que iria me prolongar muito, para concluir essa parte gostaria de dizer que acredito sim numa vida após a morte, mas de uma maneira mais ligada a transformação da matéria e que a alma ou espirito não precisa necessariamente ascender, mas pode simplesmente se transformar.
    O Junior citou que a religião em si na maior parte das vezes tem boa intenção, que prega coisas boas, mas que o ser humano acaba por perverter muitas vezes essas intenções em beneficio próprio, mas sinceramente eu acho isso um pouco de inocência, tendo em vista que a religião é criada e vivida por seres humanos e exclui-los da equação não faz sentido nenhum. Pra ser mais claro quero dizer que eu concordo que no inicio da religião ela tem bons propósitos, mas basta aparecer um interesseiro e isso acaba por ser pervertido. (Junior, não fica chateado não, =*)
    Gostaria de dizer também que eu não tinha ficado emocionado assim com um piratacast desde o depoimento do amigo homossexual que contou sua dificuldade de se revelar por conta da família e da sociedade. Digo isso pois me emocionei muito com o depoimento do Junior sobre suas experiências de quase morte e sua vontade de retribuir essas chances que lhe foram dadas.
    Pra finalizar, foi dito no cast que a maior parte das religiões tem começo meio e fim, mas logo depois disseram sobre os ciclos de renovação, como acontece no hinduísmo e em diversas outras crenças (vcs tão tudo malucos se contradizendo auheheiuhea)
    Abraços e tentarei ser mais presente!
    Do seu moderador sumido
    Fabiano F. Loureiro

  31. piratamascarado disse:

    Ainda não ouvi todo, mas discordo da parte em que a religião pode ser usada como “controle de massa” como uma forma boa. Ao meu ver a religião já está muito deturpada para defender algum proposito com alguma lucidez. Será que precisamos dessa mitologia toda de uma religião somente para defender boas atitudes? É preciso mesmo criar todas essas metáforas para alguém entender que não se deve fazer tal coisa? Ao meu ver a bíblia tem muito aspecto de livro histórico e fica difícil para pessoas céticas crer algo nela como verdade (até mesmo crianças já duvidam), deixando espaço apenas para pessoas “ignorantes” se apossar dessas ideias, mesmo que sejam com boas intenções. Concluindo: Será mesmo proveitosa essas metáforas que só serão aproveitadas por pessoas fora do senso de realidade? É como vocês falaram dos presos, aposto como a maioria que se “converteu” está apenas rebatendo informações da biblia sem muito proveito.
    Talvez as coisas certas ou erradas só precisem serem discutidas por si só, como uma ciência,
    e não como um amontoado de histórias que não são levadas nem ao menos como ficção…

    • Artur Antunes disse:

      Um assunto interessante sobre esse controle de massa. Uma parada meio polêmica. Apesar de ser ateu, eu acredito que o controle da massa é importante. Hoje, a maioria dos ateus ou agnósticos são assim por filosofia e pessoas que pensam muito sobre essa questão, acabam sendo pessoas mais esclarecidas. Vejam lá, não estou dizendo que uma pessoa crente é burra, muito pelo contrário, se ele pensou em todas essas questões, continuando crente ou não, a pessoa pelo menos consegue dizer porque acredita ou não, porém a maioria das pessoas simplesmente segue a maré. Se os pais são crentes, ele acredita em deus, se os pais são ateus, ele não acredita, nem para para pensar nisso. A mesma coisa também pode se repetir com politica, isto é, preguiça de pensar sobre algo que é muito importante. Essas pessoas infelizmente são o gado, aquelas pessoas que só fazem as coisas certas porque alguém proibi elas de fazerem as coisas erradas, mas o pior é que eles não são minoria. Por isso que a religião e o estado são importantes. Tem muita gente, como eu, que independente se deus existe ou não, não fará algo errado porque pensa nos outros e acredita que fazer a parte dela para um mundo melhor é uma obrigação, mas outros, principalmente no Brasil, só pensam em si mesmos e a situação não é pior porque tem um estado que prende e uma religião que condena. Tá certo que nem o estado e nem a religião são perfeitos, mas não sei se temos alternativas melhores.

      • piratamascarado disse:

        O problema é que estamos inteligentes, hoje em dia não cola mais dizer “Faça o bem porque você não irá para o céu”. Que tal falarmos da vida real? Se uma igreja agisse ao ponto de falar totalmente com uma base científica, talvez não atraísse só pessoas “ignorantes”, e sim todos! Ou seja, para a igreja funcionar, ela teria que deixar de ser religião como conhecemos hoje. Parece absurdo mas reflete praticamente o que eles disseram no podcast: Se todas as metáforas da bíblia são na verdade explicações do surgimento da vida pelo meio da evolução e não do criacionismo, por que ainda existe religião então? Sinceramente, não tem mais espaço para religião no mundo de hoje, o país só vai para frente se não ter. Temos que pensar por si próprios e aprendermos a ser bons sozinhos. Coloca estudos sobre ética/moral nas escolas e pronto, quanto mais tom cientifico a sociedade possuir, mais ela estará atraída sobre esses assuntos de uma forma mais “correta”. Afinal, existe sim uma verdade universal, mas ela precisa ser discutida e alcançada.

        • FrankCastle disse:

          Não sou a favor de ensino religioso nas escolas, pelo menos não de forma obrigatória.

          @piratamascarado “não tem mais espaço para religião no mundo de hoje, o país só vai para frente se não ter”

          Cara, desta forma que você fala soa como uma ditadura. Mesmo que a maioria da sociedade concordasse em banir a religião, ficaria parecido com uma Idade Média (das Trevas) às avessas.

          Não vejo problema nenhum da religião continuar existindo, desde que o Estado seja laico de verdade, não só no papel.

          Ao meu ver, essas “evoluções” que as religiões vem tendo, muitas vezes são para conseguir maior aderência de fiéis. Muitos deixam religiões com regras muito rígidas e partem para outras mais liberais. Muita gente que participava de alguma religião, frequentava alguma igreja, hoje diz para mim que tem um lado espiritual independente de religião. Ou seja: acredita em alguma coisa sobrenatural, mas não quer mais seguir as regras impostas pela religião (ou segue apenas as regras que lhe convém).

