Facebook do Piratacast Twitter da Equipe Piratacast TV do Bau Piratacast, Diário de Bordo e Papo Pirata Feed do Site Feed do Podcast Assine no Itunes Entre em Contato

Piratacast 19 – Trabalho

5 / maio / 2010
Papagaio Pablito


PIRATACAST 19:

Trabalho.

PARTICIPANTES:

Jabour_rio, Iskilo666 e Júnior.

CONVIDADOS ESPECIAIS:

Vanessa (noiva do Jabour_rio), Almighty do Profissional de Bermudas / BermudaCast e Rafael Martins do AperteF5 / AperteCast.

TEMA:

Começamos o mês do trabalhador com uma discussão sobre trabalhos dignificantes ou não! A conversa começou relativamente séria até cair pra esculhambação, como sempre…

Curso Superior é a melhor forma de garantir emprego? Ser empresário significa, trabalhar pouco e ganhar muito? Quais empregos são bons? Quais os piores empregos do mundo? Descubra também como um podcast sobre trabalho pode acabar com instruções de como se dar um peido flamejante!

Escreva sobre suas experiências com o tema no espaço abaixo ou mande seus comentários para o piratacast@gmail.com que comentaremos no próximo Papo Pirata, o nosso podcast de feedback da galera.

Quer fazer algum artigo sobre o tema desse podcast? Aproveite que todos os posts desse mês serão sobre esse assunto e escreva um artigo no Bau Pirata você também! Entre em contato conosco e vire um colunista convidado!

LINKS RELACIONADOS:

Sebrae
Dicas para Plano de Negócios
Portal do Empreendedor
Trotes do Jim no Dwight em The Office
Junior e seu peido Flamejante!
Peido Flamejante

PROMOÇÃO DO BAÚ:

Ouça esse Podcast, faça um comentário e concorra a meias do piratacast oferecidas pelo Maurício Birochi, das “Meias Deva”. Clique no banner abaixo pra conhecer a empresa e seus produtos!

Oferecimento

Meias Deva

EDIÇÃO e TRILHA SONORA:

Sbriguliu.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Piratacast 19 – Trabalho

Download MP3 64k

Download ZIP 128k

Quer ter todos os artigos do Baú Pirata e/ou os Piratacasts de
forma automática direto no seu computador? Assine nossos feeds!


Categoria(s): Piratacast

35 marujos comentaram até agora...

  1. Lívia Amorim disse:

    Nossa, pra ir na CP, tive que pedir demissão. Foi PÉSSIMO! Bom, como eu era estagiária e ganhava BEM menos do que meus trabalhos valiam (fazia altas campanhas publicitárias), acabou sendo melhor pra mim. Claro que com isso não tenho aquela grana certinha do mês, mas como faço meus freelas com programação, tá tudo certo!

    E era TENSO trabalhar naquela empresa: o banheiro fedia MUITO.
    A faxineira ficava lá a manhã inteira, não me pergunte fazendo o que, e saía de lá, mas o cheiro continuava. O pior? Meu computador ficava de frente pra porta. É uma coisa pequena, mas aguentar aquilo por oito horas era um puta falta de sacanagem.

    Enfim, trabalho é algo relativo, algumas pessoas nasceram pra fazer freela de design/programação e mandar as pessoas tomarem no cu (meu caso).

    Ps: Vou terminar de ouvir o cast! To rindo muito com os trabalhos escrotos! hahahaha Nessas horas a gente percebe o quanto é sortudo.

  2. Sbriguiliu disse:

    Para não esquecer a tradição… CHUPA DUDU!!!

  3. LuizC disse:

    Ih! Não vou poder escutar o piratacast…

    …é que estou trabalhando!

    🙂 Mas é hora extra e o patrão não está! Então, deixa disso e vamos embora nos intreter com o pessoal do Piratacast!

  4. Flávia Santos disse:

    YO-HOOOOOOO CAPITÃES!

