Facebook do Piratacast Twitter da Equipe Piratacast TV do Bau Piratacast, Diário de Bordo e Papo Pirata Feed do Site Feed do Podcast Assine no Itunes Entre em Contato

Nesse domingo (10/01) tive a cara de pau de chegar no shopping meia hora antes dele fechar. O intuito era muito simples: assistir Sherlock Holmes.

Apesar de morar na maior cidade do estado, Joinville/SC, ainda é uma cidade pequena para o mercado cinematográfico. Não tenho certeza mas acredito que tenhamos só 2 cinemas na cidade, 1 que presta e olhe lá… Fato é que em poucos momentos da minha vida, poucos MESMO, vi esse cinema cheio.

A primeira vez acredito que foi com Homem-Aranha (2002) e depois com todas as seqüências de O Senhor dos Anéis e Matrix.

Muitos anos depois fui passar por essa situação de novo. Situação essa caracterizada com filas gigantescas, vários avisos de ESGOTADO piscando no painel de horários, gente amontoada, gritando, empurrando, pipoca voando na correria dos corredores e toda aquela folia que a ignara adora.

Logo que anunciaram a pré-estréia de Avatar tive a decência de comprar meu ingresso antecipado. Sorte a minha.

Com apenas uma sessão programada a entrada do cinema já ficou abarrotada como nos outros filmes supracitados. Uma hora antes da sessão e já tinha gente sentada na porta da parada… Ok. Filmão, Blockbuster… da pra entender. 10 anos de produção e lá vai pedrada de propaganda…

Voltando ao inicio do texto… cheguei no shopping todo alegre, serelepe e pimpão e fui comprar a entrada pro Sherlock Holmes.

– Ah, tá esgotado.

PORRA! Como assim esgotado??? No letreiro tá dizendo que tem ainda… Avatar, mesmo 3 semanas depois de lançado ainda continuava lotando. Apesar de ser algo MUITO estranho pra essa cidade ainda dava pra entender mas Sherlock Holmes?

O filme não teve propaganda nem nada, nem o cinema anunciou a bagaça direito e pô, com 4 sessões por dia, estreiado sexta feira, deu né? Quem tava angustiado pra ver já viu… mas ok.

Com todos os filmes bons lotados (e mais uma fila gigantesca) só me sobrou assistir o filme do Lula. Eu realmente não tava afim de assistir “aquilo” mas eu já tava lá e na falta do que fazer né? Não tem tu vai tu mesmo…

Começa a bagaça… depois de uns bons 5 minutos de patrocinadores e apoios subindo a tela. 5 MINUTOS!!!

Vale citar aqui que teve tanto patrocinador e apoio que mais parecia macacão de fórmula 1 e não teve apoio do governo federal ou patrocínio da Petrobras, que já é default nos filmes nacionais.

Patrocinar filme da Bruna Surfistinha róla, né?

A primeira “piada” do filme é que você chega a pensar que gastaram tanto contratando uma ou duas celebridades pro filme que faltou dinheiro pro protagonista. É sacanagem mas válido…

Depois de assistindo um tempo o pensamento muda de opinião e você se dá conta de que a única coisa que prestou no filme foi o protagonista. Conseguiram encontrar um ator desconhecido, com uma semelhança física ABSURDA e que incorporou todos os trejeitos do nosso “querido” presidente.

A historia não é nada que já não tenha sido contada e recontada durante 8 anos de mandato dele em todas as campanhas, Fantásticos da vida e Globo Repórter. Você já conhece e não se surpreende. Muita coisa é cortada da metade pro final e, na minha opinião de quem não entende nada de política, acho que “embelezaram” muito todas as campanhas, os cargos e as “lutas” dele.

Eu vejo o filme como uma grande propaganda do político. Tentaram resumir de tudo, desde a mãe e a família de fudidos até as gambiarras no trabalho ou nas horas de lazer, os casamentos e etc. Parece um grande apelo de “olhem para o homem de hoje e admirem-no por tudo que ele sofreu e se fodeu pra chegar onde chegou”.

Resumindo, é um filme do Joseph Klimber brasileiro.

