Facebook do Piratacast Twitter da Equipe Piratacast TV do Bau Piratacast, Diário de Bordo e Papo Pirata Feed do Site Feed do Podcast Assine no Itunes Entre em Contato

Nesse domingo (10/01) tive a cara de pau de chegar no shopping meia hora antes dele fechar. O intuito era muito simples: assistir Sherlock Holmes.

Apesar de morar na maior cidade do estado, Joinville/SC, ainda é uma cidade pequena para o mercado cinematográfico. Não tenho certeza mas acredito que tenhamos só 2 cinemas na cidade, 1 que presta e olhe lá… Fato é que em poucos momentos da minha vida, poucos MESMO, vi esse cinema cheio.

A primeira vez acredito que foi com Homem-Aranha (2002) e depois com todas as seqüências de O Senhor dos Anéis e Matrix.

Muitos anos depois fui passar por essa situação de novo. Situação essa caracterizada com filas gigantescas, vários avisos de ESGOTADO piscando no painel de horários, gente amontoada, gritando, empurrando, pipoca voando na correria dos corredores e toda aquela folia que a ignara adora.

Logo que anunciaram a pré-estréia de Avatar tive a decência de comprar meu ingresso antecipado. Sorte a minha.

Com apenas uma sessão programada a entrada do cinema já ficou abarrotada como nos outros filmes supracitados. Uma hora antes da sessão e já tinha gente sentada na porta da parada… Ok. Filmão, Blockbuster… da pra entender. 10 anos de produção e lá vai pedrada de propaganda…

Voltando ao inicio do texto… cheguei no shopping todo alegre, serelepe e pimpão e fui comprar a entrada pro Sherlock Holmes.

– Ah, tá esgotado.

PORRA! Como assim esgotado??? No letreiro tá dizendo que tem ainda… Avatar, mesmo 3 semanas depois de lançado ainda continuava lotando. Apesar de ser algo MUITO estranho pra essa cidade ainda dava pra entender mas Sherlock Holmes?

O filme não teve propaganda nem nada, nem o cinema anunciou a bagaça direito e pô, com 4 sessões por dia, estreiado sexta feira, deu né? Quem tava angustiado pra ver já viu… mas ok.

Com todos os filmes bons lotados (e mais uma fila gigantesca) só me sobrou assistir o filme do Lula. Eu realmente não tava afim de assistir “aquilo” mas eu já tava lá e na falta do que fazer né? Não tem tu vai tu mesmo…

Começa a bagaça… depois de uns bons 5 minutos de patrocinadores e apoios subindo a tela. 5 MINUTOS!!!

Vale citar aqui que teve tanto patrocinador e apoio que mais parecia macacão de fórmula 1 e não teve apoio do governo federal ou patrocínio da Petrobras, que já é default nos filmes nacionais.

Patrocinar filme da Bruna Surfistinha róla, né?

A primeira “piada” do filme é que você chega a pensar que gastaram tanto contratando uma ou duas celebridades pro filme que faltou dinheiro pro protagonista. É sacanagem mas válido…

Depois de assistindo um tempo o pensamento muda de opinião e você se dá conta de que a única coisa que prestou no filme foi o protagonista. Conseguiram encontrar um ator desconhecido, com uma semelhança física ABSURDA e que incorporou todos os trejeitos do nosso “querido” presidente.

A historia não é nada que já não tenha sido contada e recontada durante 8 anos de mandato dele em todas as campanhas, Fantásticos da vida e Globo Repórter. Você já conhece e não se surpreende. Muita coisa é cortada da metade pro final e, na minha opinião de quem não entende nada de política, acho que “embelezaram” muito todas as campanhas, os cargos e as “lutas” dele.

Eu vejo o filme como uma grande propaganda do político. Tentaram resumir de tudo, desde a mãe e a família de fudidos até as gambiarras no trabalho ou nas horas de lazer, os casamentos e etc. Parece um grande apelo de “olhem para o homem de hoje e admirem-no por tudo que ele sofreu e se fodeu pra chegar onde chegou”.

Resumindo, é um filme do Joseph Klimber brasileiro.

No filme todo o trabalho na política, começando nos sindicatos, parece muito bonito, digno e que foi feito extremamente legal. Eu duvido, DUVIDO, que tenha sido assim. E, sinceramente, a desculpa de “foi feito assim porque é nosso presidente e blá blá blá” não cola. Ele já tem gente suficiente lambendo o ego dele o ano todo, o cinema fazer isso também? #fail

Boa parte do filme passa com as ações dele durante o período do golpe militar e isso ajuda muito no roteiro que coloca ele como herói. Não sei…

A produção é boa e o casting não é dos piores. Destaque pros atores desconhecidos. Mas em quesito de história verídica, de pessoas conhecidas e durante uma época que esmerdalhou com o país, prefiro Zuzu Angel ou Olga mas, como eu falei, minha opinião não vale muita coisa visto que não entendo nada de política e não gosto do Lula. 🙂

Eles deveriam ter focado em um aspecto só da vida do cara se quisessem agradar mais gente. Podiam focar na mãe dele que é praticamente mais importante que ele em si no filme, ou nas lutas antes da política, ou até contarem de todo seu envolvimento na política e nos diversos cargos que passou e foram cortados do filme… enfim, muita coisa.

O que dá pra ver é que fizeram um filme pra agradar só o povo que idolatra o Lula e danem-se o resto.

Até seguindo a idéia deles de explorar o lado da ditadura e tudo o mais, se quisessem chocar o povo e mostrar uma história de influência, importância nacional e superação, tivessem feito um filme do Chico Buarque que seria muito melhor, mais interessante, teria chances REAIS de ganhar prêmios e ainda teria trilha sonora descente.

Mas isso é só o que eu acho…

LINKS RELACIONADOS

Crítica no Cinema com Rapadura
Crítica no Omelete

Categoria(s): Moview

13 marujos comentaram até agora...