    Caras, sério, me desculpem imensamente por não ter comentado nada sobre esses dois ultimos programas. O de ETs eu não vou mentir: não acabei de ouvir. O outro, o numero 18… Bom, ouvir eu até ouvi, mas, literalmente, prefiro nem comentar…
    MAAAAAAAS… o bom filho a casa torna, já dizia-se! E cá estou eu, novamente, mais uma vez, “again”, em um dos meus podcasts mais queridos!
    O tema desse mês é bem bom de ser discutido. Mercado de trabalho e profissões sempre dão pano pra manga. Ouvi, tempos atrás, o pessoal do BermudaCast falar disso e gostei bastante do que eles disseram. Digo de antemão uma coisa: nem sempre uma faculdade é estritamente necessária para um futuro bem sucedido. No meu email, que eu mando depois de ouvir o programa, eu explico melhor esse meu ponto de vista e dou um exemplo.
    Bom pessoal, vou baixar o programa e depois comento mais alguma coisa. Estava com saudade de comentar aqui!
    Um abraço imenso a todos e se cuidem! Até mais!

  5. Pardal_one disse:

    Caraca brother…parabéns galera, o Piratacast continua phodastico…vcs são um dos melhores !

  6. Wesley Pires disse:

    Olá senhores piratas, graças ao lembrete do Jabour_Rio poderei ouvir o piratacast. Baixando.

  7. Brunno Elias disse:

    Aé, piratas! Mais emoção na semana agora com o podcast. Vamos pro pendrive escutar no carro!

  8. Renan Brasil disse:

    Fala galera do Baú Pirata, parabéns pelo podcast (já ouço tem um tempo), mas só agora resolvi comentar (pelo fato de poder concorrer a um par de meias irado!).
    Gostei muito de ouvir o papo de vocês sobre Trabalho, para alguns, algo chato para outros (que curtem o que fazem) prazeroso.
    Acredito que trabalhar ganhando bem, tendo uma carreira promissora e uma vida mais estável, é o que a maioria dos brasileiros procuram hoje (ou seja passar em um concurso público).
    Realmente o podcast começou séria e depois ficou daquele jeito, rsrs… (não poderia ser diferente!)
    Não vou ficar aqui de mimimi…..pois escrevo de verdade para ganhar essas meias ae!

    Sucesso para vocês!!!

    p.s: Saudações Rubro-Negras, caso tenha algum corinthiano, Tricolor carioca ou vascaíno, que faça o programa (correndo sério risco de perder as meias agora, rs.)

  9. Almighty disse:

    Obrigado pelo convite! Foi divertido gravar com vocês.
    Olhem mais um trabalho bizarro (fãs de Monty Python vão gostar):
    http://www.youtube.com/watch?v=ds_1XJFYMW8

  10. Rafaela disse:

    Mto bom o podcast! =D

  11. Maurício Birochi Sarti disse:

    caraca muito bom este episódio, minha empresa é familiar então o Jabour deve saber qtos paus acontecem no dia a dia é soda…
    Vcs comentaram sobre limpadores de esgoto, na minha casa um dia entupiu o esgoto e fui eu e o meu cunhado na caixa de saída tentar desentupir , eu estava com um vergalhão que usávamos para livrar o cano , mas por causa da qtde de bosta não achavamos o bendito , depois de meia hora tentando eu muito macho e besta disse, “cansei desta merda ” e enfiei até o ombro dentro da merda para colocar o vergalhão no cano e desentupir, deu certo, mas me dá ansia até hoje só de lembrar. Tomei depois um banho com álcool e candida para desinfetar.
    Fui um Trabalho Sujo, muito Sujo hehehe

  12. Jonathan disse:

    Fala ai Piratas, aqui de SP curti mto o tema sobre trabalho e falar que ouvir os Piratas faz bem pra vida profissional, ou não. Eu pelo menos trabalho mais escutando o Pod. Ah, faltou falar das primas… mas foi show!