          O que muita gente quer, é apenas se reunir para compartilhar uma crença e não se prender à regras. Imagino que a tendência é cada vez mais as pessoas se desprenderem da religião (apenas acreditar em Deus ou Algo Superior sem seguir nenhuma doutrina). Acho que a diminuição das Religiões ou até extinção delas vai ser um processo de seleção natural.

          A tendência pode ser de surgirem mais Agnósticos e Ateus por aí, a medida que o preconceito for diminuindo e a aceitação aumentar. Porém, a coisa pode ser cíclica: talvez no futuro, com exploração espacial, essas coisas, surjam novas crenças e religiões, tipo “Unitology” do Dead Space, heheh.

          Apesar de não curtir religiões, tenho que admitir algo que admiro na maioria delas: conceito de comunidade. Se no Brasil houvesse a mesma força, empenho e comprometimento dos cidadãos que há em certas religiões, muita coisa poderia ser diferente para melhor.

          • Artur Antunes disse:

            “Cara, desta forma que você fala soa como uma ditadura. Mesmo que a maioria da sociedade concordasse em banir a religião, ficaria parecido com uma Idade Média (das Trevas) às avessas.”

            O que te faz pensar que os ateus iriam perseguir os religiosos? Diferente dos crentes, nós não temos um livro sagrados que diz que quem não tem nossa visão religiosa tem que morrer. Sério, é um pergunta mesmo, porque eu não entendi essa afirmação.

            Também sou contra o ensino religioso em escolas. Na verdade sou contra ensino de qualquer visão religiosa, inclusive se for de cunho ateísta nas escolas. Claro que ensinar evolução para mim é diferente de ensinar ateísmo, mas muita gente não concorda.

          • FrankCastle disse:

            @Artur Antunes
            Estou respondendo aqui porque acabou o nível de resposta. XD

            Cara, acho que fui meio extremo e me expressei mal, assim como o @piratamascarado talvez tenha feito.

            Só para deixar claro: Sou a favor de um Estado Laico de verdade, mas sou contra banir a religião na marra. Tipo: uma coisa é a pessoa deixar a religião de lado porque quer, outra é deixar de praticá-la porque foi proibida pelo Estado, como dizem que aconteceu na União Soviética de Stalin.

            Não estou aqui para defender “a causa do ateísmo”, estou apenas colocando alguns pontos de vista. Acho que seria muito pretensioso da minha parte dizer “os ateus fariam isso, os ateus não fariam aquilo”, pois além da religião, existe política e muitas outras questões. Muitos ateus tem em comum só o fato de serem ateus mesmo. Pois uns são de esquerda, outros são de direita, uns são liberais, outros a favor da ditadura, etc, etc, etc.

          • piratamascarado disse:

            Pois é, é bem isso o que o @ArturAntunes disse. Como ciência pode ser uma ditadura? Você pode pensar em tudo na ciência, desde coisas sólidas até em fé no desconhecido.

            Existe uma diferença entre ditadura e deixar tudo acontecer no mundo. Até porque, se fosse tudo liberado nem leis teríamos. Deixar as religiões soltas como verdades é o mesmo que deixar nossas crianças acreditando em seres inimagináveis. Isso não é bom para sociedade, é bem maluco se pensar bem. E não precisamos de mais insanidades no mundo, precisamos de pessoas pé no chão, capazes de tomar decisões por si próprias, porque as respostas do mundo não estão em nenhum livro, elas são relativas.

            Não basta ensinar apenas um mandamento de “Honrar pai e mãe” e achar que está educando o filho bem. E os casos onde os pais maltratam os filhos? Já tem um furo de roteiro na bíblia logo nos mandamentos?

            Educar com religião realmente é uma furada, é fantasia.

            Religião sim é uma ditadura…

  32. Kio (Caio Cesar) - 40 anos - Salto/SP disse:

    Voltei para contar um fato interessante, ocorrido em uma missa, com um padre que já tinha passado dos 80 anos (ou seja, da “velha guarda”) que, comentando a leitura do Evangelho, fez questão de “corrigir” as informações lidas.
    A leitura tratava da peregrinação de 3 indivíduos (perdoem por eu não lembrar direito) que durou “x” dias e percorreu “x” quilometros. O padre em questão (falecido, infelizmente) contou que percorreu o caminho descrito na Bíblia e disse que a distância não estava correta e, provavelmente, nem o tempo descrito.

    Trouxe esse fato à baila para lembrar que nem todos os que doutrinam são bitolados, e isso serve para qualquer religião.

    Senso crítico nestas horas é ouro. 😀

    • Cleverson disse:

      Justa a observação do padre mas foi levado em conta os milhares de anos, que podem ter alterado a geografia do lugar?

      🙂

      Mas mesmo assim, concordo com a sua conclusão e seria muito bom se existissem mais padres/evangelistas/doutrinadores e afins com a “iniciativa” do que você citou.

  33. Que achado esse podcast! estou fazendo um projeto de pesquisa sobre comportamento humano e religião, e apesar de ser em informado sobre o assunto, lendo vários livros sobre o assunto, o podcast me ajudou a ter uma ‘revisão’ do conteúdo.
    O pessoal fala de forma clara e informativa, sem deixar virar algo maçante ou formal demais. Expuseram suas opniões e acredito não terem ferido credo algum.
    Já foi feita a correção, mas quando spohr fala sobre o livro, o autor é richard dawkins (deus um delirio) e stephen hawking é um físico que fez a teoria sobre buracos negros, mas esse erro não prejudicou em nada o entendiento.
    já estou baixando os outros, longa vida ao piratacast. yo-ho!

  34. Lucas Amura disse:

    Salve, Marujos!

    Só pelo fato de vocês terem coragem de abordar um tema “inabordável” já merecem os meus aplausos.

    Agora, se vocês estão certos ou errados, se as informações estão corretas ou não, é a coisa mais natural do mundo diante de uma discussão como essa. Nunca uma pessoa vai estar certa ou errada. Ela apenas vai abrir a boca e falar, só isso. Algumas coisas serão aproveitáveis, outras não. Simples assim.

    O importante é o que o Spohr disse em um determinado momento do podcast: temos que viver o momento presente. Isso, por si só, já nos dá muito o que fazer.

    Então, para mim, esse episódio de vocês está ótimo e eu o recomendo a novos ouvintes sem medo. Repito o que já disse em algum PirataCast anterior: é por causa de podcasts assim que sou fã dessa mídia, ainda mais quando gente boa, humilde e com vontade decide fazê-los.