No filme todo o trabalho na política, começando nos sindicatos, parece muito bonito, digno e que foi feito extremamente legal. Eu duvido, DUVIDO, que tenha sido assim. E, sinceramente, a desculpa de “foi feito assim porque é nosso presidente e blá blá blá” não cola. Ele já tem gente suficiente lambendo o ego dele o ano todo, o cinema fazer isso também? #fail

Boa parte do filme passa com as ações dele durante o período do golpe militar e isso ajuda muito no roteiro que coloca ele como herói. Não sei…

A produção é boa e o casting não é dos piores. Destaque pros atores desconhecidos. Mas em quesito de história verídica, de pessoas conhecidas e durante uma época que esmerdalhou com o país, prefiro Zuzu Angel ou Olga mas, como eu falei, minha opinião não vale muita coisa visto que não entendo nada de política e não gosto do Lula. 🙂

Eles deveriam ter focado em um aspecto só da vida do cara se quisessem agradar mais gente. Podiam focar na mãe dele que é praticamente mais importante que ele em si no filme, ou nas lutas antes da política, ou até contarem de todo seu envolvimento na política e nos diversos cargos que passou e foram cortados do filme… enfim, muita coisa.

O que dá pra ver é que fizeram um filme pra agradar só o povo que idolatra o Lula e danem-se o resto.

Até seguindo a idéia deles de explorar o lado da ditadura e tudo o mais, se quisessem chocar o povo e mostrar uma história de influência, importância nacional e superação, tivessem feito um filme do Chico Buarque que seria muito melhor, mais interessante, teria chances REAIS de ganhar prêmios e ainda teria trilha sonora descente.

Mas isso é só o que eu acho…

LINKS RELACIONADOS

Crítica no Cinema com Rapadura
Crítica no Omelete

Categoria(s): Moview

13 marujos comentaram até agora...

  1. Da pra perceber que você assistiu o filme que chamou de "Aquilo" com uma puta de uma má vontade.

    É claro que o governo não investiu no filme!! Um monte de gente enchendo o saco, imagina se tem dfinheiro do governo ( mesmo que legal) no filme!!

    É engraçado você ver o filme como "propaganda de político" , sendo que você mesmo diz no seu texto que já tem gente o bastante "lambendo o ovo" dele o ano todo e que fazer isso no cinema também é #fail.

    O mais bizarro pe que você é tão mal informando que parece não saber que ele NÂO VAI SE CANDIDATAR a nada nas próximas eleições, e se a intenção fosse eleitoral, os produtores do filme lançariam o mesmo no ano que eu o Lula fosse se candidatar de novo.

    Valeu pelo post , as críticas são sempre interessantes , mesmo as que são escritas por gente que gosta do novelesco filme "Olga" e certamente nem viu "Batismo De Sangue", "O Ano em que meus pais sairam de férias", "O que é isso companheiro" ou "Ação entre amigos".

    Sugestão: da próxima vez, vai pra casa vê um DVD de filme que gosta p´ra fazer o review, no lugar de ver um filme sem vontade nenhuma e ver com maus olhos a abra.

    Abraço!

  2. Cleverson disse:

    @Diogo

    Assisti o filme de má vontade sim mas, independente disso, sei ser imparcial na minha opinião. Tanto sei que disse coisas boas sobre a produção, talvez não muito do que penso mas alguma coisa foi dita…

    O fato dele se candidatar ou não a algum cargo não tem nada a ver com o fato de que continua sendo uma propaganda pessoal, assim como adaptações de quadrinhos ou livros são sempre propagandas das obras literarias que, na maioria das vezes, vendem feito água. Aposto que o livro que inspirou o filme vai vender horrores nas próximas semanas.

    Olga é muito mais novelesco que o filme do Lula, com certeza, mas Olga soube focar no que era relevante à história e foi essa a minha maior critica ao filme. FOCO.

    O ano em que meus país sairam de férias é excelente. Também é novelesco mas a filmagem arrastada dele justifica a visão da história através do menino… Digo de novo, o foco estava certo.

    Quem sabe da próxima vez eu fique em casa sim antes de fazer um review… quem sabe, também, da próxima vez que você for querer criticar a opinião de alguém, aprenda antes a a)ser imparcial e b)ter referências.

    Critica sem imparcialidade e referências faz você ser só mais um freak de tênis verde no meio da multidão.

  3. Vinni disse:

    O comentário é para o Diogo ok?