  13. Amanda disse:

    Olá meninos!
    Meu nome é Amanda, tenho 27 anos e moro no Japão. Acompanho o Bau Pirata deste o o primeiro Pirata cast e posso dizer que estes dois últimos casts foram os que mais me tocaram a finalmente tomar vergonha na cara e vir aqui comentar!
    Sei o quão importante é o feedback, mas nós, leitores e ouvintes acomodados vamos deixando para depois e acabamos nunca comentando nos posts, o que realmente deixa a desejar, uma vez que vcs estão disponibilizando o tempo de vcs para poder nos proporcionar um entretenimento tão legal e o mínimo que podemos fazer é dar um retorno.
    Gostei bastante deste cast pois tem a ver um pouco com o dilema de milhares de brasileiros que assim como eu estão no Japão trabalhando, longe do mercado de trabalho brasileiro, ou seja, totalmente alienados da real situação do Brasil.
    Continuem assim!
    Beijos
    Amanda

  14. Salve, pirataiada.

    Meu primeiro emprego foi num Cartório e, por mais que o local inspirasse seriedade, sempre aprontávamos com os novatos.
    Tinha a clássica pegadinha de mandar lavar carbono, com bônus quando o novato usava detergente e esponja de aço. 😀
    Outra clássica era mandá-lo pegar com o escrevente (o mais chato e que estivesse mais atolado no momento) a régua de calcular juros.
    Preguei uma peça uma vez que, por pouco, não dá em merda. Apesar de ter só 15 anos na época, tinha um “pré-bigode” bem aparente e, pra zoar com um sujeitinho caxias, raspei metade dele, ficando com um lado liso.
    Sempre que o cara ia pro balcão, corria pra ficar ao lado dele, alternando os lados cada vez. Deu nó no cérebro do coitado que me via, ora com bigode, ora sem.
    Por fim, corri para o banheiro munido de um Prestobarba pra terminar o serviço… segundos antes do Tabelião chegar. 😀

    Abração.

  15. Muito divertido o podcast…
    Mas não consigo tirar da cabeça a imagem do Junior fazendo o peido Flamejante!, auhuahauhau
    Hoje em dia eu trabalho no que gosto, e gosto do que faço.
    Passo o dia na frente de um computador fazendo digitações e quase sempre tenho tempo livre para ficar navegando na internet. E aproveito para, enquanto estou fazendo as digitações, vou ouvindo podcasts.

  16. NEWTON AGUIAR disse:

    olá marujada,
    vocês conseguem fazer um pod grande sem ser enjoativo.. parabéns
    tenho 36 anos, moro em uberlandia (mg) e atualmente sou projetista civil, depois de muitos anos como gerente de empresas que só cresciam e não davam valor, resolvi trabalhar em casa como frela, e estou feliz com isso…

    abraços e até a próxima.

  17. Falae galera do Rum!!!

    Não conhecia este podcast, mas graças ao Jabour isto é coisa do passado…

    Gostei muito desse tema… me identifiquei muito porque sempre trabalhei pra outras pessoas e recentemente criei um sistema imobiliário e tenho me dedicado a ele… para quem está pensando em montar o próprio negócio como eu, penso que alguns pontos são fundamentais:

    – Uma boa idéia + conhecimento técnico;
    – Dedicação + perfeccionismo
    – Honestidade e transparência com os clientes;
    – Acreditar sempre… nunca desistir!

    Como ouvi recentemente… a vida é dura pra quem é mole!

    Outra coisa… é muito importante fazer o que gosta… o que dá prazer… isso que vai te segurar nas crises…

    É dificil pacas tocar um negócio… mas vale muito a pena!

    Abraços e muito sucesso!