    Parabéns!

  35. Estão de parabéns marujos, o programa ficou ótimo recomendo a todos e respeitaram de uma maneira muito divertida e respeitosa na medida do possível a todas as religiões e o Eduardo deu um toque muito bacana e foi bem legal o entrosamento entre vocês valeu por mais esse PodCast e foi muito bacana o Pablo Muniz oferecer um exemplar do maravilhoso livro Filhos do Éden aos ouvintes, bem já tenho os dois Livros do Eduardo e A Batalha do Apocalipse para ficar melhor está autografado não só pelo Eduardo como pelo Alexandre, Deive, Pela Andréia, “Almôndega” e até pelo Afonso “3D” foi um dia muito legal como aquele que estive com vocês no Podcast em Boteco, é muito louco estar frente a frente com pessoas como vocês e ver que são tão bacanas como no programa e ver que são pessoas simples educadas e ouvindo o Pablo Muniz ficar falando como um fã do Eduardo me lembrei de como foi comigo no dia que encontrei com vocês. Bem muito obrigado por tudo mais uma vez.

  36. Angelo disse:

    Ola piratas,
    Gostei do cast. Achei que foi na medida do que ele se propôs a trazer.
    Comecei a ler alguns dos comentários acima, mas acabei desistindo. Os comentários caíram numa discussão de ideologias. Para a maioria, a sua religião, ou a falta dela, vai ser sempre melhor do que a dos outros, independente de qual seja. O mundo é complexo. Até hoje existem pessoas que não acreditam que o homem foi até a lua. Outros acreditam em ETs, assombração, fantasmas. Temos que aprender a aceitar as diferenças. E acho que nisso o cast acertou, tratando o tema com respeito, sem defender nenhuma ideologia.
    Em tempo: Em Roma, algumas igrejas possuem velas que são na verdade pequenas lampadas e, quando se coloca uma moeda, a “vela” acende por um período. Acredito que a vela seja somente um simbolo para facilitar a meditação ou a prece ou relembrar algum ente querido. Assim como a imagem de santos e outros objetos.
    Outra coisa: O espiritismo kardecista, que se baseia na obra de Alan Kardec, não acredita na existência de santos, nem em símbolos ou líderes.
    Parabéns pelo trabalho e um forte abraço.

    Angelo

  37. .
    .
    “Pois de ponto de vista ateu, como já disse antes, partiu do pressuposto que todos teriam uma religião e não foi imparcial.”
    .
    Cara… Quem está sendo imparcial é você, Danilo… Ninguém “defendeu” religião ou religiosidade alguma… Se você ouvir os primeiros 5 minutos do podcast mais umas 3 vezes entenderá que batemos um papo sobre religiosidade dando as nossas impressões sobre ela… Só isso!
    .
    .

  38. No frigir dos ovos eu acho que o mais importante é ter respeito. Respeito de aceitar que cada pessoa tem sua individualidade, sua formação pessoal, suas crenças (isso inclui acreditar na ciência acima de qualquer religião)… Impor tanto sua religião, quanta a falta da mesma é um desrespeito enorme e por esse mesmo motivo as pessoas se ofendem tanto com esse assunto. Quantas guerras não aconteceram/acontecem por esse motivo?

  39. FrankCastle disse:

    Fala aí galera, da minha parte acho que, por hora, não tenho mais nada a comentar sobre a pauta. Mas queria aproveitar que o podcast foi bastante comentado e muitas pessoas estão lendo aqui para fazer um pedido aos ouvintes, leitores e a staff do Baú Pirata.

    Ajudar a divulgar (se acharem que devem doar, doem também) o caso do Oziel, um rapaz de 22 anos que teve um câncer raro na infância. Felizmente, o câncer foi curado, mas várias partes de sua face foram removidas. Tentaram fazer uma reconstrução, parte deu certo, mas ainda uma boa parte para consertar, inclusive ossos que foram removidos.

    Os vídeos (a imagem pode ser um pouco forte, mas nada sensacionalista), são esses abaixo:

    O primeiro, que o o próprio Oziel fez:
    http://youtu.be/3wFS6RX1mPo

    O segundo, que um outro rapaz da cidade dele foi lá na casa dele para esclarecer melhor e dar mais informações:
    http://www.youtube.com/watch?v=_6rg6tj0z1Y

    Confesso que fico com o pé atrás com esse negócio de doações em dinheiro, mas quem fez o pedido foi o próprio Oziel, parece estar tudo bem esclarecido, ele conta agora com um site também:

    http://www.ajudeoziel.org/ajudar.html

    O dinheiro arrecadado será para a prótese que ele precisa (a parte da cirurgia, o Instituto Branemark fará sem custo), o valor excedente que for arrecadado será direcionado ao instituto Branemark (que faz tratamentos e cirurgias de reconstrução facial). Inclusive, no site, está sempre sendo atualizado referente ao quanto foi arrecadado.

    Muitos vloggers, sejam eles de religiosos ou ateus, estão apoiando. Muito foi falado no podcast e aqui nos comentários de se fazer o bem. Eis a oportunidade.

    *Entro em conflito às vezes com este tipo de doação, geralmente fico resmungando dizendo que eu já pago impostos, que quem deveria resolver isso é o Estado. Mas como disseram em um dos vídeos, o cara veio a público pedir nossa ajuda, quem achar que é válido, quiser ou puder ajudar, ajude. Damos joinha em vários vídeos de comédia, games, coisas que gostamos, não custa nada ajudar a divulgar essa causa também. Existem muitos casos parecidos ou até piores que o dele? Sim, mas o cara veio pedir nossa ajuda. E, ao contrário de muitas campanhas e ONGs, a coisa aqui está bem transparente, para quem quiser ver e apurar.

    Se acharem que aqui não é espaço disso, podem apagar o comentário, sem problemas. Um abraço!

  40. Junior disse:

    Preliminarmente parabéns pelo emprego novo Danilo você merece.

    Agora vamos para o seu terceiro ponto, nos não partimos do ponto que todos tivessem uma religião e sim que todos soubessem o que seria religião e eu acho que mesmo o ateu saiba o que é assim como eu sei o que é o saci-pererê mesmo não acreditando nele, são coisas diferentes embora as vezes o resultado possa parecer semelhante .

