Facebook do Piratacast Twitter da Equipe Piratacast TV do Bau Piratacast, Diário de Bordo e Papo Pirata Feed do Site Feed do Podcast Assine no Itunes Entre em Contato

Saving Grace

O review de hoje vai ser diferente dos outros que já postei aqui, porque, ao contrário das séries que já comentei, essa é única que (atualmente) não estou acompanhando em dia.

Então vou contar pra vocês as minhas impressões sobre a série e o que vocês podem esperar dela, além do que eu espero.

Ha algum tempo atrás, quando comecei a ficar mais tempo diante da televisão, comecei a prestar mais atenção nos intervalos para descobrir uma ou outra série que poderia me despertar interesse. Por várias vezes vi a propaganda de Saving Grace mas logo ao final dela eu me desinteressava, e o curioso é que sempre eram por motivos diferentes.

A primeira coisa que pensei quando vi a chamada foi “Ah, é mais uma serie de menininha”. Não me pergunte por que eu pensei isso. Não faço idéia, simplesmente surgiu esse pensamento na cabeça.

Com o tempo a propaganda mudou e com ela a minha idéia de seriado. Dessa vez foi algo do tipo “Ah, passa em um dia ruim e em um horário esquecido da programação. Drama policial nesse horário, não deve ser bom”.

Até que na terceira vez que vi a chamada da série, para o início da segunda temporada (aqui no Brasil) eu ouvi alguém – ainda não sabia que era a protagonista – cantando Shocking Blue – Venus. Na mesma hora eu parei o que tava fazendo e olhei pra tv, dessa vez o conceito mudou. “Opa, trilha sonora boa. Há potencial”.

Pronto, comecei a assistir Saving Grace. Agora sobre a serie.

Saving Grace é um drama policial que gira em torno da protagonista Grace Hanadarko, interpretada pela Holly Hunter. Grace é uma detetive promiscua, fumante e alcolatra ao extremo. Logo no primeiro episódio ela conhece o que podemos chamar de seu “anjo da guarda”. Ele na verdade não é “da guarda”, mas sim a última chance de Grace fazer as coisas certas na vida dela e livrar-se da ida certeira pro inferno.

Em todo o decorrer da primeira temporada, Earl – o anjo de Grace – faz aparições esporádicas que levam aos dois discutirem sobre a fé de Grace e a fé no mundo conturbado em que ela vive. Earl em nenhum momento fala de religião e as brincadeiras sarcásticas em relação a este assunto estendem-se por toda a temporada. Os dialogos dos dois são, na minha opinião, o ponto alto de todos os episódios.

No que sobra do seu tempo, Grace passa resolvendo casos (ou tentando), bebendo e saindo com quem estiver disponível, inclusive seu parceiro de investigação.

Acabo de começar assistir segunda temporada, que também está sendo exibida pela Fox.

Espero que no decorrer dessa temporada, e da terceira que começou em Junho deste ano nos EUA, os produtores foquem mais no crescimento da protagonista e deem mais destaque para sua vida fora do trabalho e seu convívio com Earl.

Parece meio controverso querer que um drama policial não foque na ação policial em si, mas eu poderia dizer que Saving Grace é um seriado de “drama de um policial” do que somente “drama policial”. No geral, superou (e muito) minhas espectativas.

Não contei nada que estrague a surpresa de quem vá assistir então fiquem tranquilos, e se alguém está mais atualizado com a serie do que eu, NADA DE SPOILERS! 🙂

PS: Pra alguém que possa ter ficado curioso sobre a música que falei, segue um video dela abaixo. Mas lembre-se, desenvoltura não era o forte da época.

Categoria(s): Seriekiller

Um marujo comentou até agora...

  1. Raphael Fly disse:

    Eu sempre achei que era uma comédia, mas apos esse reviw, percebi que eu estava erradp, vou dar uma olhada xD, vlw =D


    .
    @jabour_rio, @iskilo666, @junior_cq,
    @cleverson, @piratacast, @baupirata