    Adhemar

  18. Guto Kupka disse:

    Yoho Marujada!
    Antes de mais nada gostaria de parabenizá-los pelo primeiro, espero que de muitos, ano de Baú Pirata.
    E também dar meus pêsames ao Maycon, mais conhecido como Jabour_rio, pela perda de seu mascote.
    Para falar de trabalho, nada melhor que escrever este comentário durante o trabalho.
    Eu compartilho da opinião do Maycon, mais conhecido como Jabour_rio. Hoje em dia compensa muito mais fazer um concurso público, ter um salário razoável e estabilidade do que ser um assalariado de uma empresa privada, onde de uma hora pra outra o sujeito pode ser mandado embora para que entre um chegado do chefe ou para redução de custos. Além disso escolher qual será seu futuro profissional com 16 anos é muito cedo, ainda hoje, com 28 anos eu não sei bem o que quero da vida.
    Meu primeiro emprego foi em uma loja de equipamentos fotográficos, revelações e tal, isso foi bem no começo das cameras digitais, quando 2.0mp era top de linha. Na loja havia tambem foto 3×4 na hora, onde usava uma camera digital para tirar as fotos, editava no photoshop e imprimia, ganhei várias gorjetas por tirar as rugas e manchas de pele de algumas senhoras.
    Depois virei terceirizado em um banco no setor de informática, era legal trabalhar lá, tinha um pessoal gente boa, mas a maioria eram uns FDPPNCDC, fui mandado embora pois o valor do contrato da licitação baixou, aí, eles pegaram os que estavam a um tempo médio na empresa, pois os que estavam a mais tempo gerariam uma multa muito alta e os novatos ganhavam pouco, e mandaram embora para contratar outros peões por um salário mais baixo.
    Aí virei estagiário no setor de suporte de um orgão público, foi a fase mais legal da minha carreira, fiquei lá pelos dois anos que eram possíveis de ficar. Eramos em 3 estágiarios. Eu e o Fernando sempre sacaneávamos o Marcos. Pelos menos umas duas vezes por dias dávamos um shutdown por telnet na máquina dele, a de tirar print da tela e fechar o explorer era clássica. Certa vez escondemos um pacote de parafusos na mochila dele, o pacote pesava mais ou menos 2kg, ele foi pra faculdade e pra casa carregando o pacote sem saber, no dia seguinte ele chegou revoltado com dor nas costas e o pacote na mão.
    Agora estou no helpdesk de uma rede de farmácias. Aqui o pessoal é gente boa, mas tem que ficar esperto, pois com esta folia de alcool gel, ele passou a ser encontrado nos fones dos headphones, mouses, e hasmters. Tambem ainda faço alguns serviços de micreiro, mas só pra conhecidos mesmo, não tenho mais saco pra isso… Prefiro me divertir com as coisas que os usuários fazem, mesmo ainda não compreendendo como alguns Orcs conseguem respirar e andar ao mesmo tempo.
    É isso ai, vou levando essa vida de “cara do suporte” até passar em algum concurso ou arrumar algo melhor para fazer. Minha namorada entrou para a Herbalife e está se dando bem, os produtos são bons e ela está ganhando uma grana boa, eu já avisei que quando ela começar a receber um salário igual ao meu eu entro pro negócio e quando eu começar a receber o que recebo como técnico eu peço conta e vou me dedicar somente a isso.
    Por hoje é só pessoal, hora de voltar ao trabalho.
    Aquele abraço e depois eu mando o endereço para a entrega das meias!

  19. L. R. Maruo disse:

    Salvem marujos! 🙂

    Excelente cast. Histórias do mundo do trabalho definitivamente são sempre engraçadíssimas. Trotes no trabalho são clássicos, e mesmo histórias peculiares.

    Ja perdi a paciencia com o pessoal de suporte. Tinha ficado com o meu login preso. Eu ligo para o suporte e o que o infeliz me diz? Mande um e-mail…. Esse coitado ouviu MUITO!

    Vou pensar em outras histórias interessantes e depois escrevo mais um comment.

    Continuem no rumo.

  20. Luciano disse:

    otimo programa, muitas estórias de trabalho, porque muitos de nós passamos mais tempo no local de trabalho do que em casa.
    Mas nada pior no trabalho do que o FILHO DO DONO, essa entidade que quase sempre não sabe o que faz e se acha o empreendedor de sucesso.
    trabalhei numa empresa familiar por 8 anos, e no meio do setimo ano o dono da empresa faleceu, homem honesto, justo e presente na empresa, tudo o que seu filho não era, e a esposa decidiu que esse filho seria sócio e prepararia uma transição para um futuro proximo, essa criatura ja tinha um filial em outra cidade que nunca obteve sucesso, e raramente aparecia na empresa e quando aparecia era pra arrumar confusão com alguem, depois de demitir umas 5 pessoas no mesmo mês entre a filial e a matriz recem assumida, tinha chegado a minha vez, voltei da rua apos o horario de trabalho para ajuda-lo num assunto pessoal e alguns clientes ainda estavam saindo da empresa e ele resolveu que tinha q gritar comigo tentado me humilhar na frente desses clientes, eu estava consciente que era uma tentativa idiota de se mostrar, mas ignorei, respondi, rebati e confrontei, se não fosse aquele dia seria outro e poderia ser bem pior pra mim que poderia partir pra uma atitude não tão diplomatica, e no final quem terminou humilhado foi ele.
    no dia seguinte a dona da empresa me demitiu, disse que eu não tinha perfil pra tabalhar na empresa (por 8 anos?) e que eu não vestia a “camisa da empresa” (esse cara nunca estava la pra ver os dias que não almocei, os anos de faculdade que eu ficava depois do horario de funcionamento, as vezes que fui fazer trabalho de outro setor, atrasando o meu proprio)
    ainda mantenho contato com um pessoal da empresa e cada dia são relatos de que a empresa vai mal das pernas, o que é uma pena, um homem ergueu a empresa do nada e um moleque esta acabando com ela (moleque já de mais de 40 anos)
    mas foi muito legal, e por anos riamos de coisas que aconteciam lá, o principal foram horas tentando entender o que os clientes falavam:

    ontichequi??? (onde tiram xerox por aqui?)
    qué í sântáro ??? (algo sobre o banheiro – sanitário)
    depos postechaquu (fica depois do posto da texaco)

    do que os funcionarios queriam:
    quero que o computador fique igual o do meu marido, é tudo diferente nesse aqui (ah claro)
    pq a internet não ta pegando aqui? – mas acabou a força!!! – mas o notebook ta com a bateria cheia olha aqui… (ah claro)
    não consigo acessar meus arquivos na rede!! – depois de minutos pensando – vai na sua sala e reinicia ele – mas ele ta desligado ainda (ahhh claro)
    eu abro o outlook de casa e os emails da empresa não aparecem, comofas?? (ahhhhhh claro)

    e se eu for escrever tudo, sai um livro…

    abraços e que continue batento um vento forte na popa de vocês

  21. Fabio miklos disse:

    E ai pessoal, ótimo este episódio como sempre.
    Sou ilustrador free lance, e o que me deixa muito puto…
    É quando na negociação de um orçamento para uma ilustração, o cliente me vem com a frase clássica citada pelo Jabour:
    “Meu sobrinho faz isso por 10 reais!”`
    É tenso.
    Nestas horas respiro fundo, e explico que a ilustração encomendada tem todo um trabalho de pesquisa, arte-finalização e tratamento na imagem que me requerem tempo para que o serviço seja bem feito e agrade tanto a mim quanto ao cliente.
    E se mesmo assim ele me vem com a estória do “sobrinho”.
    Eu também mando a clássica resposta:
    “Porra, então manda teu sobrinho fazer.”

    Este tipo de coisa é muito comum de acontecer, e acaba fazendo parte da profissão.
    Infelizmente.

  22. Fala ae bucaneiros.
    Como prometido, vim comentar aqui no post.
    Bom. Sobre trabalho, trabalho mesmo, não tenho nenhuma história, mas tenho alguma da época que fui estagiário dos laboratórios da facul.

    Na faculdade, como em muitos lugares públicos, é proibido ver pornografia. Nós, estagiários, tinhamos uma conduta: Primeiro é aviso, depois, bloqueio de login.
    Enfim, estavamos passando e vimos um cara vendo pornografia num computador do laboratório. Fomos até lá e falamos pra ele que ele não podia ver pornografia, e que se ele entrasse de novo, iriamos bloquear seu login. Saímos do laboratório e espiamos pela janela, pois o cara estava de costas pra ela. A gente nem saiu e ele já tava vendo pornografia de novo… fomos, bloqueamos o usuário.
    Minutos depois, chega a professora que era coordenadora do estágio… ela contou que tem alguém vendo pornografia num computador dum outro laboratório, fomos lá e, para nossa surpresa, o cara tinha conseguido um outro login e tava vendo putaria na net denovo. Depois disso o login dele ficou bloqueado por um mês. =D

    É escroto isso, a pessoa sabe que é proibido fazer alguma coisa e mesmo assim faz.
    Bem, meu comentário foi mais do tipo: “coisas escrotas que aconteceram no trampo”… mas tudo bem. =D

    Muito bom o cast.
    Parabéns.
    Abraço e sucesso.
    Alexandre Gueths, 21 anos.
    Acadêmico de Ciência da Computação.
    Podcaster (link no nome do comentário). =D