    O cast foi imparcial e posso te colocar os pontos de imparcialidade dele, no começo assumimos o que acreditávamos como fé assim cada um poderia entender que quando falávamos defendíamos aquele ponto de vista, comparando com futebol seria como antes de cada jogo o narrador assumisse que torce para determinado time você vai esperar que ele seja um pouco tendencioso para o seu time, mas não tira a habilidade dele de falar sobre o assunto e é bem melhor do que ficar em cima do muro sem se posicionar.

    Por esse motivo eu digo esse cast representa a nossa opinião sobre o que é religiosidade se a nossa opinião é chapa branca, parcial ou imparcial depende do seu ponto de vista, e mesmo que eu não concorde respeito.

    O tema do cast em nenhum momento quis debater a ausência de religião em razão de que esperamos fazer uma pauta com esse assunto, apenas introduzir o assunto do que achamos do que seja a religião, o ateísmo merece um cast próprio e que possamos debater nos 90 minutos sobre ele em vez de criar um debate em que os dois pontos, o crer e o não crer, não pudessem ser debatidos corretamente e que acabaria sendo uma cast que um ponto seria levantado por uma corrente e refutado pela outra.

    Fomos tão imparciais nesse quanto no cast 27 Saindo do Armário quando falamos de homofobia e não chamamos nenhum homofóbico ou do cast 17 O Poder é de Vocês em que falamos de boas ações e não chamamos ninguém que fizesse só o mau, não estou aqui comparando o ateu a um homofóbico malvado estou só colocando que as vezes precisamos falar sobre o tema e que uma parte contraria e que negue cada ponto levantado seja ruim para o andamento do programa. E ao contrario do homofóbico, que eu quero que realmente se exploda, eu quero e gostaria muito de ouvir um cast inteiro com as opiniões dos ateus, com a facilidade de termos um cast de religião antes para servir como base e não termos que voltar a debater pontos fundamentais religiosos e sim um debate sobre princípios e filosofias do ateísmo .

    E para finalizar a opinião final do cast citada até por mim é “que se dane a religião seja bom” é uma opinião no meu ponto de vista bem imparcial pois negamos que você como um ateu ou eu como uma pessoa que acredita precisemos de um religião para praticar o bem.

  41. Astrogildo Pitágoras Souza disse:

    Religião realmente é difícil de se discutir, cada um tem a sua e acha que ela é certa e pronto. Eu já fui em muitas e digo que cada uma tem seus pontos positivos e negativos, gostaria de enumerar alguns pontos positivos e negativos de algumas igrejas que já fui. Já fui em muitas outras mas só gostaria de comentar sobre algumas senão vou escrever uma “bíblia” sobre isso.

    Mórmons (Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos últimos Dias) : Gostei muito da religião deles, tudo muito organizado, depois das reuniões tem uma espécie de aula onde eles explicam em salas de aula na própria igreja assuntos relacionados com o dia a dia e com a bíblia. Eles saem de outro país para a “missão” onde ficam dois anos pregando a palavra de Deus e aprendendo outra língua, acho isso fascinante.
    O que não gostei deles é que segundo a religião
    Mórmon eles podem ir para a guerra, tem que seguir a ordem do governante ou seja se o Brasil entrar em guerra com os EUA os Mórmons irão à guerra e matarão seus próprios “irmãos” de religião, perguntei isso a um deles e ele me disse que eles tem que seguir à ordem do governo. Tem que pagar dízimo 10%.

    Testemunhas de Jeová: Essa foi juntamente com os Mórmons a que mais me agradou, muito organizados, tem estudo com suas revistas, Sentinela e Despertái, com perguntas e respostas para fixar na mente o estudo bíblico, saem para pregar a palavra, isso pode ser um incômodo para alguns mas eu até que gosto.
    Ponto negativo: Não podemos doar nem receber sangue. Não tem que pagar dízimo de 10%, pode se contribuir com o que puder.

    Igreja Universal do Reino de Deus: Muito desorganizada, os pastores são treinados a fazerem lavagem cerebral nas pessoas, dinheiro pra tudo, óleo santo, revistas, rifas, colar, jornal, fogueira santa de Israel onde você tem que ajudar para passar nessa tal fogueira. Tem um conhecido meu que conversando com o pastor foi convencido de parar de jogar vídeo-game porque era coisa do capeta e também foi convencido a vender o mesmo para doar à igreja o dinheiro. Muito foda isso. Tem que pagar 10% mais muita muita coisa mesmo à igreja mensalmente. Os pastores dizem que as pessoas tem que pagar mas duvido muito que eles pagam também, eles pegam o dinheiro que as pessoas depositam, isso sim.

    Assembléia de Deus: Achei mais do mesmo, pastores gritando, sem estudo à bíblia, às vezes lêem um capítulo ou outro mas não se aprofundam em nada, ficam gritando como se Deus fosse surdo e ficam cantando desafinadamente músicas de adoração. Tem que pagar 10%.

    Congregação Cristã no Brasil: Também não tem um estudo muito bom da bíblia, homens e mulheres tem que se sentar separados, senão a impressão que dá é que, de repente, podem sair se beijando no meio da igreja, mulheres tem que por véu em sinal de pureza mas podem falar mal da vida dos outros como conheço algumas, os homens podem dar beijos uns nos outros chamados ósculo sagrado mas não gostam de homossexuais como qualquer outra religião. Alguns falam a língua dos anjos, que mais parece uma gritaria desenfreada e aposto que nem quem fala entende porra nenhuma. Não é obrigatório dízimo.

    Católica: A bíblia diz para não adorar estátuas mas eles adoram e dizem que na verdade as imagens são apenas para se lembrar de Deus, não estou achando que é errado ou não, só acho que se eles se propõe a seguir à bíblia e nela diz que não se deve adorar estátuas porque adoram? Que me dêem uma boa explicação pra isso pelo menos.

    Participei de um grupo de jovens uma vez e os rapazes que apresentavam/falavam no grupo pegava váaaaarias mulheres, mas váaarias mesmo, desisti de ir por causa disso e por causa de umas fulanas que lá te abraçavam e tal mas quando te viam na rua fingiam que não conhecia. Não é obrigado dízimo.