  4. Vinni disse:

    Cleverson,

    Já começou tudo errado… ver o filme da vida de alguém q vc não gosta. Poderia se inspirar nas lutas, pra somar com alguns colegas e batalhar por maiores opções de lazer na sua cidade. Mas com relação às lutas… meu amigo não vai haver filme que retrate o que elas representaram. Dá pra admitir sua crítica ao lider, mas ao conjunto das lutas, é demais. Ai eu posso concordar com o tal foco. Seria uma boa contribuição pra sua vidinha que pudesse ter vivenciado a época, de que lado vc estaria??? talvez curtindo o iê iê iê, porque pra vc lutas deve ser coisa de doido, não é. Pra julgar as coisas por essa ótica, deve ser por um olhar extremamente pelego.

  5. Jackson disse:

    Cara, era óbvio que o filme seria exatamente como vc descreveu. Nem precisa assistir pra saber. Se o teu desagrado com tudo envolvido é tanto, vc realmente não devia ter visto. Isso de ir no cinema pra “ver qualé”, escolher na hora entre os whatevers que estiverem passando, tipo “não tem tu vai tu mesmo”, nunca funciona.

  6. Teonilia disse:

    Bem, eu fui também, tbm tava lotado SH, e acho q vi vc lá… rs
    Eu gostei muito do filme e ele me emocionou e me envolveu muito, mas sai do cinema com a sensação de que faltou alguma coisa, achei que poderiam ter dividido em três e feito minissérie… tá que não é a mesma coisa… mas…
    Não gostei de ter visto o dedo cortado várias vezes durante o filme, poderiam ter pego outros ângulos, não digo que não gostei do filme, só acho que deveriam ter um cuidado maior pra retratar uma história de 'teima' tão bonita…
    Só não concordei com o que vc disse sobre a utilização do período da ditadura, pq na verdade eu penso que o filme mostrou que Lula foi imparcial e o que ele sofreu de ataques em relação as lutas dele não foi pela ditadura em si, mas pela população brasiliera mesmo! O exército apenas não gostava muito do fato de Lula tirar as coisas do ritmo normal, mas nunca fizeram alguma investida séria contra ele, até por conta da imparcialidade dele em relação a isso!
    Bjs

  7. Cleverson disse:

    @Vinni

    O fato de eu ver o filme de alguém que eu não goste não caracteriza um erro. Se eu estivesse falando mal de algo aqui sem ter visto, aí sim eu estaria errado. É a velha situação da criança e a beringela: você só têm direito de falar bem ou mal depois de provar.

    Cinema é cinema. É arte. Não interessa se quem esteja fazendo ou o foco da produção seja algo que valha a pena ou não, continua sendo arte e DEVE ser apreciada. Atrelado a isso vem o embasamento para criticar, aqui ou onde quer que seja, por mim ou por qualquer outro.

    Seria uma excelente contribuição para a minha "vidinha" se eu tivesse vivenciado tudo aquilo E CONSEGUIDO SOBREVIVER, mas isso não quer dizer nada. Eu não estou criticando diretamente a pessoa mas sim o que falaram e como falaram da pessoa. Poderia ser um filme sobre o Zé da esquina e se ainda assim contassem a história de uma forma que não fosse de meu agrado, eu criticaria.

    @Jackson

    Acho sua opinião válida mas como comentei ali em cima, mesmo desconfiando de que possa ser ruim ainda existe a chance de ser bom e você se surpreender ou mesmo que venha realmente a ser ruim, é preciso ver antes pra poder ter direito, ou base, para criticar.

    ——

    Uma coisa que eu gostaria que ficasse clara é que toda a minha crítica – em grande parte negativa – sobre o filme é única e exclusivamente CINEMATOGRÁFICA. Falar sobre o que aconteceu na época, se foi bom ou não, merecido ou não e se deviam ter mostrado ou não, não cabe aqui. Vocês estam deixando a minha critica AO FILME atingir a imagem que vocês têm DA PESSOA e do que ela representa.

    Como falei no primeiro comentário, assistam o filme e tentem ser imparciais antes de atirarem pedras e defenderem avidamente algo que vocês ainda não tiveram conhecimento.

  8. "Resumindo, é um filme do Joseph Klimber brasileiro." – Muito CINEMATOGRÀFICA essa crítica. 🙂

    Olha só…Eu gosto do Lula. Cresci em um bairro vizinho ao dele, meus tios o conheciam da época das greves, um deles até estava no dia em que a polícia cercou a matriz aqui da cidade.
    Pra mim ele é um tipo de heroi e cara…eu cresci lendo homem aranha, demolidor e batman, se esses caras cometem erros, porque imaginar que alguém real não cometeria?