  23. Dubari disse:

    Fala Marujada,
    Primeiramente ótimo podcast, falar sobre trabalho é complicado pois ninguém está satisfeito 100% do seu trabalho até porque temos que sempre ter objetivos para serem alcançados.
    Tenho muitas historias de serviço pois comecei cedo com 14 anos vendendo sorvete hoje com 32 anos trabalho em uma empresa de Telecomunicações sou analista financeiro se alguém perguntar se estou satisfeito vou disser que Não, pois almejo sempre algo a mais.
    Trabalhei em um banco publico e jogávamos bola no estacionamento que era gigante que tinha até próximo, mas uma senhora da limpeza contou para o supervisor o que estávamos fazendo, também sobrava sempre pra ela limpar a bagunça que a gente deixava.
    Sobre relacionamento não tenho nenhuma historio, mas um amigo meu casado na época, teve um relacionamento com a recepcionista uma moça muito bonita e charmosa mas tinha um grande problema era totalmente LOUCA, Vocês podem disser normal, dependendo da época toda mulher é meia louca, TPM. Mas essa era muito Louca mesmo, uma das maiores loucuras dela foi quando entrou uma estagiaria muito gostosa e esse meu amigo começou a dar em cima dela, mas não na frente da LOUCA Recepcionista até porque ele não é LOUCO. Não sabia ele era que a Gostosa ficou super amiga da LOUCA e adivinha o que aconteceu. A gostosa contou para a LOUCA que o Zé estava dando em cima dela, A louca teve um surto de ciúmes, chorando na recepção, quando todo mundo foi embora ficaram somente na empresa eu, o Zé, a LOUCA e o Diretor da empresa. Cara a Menina começou a Brigar com o Zé na Recepção, falando alto e batendo na mesa, eu abri a porta da minha sala e pedi que eles se acalmarem, meu amigo nesta hora tentando entrar na minha sala para fugir da louca que neste momento estava jogando tudo que havia na recepção em cima dele. Eu amigo falando sai daqui Zé.
    Resumindo a historio os dois foram mandados embora por pouco eu também não fui pois estava apartando a briga dos dois. Meu amigo perdeu o emprego e a esposa por causa da LOUCA, mas isso é outra historia, fiquei sabendo que um belo dia Zé chega em casa e está a LOUCA e a esposa esperando ele. Depois disso não tive mais noticias do Zé.
    Por isso que aprendi com essa é que “ Onde se ganha o pão não se come a carne”.
    Um abraço a todos ótimo tema.

  24. Kaze_Senshi disse:

    Yahoo marujada, tenho 20 anos e moro no Rio, ficou muito bom o cast. Área de informática sempre tem umas boas histórias para contar, quem nunca teve um amigo que baixava o filme das brasileirinhas na internet e depois mudava para “Entrada.txt”, aí ficava aquele arquivo de texto de 400mbs na área de trabalho, super normal =).

    Falando de trote, me lembrei de uma vez, quando eu trabalhava como monitor naqueles cursos de informática que os cursos eram no computador, tinha um cara que terminou o curso muito rápido, porém como ele pagou, ele vinha toda semana gastar o horário que ele pagou mexendo na net, até que um dia ele trouxe um joguinho no pendrive (senão me engano era CS). Como meu amigo tinha recebido um bilhete para ter uma reunião com meu chefe, tivemos a idéia de dar o bilhete pro maluco e falar que o patrão o viu jogando e que queria ter uma reunião com ele e a mãe dele porque ele estava jogando no curso, o menino ficou até com os olhos lacrimejando ahuehue, depois falamos que era mentira e fomos xingados mas foi muito engraçado, sem mais delongas continuem o excelente trabalho, abraços.

  25. Ao ouvir esse cast me lembrei da Frase do seu Madruga: “Não existe nada mais trabalhoso do que viver sem trabalhar”.

  26. Shiro disse:

    Olá Piratas,

    Sou professor e uma coisa que todo professor ouve é a maldita pergunta:
    -Você trabalha TAMBÉM ou só dá aula?

    A vontade de dá é de dar Hadouken, Round-House Kick, Cuspida na cara.

    A vida de professor é trabalhar 24/7 e pode parecer cliché, mas professor no Brasil ainda não é valorizado (às vezes nem preparado) quanto devia.