    Mesa branca: Achei interessante a dança dos caboclos, girando de branco, eles tem seus santos como na católica, até me consultei com um caboclo, no dia era caboclo criança, teve um que pediu doce, fumava cachimbo e bebia cachaça. Interessante mas só fui porque a menina que eu tava pegando era dessa religião então não tive escolha mas parece ser bem interessante. Não é brigado dízimo.

    Valeu piratas.

  42. Não existe religião perfeita, pois são administradas por homens, que são imperfeitos! Se vc for cristão, siga o que esta escrito na bíblia, que pode ser resumido em amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo com a si mesmo! Agora o que detesto é fanatismo, seja qual for, e aquela pessoa que é ateu e fica fazendo pouco da sua religião, como se ele fosse o detentor de toda sabedoria/ciência do mundo e fosse te alerta pra sair do “caminho errado”!
    Veleu o cast!
    Bené

  43. Caio Glauco disse:

    Bom, conheci o piratacast com este podcast sobre Religião, pela indicação do Eduardo Sales.
    Vcs ficaram meio que em cima do muro, as vezes com um viés mais céptico. Realmente esse assunto dá pano pra manga, simplesmente pq tudo na face da terra é, foi e continuará sendo criado pela mão humana. Tudo, engloba tudo. Quem criou Deus foi o homem e não o contrário…incrível né, mas é verdade. Criaram até o demônio, talvez pq não acreditassem que um ser humano possa ser tão ruim.
    Nós temos toda a força que precisamos dentro de nós mesmos, mas como isso é difícil e complicado de se compreender e usar, criamos seres fantásticos para que resolvam nossos problemas por nós.
    Os piores de todos são aqueles que acreditam que o tal deus, os privilegia ao invés dos que não oram ou não sabem orar, dando carros e outras coisas.
    Gente! A “massa” está sempre errada. Mas como sempre tem gente tirando proveito da “massa”, está tudo bem. Será coincidência sermos um dos maiores paises católicos do mundo e estarmos nestas condições? Quem sabe em outro cast vcs continuam com o tema. T+

  44. aLx disse:

    Boa tarde, Flibusteiros!
    .
    Excelente programa, como sempre!
    .
    Gostaria de saber, quando vocês falam em PROTESTANTES querem dizer o quê? Igrejas como Universal, Batista, CCB, entre outras são protestantes ou apenas evangélicas??? E qual a diferença???
    .
    Para mim, as igrejas protestantes “descendem” diretamente do movimento Protestantista e não sei se estas igrejas se enquadram.
    .
    Hoje em dia acredito muito mais em ser uma boa pessoa do que marcar ponto na igreja. Acredito em Deus e fui educado na Congregação Cristã, que é bastante rigorosa em seus dogmas.
    .

    .
    O lance da trombada da Terra com o “meteoro”, segundo se acredita foi assim:
    .
    – Na mesma “faixa planetária” onde um mundo muito menor que o nosso se desenvolvia, existia outro proto planeta — mais ou menos do tamanho de Marte — e era chamado TEA.
    .
    Alguma influência externa, possivelmente dos planetas gigantes exteriores, acabou desencadeando uma aceleração de TEA, que acabou alcançando a Terra.
    .
    Esta trombada cósmica foi responsável por definir o movimento de rotação em um período de 24h. Isso permitiu que nosso planeta tivesse temperaturas bastante equilibradas e, logicamente, favoreceu o surgimento da vida.
    .
    A Terra, agora ficou muito maior do que antes, pois a massa do pequeno proto planeta foi “somada” ao da Terra primordial. Este acréscimo de massa também possibilitou um campo magnético muito maior e mais eficiente do que o de Marte, por exemplo.
    .
    Este campo magnético conseguiu suportar os raios solares e permitiu que uma atmosfera se desenvolvesse no planeta.
    .
    Outro efeito desta trombada foi o surgimento da Lua, que é uma porção de material que se desprendeu dos planetas no momento da trombada.
    .
    Isso deve ter sido bem legal de se assistir!
    .

    .
    O Eduardo Sphor disse que houve uma explosão na origem do Universo e que os elementos estão se expandindo mas que em algum momento futuro este movimento se inverterá e tudo será mesclado a um ponto infinitesimalmente pequeno novamente, chamado SINGULARIDADE.
    .
    Esta é uma teoria de um Universo “IO-IO” que teria um Início-Meio-Fim-Reinício… Devo dizer que é uma teoria bastante interessante e elegante, pois permitiria que nosso Universo fosse eterno. Infelizmente esta teoria tem sido abandonada pelos físicos atuais.
    .
    Verificou-se que a velocidade de expansão do Universo está sendo acelerada e não reduzida. Hoje, se acredita que esta velocidade irá aumentar indefinidamente e chegará um momento em que as galáxias, estrelas, planetas e todas as células acabarão se fragmentando com a velocidade que alcançaremos. Este fenômeno é conhecido como BIG RIP, ou Grande Ruptura.
    .
    Parece ser um fim bastante trágico. No entanto penso que a ERA DAS TREVAS, quando todas as estrelas esgotarem sua energia e todo o Universo se apagar vai ser beeem mais triste.
    .
    Enfim, era sobre religião, né? Bom, acredito que para fazer tudo isso foi preciso um Deus bastante imaginativo.
    .
    Gosto de pensar que não estamos sozinhos, e porque não acreditar que alguém cuida de nós?
    .
    Abraços.
    .
    aLx

  45. Aharon Sande disse:

    Vou ser sincero, não li os 147 comentários para ver se meu ponto de vista já foi mostrado por alguém.
    Mas basicamente a religião para mim nasceu por um motivo simples, o ser humano, no geral, pensa. Você já ouviu falar de um deus das galinhas, das pedras, dos pinheiros canadenses? Não, por um motivo simples, eles não possuem o “telencéfalo desenvolvido e o polegar opositor” os nossos deuses existiram e sempre foi “humano” pelo simples motivo de nós pensarmos.
    Eu sempre faço a alusão que “deus”, no sentido de o primeiro deus, nasceu com um raio caindo numa árvore a milhares de anos atrás. E os nossos antecedentes disseram um ao outro:
    “- Ugh, ugh? (O que foi aquilo?)
    – Uuugh. (Não sei uma força inexplicável que destruiu aquela árvore e vai nos destruir também senão cultuarmos a ele, mas ele é só amor.)”
    E depois disto ele foi um meme*, sim Deus é apenas um meme, que apenas foi evoluindo para acompanhar a espécie humana. Ele já foi vários deuses, pois precisávamos de explicação para várias coisas e com o tempo alguns deles simplesmente perderam o motivo de existir. Mas ainda existia a necessidade de explicar como foi dito no programa, as perguntas básicas como o “De onde vimos?” ou a maior de todas “Para onde vamos?” e tentamos criar a fantasia do final feliz em qualquer religião que exista. E o meme foi se moldando em nossas mentes, evoluindo, para ele nos dar as explicações que queremos e ignorar todas as outras.

