Facebook do Piratacast Twitter da Equipe Piratacast TV do Bau Piratacast, Diário de Bordo e Papo Pirata Feed do Site Feed do Podcast Assine no Itunes Entre em Contato

Limbo – Por Sean

26 / out / 2011
Convidado Pirata


Uma criança sem nome e sem passado, apenas dois olhos brilhantes em um mundo de sombras… Isso é “limbo”.

Limbo

“Limbo” é o game de estreia da Playdead, lançado em 2010 para a Xbox Live. Após o período de exclusividade, teve versões na PSN e para Windows PC, via Steam. O game vendeu cerca de 527.000 unidades e arrecadou US$7.5 milhões em renda, ganhando também diversos prêmios no ano de 2010.

“Limbo” é um sidescroller 2d no melhor estilo Mario. No entanto, o que chama a atenção no jogo são os gráficos minimalistas, compostos de tons de preto e branco monocromáticos, iluminação fixa, som ambiente e resolução granulada, trazendo para a tela um clima de constante aflição, confrontando com os traços infantis dos personagens e objetos.

Limbo

A história é sobre um garoto procurando uma garota importante para ele em um mundo sombrio e intimidador. Muitas armadilhas, monstros escondidos e até mesmo os personagens humanos, são capazes de matar o garoto. As fases vão desde uma floresta com crianças enforcadas nas arvores, a uma cidade fantasma semi-destruída.

Limbo

Com uma jogabilidade simples e clássica dos sidescrollers, “Limbo” cativa o jogador pelos puzzles muito bem elaborados, onde o raciocínio lógico é usado em seu máximo. O personagem movimenta-se para frente, para trás, pula e arrasta objetos pelo cenário, tudo é usado para completar os puzzles. Mas não se deixe enganar, pois “Limbo” não é para crianças… A punição para o erro é uma morte criativamente grotesca para o garotinho, o que, em certas horas causa uma grande aflição.

Limbo

Eu conheci “Limbo” ao acaso pensando se tratar de um jogo infantil. Ledo engano… Os gráficos simples e geniais transportam o jogador para dentro de sua própria mente, forçando-nos a reviver um sentimento antigo lá da época do Atari em que era lhe dado um ambiente e um personagem e cabia a você criar toda a sua história (afinal quem nunca pensou que as corridas de Enduro eram a trajetória de Senna para o sucesso como piloto), “Limbo” exponenciou minha criatividade e me deixou usar o meu modo de enxergar o mundo e minha vivência na construção da história do garotinho que em minha mente chama-se Adam. Cada um terá uma experiência diferente com esse game e aí esta toda a sua beleza.

Limbo

Os jogos atuais vendem-se em parte por grandes gráficos, e tramas densas e complexas… “Limbo” prova que quando bem executada a simplicidade é o caminho. Jogue limbo e depois comente aqui o que achou.

Fontes:
http://limbogame.org/
http://www.baixakijogos.com.br/
http://www.xboxplus.net


“Yo, eu sou o Sean apenas um preto, pobre e nerd do interior de São Paulo, estudante fodido que geralmente se importa com o que ninguém mais gosta só para ser do contra. Sonho em viajar no tempo com um carro oitentista e matar Rob Liefeld, Joel Schumacher e a Sr ª Bieber”. Quer me conhecer melhor? Siga-me no twitter @qsi_

Categoria(s): Motim

2 marujos comentaram até agora...

  1. .
    Eu cheguei a jogar o “demo” desse jogo no começo do ano no X-box e adorei. Depois eu fiquei tão ocupado com o trabalho que esqueci dele. Quando saiu pra PC resolvi pegar pra jogar até o fim…

    Achei muito legalzinho os puzzles e empaquei foda em alguns, precisando da ajuda do nosso nerd de plantão (Junior) para resolver uns 3 ou 4… Recomendo que joguem. É garantia de diversão e susto.

    Esses dias eu vi uma notícia (não sei onde) sobre um game brasileiro em desenvolvimento no estilo do “Limbo” e que homenageia a cultura e folclore do Nordeste. Pra quem quiser dar uma olhada, fica o link:
    .


    .
    .

  2. REINALDO disse:

    Eu joguei esse jogo inteiro a algum tempo, peguei uma madrugada de sábado para domingo no ps3 e não parei enquanto não terminei e o que eu não gostei nesse jogo foi o final, que chega muito rápido, acho que são 19 níveis (não tem transição são 19 níveis direto), alguns me fizeram pensar e pensar, outros me fizeram morrer e morrer e morrer, mas consegui finalizar o jogo em uma madrugada apenas.
    Pelo fato de eu gostar de entrar no clima do jogo, ficar vidrado sem piscar e fechar a mente para o mundo externo, devo dizer que ao menos para mim, nessas circunstâncias e jogando à noite apenas com a luz da TV iluminando minha face, Limbo foi um jogo tenso, me causou angustia, suspense e susto muito susto, principalmente quando eu estava concentrado pisava naquela maldita armadilha de urso emitindo um barulho alto e me tirando imediatamente do estado de transe.

    Um dos melhores jogos que já joguei.


    .
    @jabour_rio, @iskilo666, @junior_cq,
    @cleverson, @piratacast, @baupirata