    Trabalhar com pessoas é muito recompensador, mas há um zilhão de fatores que fazem deste um trabalho muito mais difícil do que muito trabalho técnico, pois pessoas são as coisa mais imprevisíveis do mundo!

    Everton,
    “Estou tentando evitar a fadiga” – sábio Jaiminho!

  27. Fala marujada!
    Comecei a trabalhar com 14 anos num restaurante self-service (ou como diziam à época: “serv-serv”). O restaurante era da minha prima em sociedade com: o marido dela, o irmão do marido, a irmã do marido, o amigo do marido e o amigo do irmão do marido. Contaram aí? SEIS chefes. O engraçado é éramos apenas 5 funcionários e essa era a personificação do ditado: “tem mais cacique do índio aí”. Desnecessário dizer que o negócio faliu, mesmo tendo um movimento razoável, numa boa região da cidade.
    É interessante perceber dois pontos:
    1. Empresas familiares necessitam de 10 vezes mais disciplina que outras empresas;
    2. Para se tocar um negócio (#nooossa) é preciso estar pronto para isso, com planejamento, estratégia e profissionalismo. Se não, o risco é muito grande de dar com os burros n’água.
    Tenho muita vontade de empreender, mas sei que ainda não é o momento para mim. Certamente esse momento chegará e estou me capacitando para isso. O Piratacast #19, os Nerdcasts com essa temática, o Fala Freela, do Mauro Amaral, entre outros programas, fazem parte disso.
    Muito obrigado!!

    PS.: Já posso concorrer à meia?! 😛

  28. JOJONERD disse:

    Muito interessante o cast com altas dicas e situações bem engraçadas. É nessas horas que eu acho o meu trabalho muito bom! =D

  29. lucasfelipemm disse:

    Permissão para subir abordo…

    e a coisa mais linda do mundo 3 caras de broa (http://www.receitasdecomidas.com.br/broa-de-fuba.html)
    me chamando de cara de bolacha. obs a receita de cima e muito boa…

    por Junior…
    http://www.symbian-freeware.com/download-smartcam.html
    http://www.gdhpress.com.br/smartphones/

    os q nos desenvolvemos aqui nao tenho um lugar onde posso divugalos ainda quando tiver eu mando pra vcs.

    ja q e pra falar de trabalho vo colocar uns links de umas coisinhas que fiz.

    sao pra abrir no celular.

    http://wap.climatempo.com.br
    http://wap.ig.com.br

  30. mauricio nero disse:

    fala galera pirata!
    Fazia um tempo que nao comentava aqui! Depois que abandonei o plus10 foram poucos os podcasts que continuei acompanhando, o de vcs eh um dos que mantive hehe
    Muito legal o episodio. Inclusive sobre o tema, devo dizer que eu me dava bem até como freelancer de sites, posso dizer que faço um bom trabalho, mas acabei não tendo muitos contatos pra formar parcerias boas e acabei desanimando. Atualmente trabalho na GVT, o que posso dizer que foi uma boa escolha (que jargão!). Claro que toda empresa tem defeitos e suas desorganizaçoes, mas que se aprende muito aprende!

    Abraço pra vcs!

  31. Sutai disse:

    Nossa, muito legal o podcast!

  32. Felipe disse:

    Fala Marujada!
    Depois de um grande hiato, consegui ouvir o PirataCast.

    Como sempre, um grande episódio, ótimas histórias de trabalho.

    Eu como estou entrando no mercado de trabalho agora, não vou ter muito o que comentar referente a isso.Exceto que como sou monitor de Informática Básica, tem sempre uns idosos que estão ali para tentar aprender o báááásico mesmo, e eu explico umas 10 vezes e a pessoa fala : – Ahh agora entendi. Daqui 5 minutos ela pergunta dnv : Como faz isso? E vc explica denovo e esse ciclo continua até o final da aula.

    Abraço galera, na espera do próximo!

  33. […] Papo Pirata 19, discutimos tudo o que rolou nos comentários sobre o Piratacast 19 – Trabalho e Papo Pirata […]


    .
    @jabour_rio, @iskilo666, @junior_cq,
    @cleverson, @piratacast, @baupirata