    *Para quem não sabe meme não são na verdade as carinhas, meme é uma idéia. Esse termo foi cunhado por Richard Dawkins no livro “O gene egoísta.”, para mais informação leia o livro ou a wikipedia.

  46. jonathan disse:

    Oi, tentativa de critica construtiva: as vírgulas sonoras ficaram de doer mesmo! elas ficaram muito longas e chatas – me fizeram perder a atenção no cast, acho que poderiam ser usados trechos menores de diversos audios vindos de diversos “livros santos”! no mais parabéns pela coragem.

    • iskilo666 disse:

      O problema da crítica construtiva é quando ela começa ofendendo, e só depois argumenta, acaba sendo mais crítica, do que construtiva..
      .
      Se eu fosse te responder apenas criticando, sairia algo assim:
      “Sua primeira opinião foi de merda, se tivesse prestado o mínimo de atenção, iria entender qual o motivo das vírgulas estarem naquele espaço, serem como são.”
      .
      Mas eu posso responder assim também:
      “Obrigado pela observação, realmente as vírgulas podem ter ficados um pouquinho longas, mas o motivo foi por que elas complementavam o assunto que estava sendo tratado naquele bloco, e ficaria sem sentido se eu cortasse antes da finalização da ideia de cada trecho.
      Tentando evitar que ficassem massantes, eu até aumentei os espaços entre as vírgulas, que no começo estavam na média a cada 6, 7 minutos, e no final acabou ficando entre 10 a 12 minutos”
      .
      Assim eu considero construtivo, evitei ofender com palavras ofensiava, pontuei minha opinião, e expliquei o motivo de a defender.

      • jonathan disse:

        eieiei iskilo, chupou limão foi? quando que eu ofendi alguém? só dei minha opinião… que que vc queria que eu dissesse? “as virgulas estão longas e estafantes” ? se elas tem motivo ou não são outros 500, eu achei elas chatas e prejudicaram minha “audiencia”, não disse que ninguém é bobo feio e tem cara de melão não.

        No mais Bejo na bunda!

  47. Aharon Sande disse:

    Iskilo eu pessoalmente achei as vírgulas muito maneiras. Por ambos os aspectos, tanto pela diversidade religiosa, quanto pela antecipação, digamos assim, do tema.
    E achei interessante o trecho do Alcorão pois foi meu primeiro contato com o estilo dele.

    Vlw.

  48. bpx disse:

    Só pra lhes informar, senhores. Esse tal “Ateu Ortodoxo” que vocês citam, tem nome. O ateismo é frequentemente sub-dividido em ateismo positivo (forte) e ateismo negativo (fraco).
    O ateu forte é aquele que trata a própria inexistência de deus como uma crença propriamente dita. Ele crê que não há um deus, tal qual um religioso crê que há. Quer ele tenha razões científicas pra isso ou não. O ateu cético (ou fraco), como no meu caso, é aquele que, baseado nas própria observações do mundo e do universo, entende como simplesmente improvável a existência de um deus, ou seja, não podemos afirmar que não há, mas também não temos motivo algum pra agir como se houvesse. É simplesmente mais provável que não haja. É assim que entendemos.

    • .
      .
      Mas isso não seria um agnóstico? Porque é exatamente isso que define minha “crença”…
      .
      .

      • Andreia disse:

        Tbem entendo como agnosticismo. Outro dia ouvi que essas definições estariam mais ligadas a ser ou não um ateu militante, ou seja, o forte é aquele que demonstra e defende a sua não crença, disseminando-a e o fraco, é o que não crê, mas não discute o assunto, pois sua ausência de fé ainda está em construção.

  49. Caramba, que coragem tratar desse tema num podcast! Vou ouvir e depois comento!

  50. Gostei bastante do episódio! Parabéns pela forma que trataram do assunto! Foi ótimo saber o que pensam.

  51. sergio disse:

    Qual Religião é a certa?
    Quando se fala em religião se fala de moral.
    Moral de Jesus empregada em todas as religiões do bem.
    Alguém pode dizer com toda a certeza e com toda a sinceridade qual a religião verdadeira?
    Religião e futebol não se discute?
    Você saberia discutir sobre religião, escutar e analisar outras verdades que não a sua?
    Saberia analisar a minha verdade mesmo que não concorde com ela?
    Estamos entre a moral e o fanatismo!
    Sinto-me a vontade pra falar deste assunto!
    Primeiro por que faço parte deste sistema como qualquer um, e tenho opinião própria e me preocupo muito com isto.
    Segundo diz a própria moral quando há discordâncias o correto é debater sobre o erro até se chegar a uma solução no mínimo satisfatória para todos mesmo que ainda não se consiga chegar há uma verdade.
    Deixando de lado a moral propriamente dita, o caminho mais fácil é a separação, cada um pro seu lado, todos se respeitando e cumprindo sua crença e sua fé.
    É sem duvida isto que as religiões estão fazendo, não concorda comigo então fica longe de mim. Eu sou a verdadeira!
    Concorda com isto?
    Dentro de uma família seria esta a solução correta?
    Muitas vezes é! É preferível separar do que acontecer o pior.
    E sabemos que nas historias das religiões muitas calamidades aconteceram.
    E quem foram as maiores vitimas?
    Com certeza nós o povo os fieis e aqueles que tiveram coragem de ir contra os domínios das religiões.
    Muitas mortes houve em nome de Jesus e de Deus.
    Hoje há um silencio duvidoso!
    Desculpas foram pedidas! Com palavra sinceras podem ser.
    Porem os atos superam as palavras.
    De nada adianta desculpas sinceras se os atos posteriores não justificarem.
    Corrigir os erros com atos é o que se espera.
    Porque muita coisa ainda esta errada e justificar com palavras sem atos não vale nada.
    Até a onde nossos guias espirituais estão com a razão?
    Pelos princípios da moral até o momento que quer justificar seus atos e não consegue se fazer entender, porque há outro raciocínio em debate e que também não se faz entender com clareza , ai entra a razão do ser humano.
    Se você não se faz entender com clareza então a minha razão é a certa porque nela eu acredito.
    Isto é o que as religiões estão fazendo entre si, debatem sobre algo fora do conhecimento visível e aceitável por todos, por algo espiritual ainda fora de nosso conhecimento.
    A moral mostra que nestes casos, nem sempre se deve aceitar, mas não diz que se deva separar e brigar por algo que não é bem conhecido por todos e diz ainda que deve-se continuar caminhando juntos de mãos dadas até que a verdade seja revelada.
    A onde termina a moral e começa o fanatismo?
    Eu posso ter uma verdade que acredito muito e esta verdade é contrariada por alguém e ainda não posso me fazer entender, também não posso sair por ai criticando e maldizendo aqueles que não acreditam na minha verdade.
    Guardo para mim até o momento certo que posso justificar e me fazer entender.
    Jesus espera já há 2012 anos para ser entendido, e ainda não foi completamente.
    Não vi na historia que ele tivesse brigado e dividido por isto.
    O fanatismo começa no exato momento que se de fama alguém por não aceitar a nossa verdade mal interpretada e mal esclarecida.
    E é isto que as religiões fazem. Se não acredita na minha verdade, tu é do mal ou demônio como queiram se afaste de mim.
    Só para dar um belo exemplo: Uma amiga casou e foi morar na Itália, e nos enviou um caso que aconteceu com ela.
    Ela tinha uma amiga que estava muito mal de saúde e um padre foi chamado para orar por ela.
    O padre sabia ou ficou sabendo que ela era espírita e não hesitou, mandou que ela se retirasse, ela pela sua religião não poderia ficar ali para rezar também pela amiga.
    Ai eu pergunto até a onde vai a razão e começa o fanatismo?
    Quem realmente deveria debater sobre este assunto?
    Os lideres religiosos? Ou todos que pertencem a este sistema?
    Se religião é uma moral de Jesus mal interpretada ainda, e dedicada a todos não deve ai existir preconceitos.
    Em busca da ovelha perdida, este tema pregado nas religiões.
    Só se pode recuperar uma ovelha perdida se conseguir chegar até ela e depois cuidar com zelo para não fugir outra vez.
    Uma ovelha se cerca de todos os lados até fazer ela ir para onde queremos que vá.
    Em nosso casso, buscar uma alma perdida se faz necessário também chegar perto e com um bom argumento para não afastá-la ainda mais.
    Chegar e dizer fica perto de mim por que sei que estou certo, está comprovado não é um bom argumento.
    Por outro lado dizer, vamos ficar juntos até que tudo se esclareça, eu visito a sua casa, você visita a minha casa, vamos conversar, festejar, orar juntos.
    Ai tudo pode acontecer a verdade não vai ficar escondida para sempre, ou você aceita a minha verdade quando ela aparecer ou eu tenho que ter humildade para aceitar a sua.
    Mas não brigamos mais por isto!
    Refletindo um pouco mais: A onde está o mal das pessoas?
    Quem são os demônios?
    Não posso afirmar que demônios possam mudar para o lado do bem, não tenho este conhecimento.
    Mas as pessoas podem!
    E é isto que importa!
    Se for preciso, para manter as pessoas juntas, que os demônios venham também!
    Que venham!
    Como alguns dizem eles já andam por ai mesmo nos perturbando!
    Melhor eles por perto do que todos separados por doutrinas mal interpretadas.
    Não duvido da fé das pessoas e da importância dela em qualquer religião, a moral de Jesus e a crença em Deus, nos da forças para superar nosso sistema conturbado.
    O mal não tolera o bem e sempre fará o mal, mas o bem é tolerante e tolera o mal até que ele se afaste.
    E agora será isto que eles querem, separação?
    Família é para sempre, querendo ou não estaremos sempre nos cruzando por onde passamos e envolvidos com o sistema a onde estivermos.
    Há divergências sim mas nada que justifique os atos das religiões.
    O que houve?
    Ganância, poder mal empregado, fanatismo.
    Tudo ao contrario do que a própria religião prega em seus cultos.
    Não é nada lógico, pregar uma coisa e fazer totalmente ao contrario.
    O mal separa e o bem une!
    De que lado nós estamos?
    O que é verdadeiro ressurreição ou encarnação?
    Isto tem algum significado pra você?
    Pra mim não, não conseguiram me fazer entender ainda com clareza, então não tem valor ao ponto de discórdias e separação.
    Um dia vou saber, por hora estou vivo e no centro de um mundo cheio de interrogações e de pessoas que querem que as siga sem ficar do meu lado, é tudo que sei.
    Ter um altar com imagens ou sem imagens?
    Altar com imagens para alguns, sem imagens para outros e ainda há aqueles que o altar é a própria natureza.
    A onde está o mal nisto?
    Que todos cumpram a sua fé da maneira que se sentirem melhor, o importante é ter fé.
    O paraíso e o inferno existem?
    Para alguns sim o paraíso e o inferno fazem parte de suas doutrinas.
    Para outros o inferno é o que estamos passando e o paraíso pode-se construir aqui mesmo.
    Para mim só tem uma lógica!
    Seja a onde for eu quero estar no paraíso nem que para isto eu tenha que fazer todo o bem que me é possível e eu espero que seja suficiente.
    E também não justifica nenhuma divisão das religiões.
    O mundo foi criado por Deus que formou Adão e Eva a natureza e os animais, e no sétimo dia descansou ou foi uma grande explosão que originou o universo ?
    Que Deus me perdoe por isto, mas se tiver a oportunidade de estar ao seu lado quero que me diga como foi feito, uma obra magnífica feita do barro ou por uma explosão ninguém supera isto, depois de tantos e tantos anos, não lembro, não vi, não sei?
    Qual o meu castigo por não saber, ou duvidar de quem acha que sabe?
    Será o inferno?
    Na bíblia sagrada diz que Deus criou o mundo do barro e a Eva da costela de Adão?
    Seja qual foi o jeito que foi criado nunca vai deixar de ser divino e maravilhoso e principalmente de ser uma obra de Deus!
    Quanto a Bíblia sagrada, a divisão das religiões começa por ai, mal interpretada, mal discutida, origem do poder religioso de ganâncias e de muitas coisas ruins.
    Eu fico com a Bíblia sagrada no que ela tem de claro que é a moral da doutrina de Jesus e os mandamentos de Deus.
    Que é o alicerce para uma boa estrutura humana.
    No que há divergência entre as religiões não me interessa e nem me faz falta.
    Que elas se acertem primeiro para depois me convencer.
    O único valor que se pode ter é que os dogmas das religiões, são causas para o conflito e é maior que a tolerância e amor que se deveria ter.
    Na nossa ignorância nos deixamos levar, pelos lideres religiosos, em busca de Deus que se reflete na beleza e grandeza de nosso universo e de nossa existência.
    Pequeno é aquele que pensa ter todo o conhecimento nas mãos, e arrasta um povo inteiro no seu erro.
    Nisto tudo o que sobra é o que realmente importa. A verdadeira moral.
    A onde ela se encontra?
    Na tolerância, na paz, na humildade, no entendimento, na amizade, no amor.
    Fugiu desta regra há algo errado e se há algo errado, a moral me diz devemos sim debater e compreender.
    Mas não uma conversa com os lideres religiosos, mas uma conversa de irmãos para irmãos, porque os nossos lideres são a nossa consciência.
    Na minha ignorância, por que já me disseram que eu estou perdido, todos sabemos que temos meios de mudar e passar por este preconceito.
    Nossas crianças, semente germinada em terra fértil, há de dar bons frutos.
    Criança feliz, criança alimentada, criança amada, criança protegida, criança educada sem preconceitos religiosos e políticos.
    Elas podem, se bem tratadas e orientadas na sua geração fazer melhor do que fizemos hoje.
    Muito se faz pela criança, muito longe do que se deveria fazer.
    Natal dia de confraternização, especial para levar as crianças um mínimo de esperança.
    Já passei por isto varias vezes, reunir grupos de pessoas para levar presentes, bolos, refrigerantes para as crianças carentes.
    O que é um dia feliz para um ano de abandono.
    Quem somos nós?
    As vezes considero que somos animais irracional em busca de conforto propriamente dito.
    Hoje dia 2/9/2012, véspera de eleições, preocupação maior na busca por bons representantes.
    O que tem haver religião com política?
    Nós somos um mundo, um universo, temos um só Deus e há de ser uma só verdade.
    Não somos partidos separados, somos um único sistema e o conjunto faz a diferença.
    Sabemos que para se eleger prometem mundos e fundos, mais na pratica não é assim que funciona e o Maximo que eles dizem que podem fazer, nunca é o suficiente para resolver.
    Fazer obras que apareçam é viável para a próxima eleição e o que realmente importa vai ficando pra trás.
    O que quero realmente dizer é que em política, se não for cobrado não se faz o que realmente precisa fazer.
    Fazem obras grandiosas, mas nada maior que a fome de uma criança e o abandono.
    Fazer um numero relevante de crianças felizes o ano inteiro não justifica uma só necessitada.
    Porque sabemos que pode ser feito, muito dinheiro rola no sistema político e criança deve sempre estar em primeiro lugar.
    Toda a criança cuidada com carinho pode sim mudar nosso sistema egoísta de ser.
    Concluindo:
    Religião pela moral e espiritual de nossas criança e a política pela parte financeira e material.
    contato@destakurbano.com.br