    "Eu duvido, DUVIDO, que tenha sido assim. E, sinceramente, a desculpa de “foi feito assim porque é nosso presidente e blá blá blá” não cola. Ele já tem gente suficiente lambendo o ego dele o ano todo, o cinema fazer isso também? #fail"

    Mas eu sei que o filme é uma bomba. Tipo "Os dois filhos de francisco"

    "Só me sobrou assistir o filme do Lula."
    Lula , o filho do Brasil o nome, não é?

    De qualquer maneira, eu entendo sua crítica e tal, mas já que podemos comentar, podemos então fazer isso de maneira democrática e sincera.

    Fica uma mensagem final, que aprendi com o Chaves e que demonstra que eu até concordo com você:

    "Tá bom, mas não se irrite!"

  9. Cleverson disse:

    @Diogo

    Haha… tá certo, tá certo.
    A minha idéia geral sobre os comentários ainda se sustenta no que você acabou de fazer: você, ou os outros, discordam defendendo a pessoa e não o filme.
    Eu deixei claro que mesmo não gostando da pessoa estava criticando o filme.

    Não estamos irritados, tá tudo certo. Pelo menos pra mim… mas eu não diria o mesmo do cara do pelego ali…

    🙂

  10. Ryukendo disse:

    O nome do ator Desconhecido que vc citou se chama Rui Ricardo e ele foi meu Profeesor de Teatro em 2008 no final ded 2008 ele ia nos ajudar a produzirmos uma peça Teatral com nossa equipe , mas veio esse convite do filme, mais que merceido.

    E que preconceito danado, esse imagine se fosse o FHC….

  11. Cleverson disse:

    @Ryukendo

    Não me vi sendo preconceituoso mas ok…
    Lembro de ter lido em algum lugar sobre o ator (seu professor) ter carreira no teatro e concordo com você, mais que merecido o convite. Apesar de algumas gafes no filme ele trabalha muito bem…

    Quanto ao FHC… 🙂 Gosto e louvo muito mais ele e o que ele fez do que o Lula, mas isso é assunto pra outro post em outra época.

  12. FrankCastle disse:

    Depois de assistir Avatar, não tinha nenhum filme em vista para ver no Cinema. Mas quando assisti Besouro, vi o Trailer do filme do Lula, nem sabia muita coisa dele, mas fiquei com vontade de ver. E ao contrário do Besouro, que tem um roteiro muito mal amarrado e protagonista sem carisma, gostei muito de “Lula, o Filho do Brasil”. Acho que foi uma boa cine biografia, gostei muito das interpretações, inclusive dos atores desconhecidos (prefiro atores desconhecidos a ver sempre as mesmas caras dos atores que apareceram em várias novelas da Globo).

    Enfim, dos filmes que vi em Cartaz, é o único que recomendo. Sempre quis assistir desde que vi o trailer e fui lá ver, indo contra o preconceito de muitas pessoas que não dão chance nenhuma para filmes nacionais e preferem ver bombas anunciadas como muitos blockbusters que estão por aí.

    P.S. Gosto muito de Sherlock Holmes, já li alguns livros do personagem, mas tenho medo desse filme novo e não tenho a menor vontade de assistí-lo. Sei que não o assisti e não posso falar com propriedade, mas o pouco que tive de conhecimento do filme, já deu para perceber que tentaram deixar algo mais puxado para “comédia”, pode ser uma adaptação válida, mas foge do meu gosto.

    E quanto a assistir bombas ou filmes que você não tem vontade só para “ter o direito” de falar mal depois, acho que isso não compensa. No RapaduraCast o Jurandir bate muito nesta tecla de “não viu, não pode falar mal”. Mas eu discordo totalmente, não vou ver um filme que a princípio não gosto só para não ser repreendido quando for ironizá-lo ou falar mal do mesmo.

    Um abraço Cleverson, um abraço galera!

  13. […] anunciado eu já me programei para assistir. Primeiro não fui por causa de Avatar, depois veio o buraco do Sherlock Holmes e a rolha de situação do Lula e, no final, fiquei adiando esperando ter companhia. Enfim que, depois de todo esse tempo, fui […]


    .
    @jabour_rio, @iskilo666, @junior_cq,
    @cleverson, @piratacast, @baupirata