  52. Está disposto a escutar a Deus?
    LENDO a Bíblia, percebe-se logo que a situação das pessoas no primeiro século era, em muitos sentidos, similar à nossa hoje em dia. Havia muita imoralidade e desonestidade, notadamente entre os licenciosos vizinhos de Israel, para quem a imoralidade não raro era um componente da religião. A vida era incerta para os pobres, e havia problemas políticos. Por volta de 66 EC, Israel e Roma estavam envolvidos numa guerra em plena escala. Naquele tempo, como hoje, as pessoas precisavam de ajuda.
    Em sentido religioso, as similaridades entre aqueles dias e os nossos são muitas. Os líderes religiosos judaicos eram hipócritas. (Mateus 23:15; Lucas 20:46, 47) No mundo não judaico, as atitudes religiosas oscilavam desde o cinismo até a superstição e o fervor religioso fanático. (Veja Atos 14:8-13; 19:27, 28.) Mesmo na relativamente nova congregação cristã, nem tudo ia bem. Em fins do século, o apóstolo João alertou: “Muitos enganadores saíram pelo mundo afora.” (2 João 7) Sim, também naquele tempo, davam-se muitos conselhos falsificados sobre religião. No entanto, havia à disposição ajuda confiável.

  53. […] Piratacast #36 – Religião […]

  54. Roger França disse:

    Por ter interesse no tema e estar com os livros do Spohr na lista do que irei ler, vim ouvir pela primeira vez um cast do Baú Pirata. Achei até interessante e bem comentado, mas senti uma decepção danada ao ouvir falarem sobre “provar cientificamente que Deus não existe”. Senti uma puta de uma facada no peito ao ouvir isso, e explico por quê. Hoje em dia quase ninguém acredita em Hórus, Zeus, Poseidon, e os cristãos definitivamente desprezam os deuses hindus como inexistentes. E ninguém nunca “provou” que Zeus e os outros não existem. Portanto, dizer que para ser ateu tem que provar a inexistência de Deus é um absurdo. Não preciso provar a inexistência de milhares de deuses e semideuses da mitologia mundial para dizer que eles não existem. É curioso como nós colocamos crenças que já estamos acostumados (Jesus, santos, o próprio espiritismo) acima daquelas já extintas e que apresentam o mesmo número de provas que as atuais: nenhuma. Acho um absurdo colocar uma crença em particular como sendo verdadeira até que se prove falsa enquanto tantas outras são consideradas falsas sem nem conhecê-las.

    Sobre o Spohr em particular, infelizmente ainda não li os livros mas tenho bastante curiosidade (que aumentou depois do cast) a respeito deles e sem dúvida estão entre minhas prioridades dos “fenômenos brasileiros”. Ainda irei ler todos os autores de fantasia atuais porque eu mesmo sonho em produzir nessa área e os admiro xD

    De qualquer jeito, o cast me entreteu bastante e serviu para aumentar minha pequena lista de podcasts que escuto. Abraço!


    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .