Facebook do Piratacast Twitter da Equipe Piratacast TV do Bau Piratacast, Diário de Bordo e Papo Pirata Feed do Site Feed do Podcast Assine no Itunes Entre em Contato

Olá senhores,

Antes de tudo, peço desculpas por não ter postado “O Mapa” da semana passada, pois estava viajando a trabalho no Rio de Janeiro e esqueci de deixar o post pronto.
Pra compensar então, vou aproveitar que estou de férias da faculdade esse mês, e preparar uma pequena seqüência de posts, tratando um assunto que muito interessa à galera que sonha em ser um pequeno investidor. Que será um especial de “Como investir na bolsa de valores?”

Novamente, não sou um expert, sou um estudante de economia que tenho interesse nesse assunto (pois, infelizmente, não há uma matéria especifica sobre mercado financeiro na maioria das faculdades de Economia). Invisto um pouco de minhas economias na BOVESPA desde setembro de 2007, nada de muito volumoso, mais pra ganhar experiência mesmo, que agora vou dividir com vocês.

Não vou tratar sobre questões de que se vale a pena ou não investir na bolsa, quais são as possibilidades de ganhos, isso acho que já foi bem discutido na internet, os dois podcasts do Jovem Nerd – Nerd Rico e Nerd Pobre 1 e 2 – sobre esse assunto são bem abrangentes. Vou falar mais da parte operacional do negócio, e se possível, mostrar um pouco de análise técnica, ou grafista como dizem por aí.

Da minha parte, posso resumir qual seria minha primeira resposta pra quem tá querendo iniciar no mercado financeiro em 3 regras:


1.    Invista apenas o que vc consegue economizar, não utilize um dinheiro que vc necessitará em alguma emergência, a maioria das perdas na Bovespa acontece quando as pessoas saem na hora errada.
2.    Procure um curso na área, mesmo com todo o conteúdo na internet, você ganha mais tempo fazendo um curso intensivo de 3 dias, do que em 1 mês de procura a esmo no Google. Será um investimento de R$ 200 a R$ 500 que valerão à pena.
3.    Comece com pouco dinheiro, crie metas de ganhos por percentagem, a ganância é a principal corda pra quem quer se enforcar nesse mundo.

Quem quiser ser mais cauteloso ainda, pode usar as simulações que existem na internet. O FOLHAINVEST te oferece uma carteira completa de ações pra você manejar, e existe o meu preferido, o ADVFN, que também simula um portfólio virtual, onde vc pode simular qualquer valor em reais, compras e vendas, e, além disso, oferece todo um sistema gratuito de gráficos e estudos.

Honestamente, eu aconselho essas simulações mais pra quem está curioso como que seria estar movimentando ações na Bovespa, se você já está familiarizado, ou decidido investir, não deve demorar a entrar no mercado real. As situações são bem diferentes, as emoções entram em jogo, e no mercado real você acaba jogando mais seriamente e com segurança, consegue alguns ganhos, que no virtual, se não viesse, poderia te desanimar.

Graças à informática, e também o desejo das empresas que tenha cada vez mais gente no mercado financeiro, hoje ele está bem mais popular, e não é preciso nem muito conhecimento e/ou dinheiro para investir em bolsa. Os sistemas de Home Broker possibilitam que você opere de qualquer computador na internet, e possa comprar e vender ações de qualquer valor, até centavos!! Eu comecei com 500 reais, e depois fui programando alguns depósitos para aumentar meu capital.

E a primeira e importante escolha que você terá que fazer será a sua Corretora. Ela é parte essencial nas movimentações financeiras, pois ela é sua representante para a Bovespa. Todas as movimentações serão feitas por elas, que devem ter o devido registro e serem auditadas pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

Existem vários tipos de corretoras, das que vinculam todo um serviço de consultoria aos seus clientes, às mais praticas, que visam o cliente mais avançado, que já tenha certo conhecimento na área. Mas, pra mim, o mais importante é o valor da corretagem, que é a taxa que será cobrada em cada movimentação de compra ou venda. Há uma taxa mínima paga a Bovespa também, chamada emolumentos, que por regra é de 0, 035%. (entre compra e liquidação). Somando-se as duas, temos a taxa de corretagem total, que a meu ver, não deve passar de 2%, pois senão será muito difícil uma movimentação que garanta o seu lucro, após as corretagens.

Também há várias corretoras que usam valor fixo pra corretagem, com valores que podem variar entre 5 a 100 reais (na compra e venda) dependendo do tamanho do cliente.
Eu uso a corretora SOCOPA (Sociedade Corretora Paulista), pois consegui uma ótima corretagem de 0,15%, devido a ter feito um curso com um de seus parceiros, mas seus planos normais são de corretagens por valor fixo. Outra corretora interessante é a Win Trade, que tem um serviço bem moderno e prático, um Home Broker maneiro, e tem até um podcast semanal com análise dos principais papéis da Bovespa. Taxa de corretagem: 5 R$ por movimentação.
O site Infomoney, principal fonte de notícias para investidores do Brasil, fez um guia com um grande número de corretoras, que podem ser acessados clicando aqui.

Depois de escolhida a sua corretora, será necessário que sejam assinados e certificados vários contratos e documentos, que serão enviados às corretoras, por exigências da CVM, órgão do Banco Central que fiscaliza todas as movimentações na Bovespa. Da mesma forma, também é exigido, que após abrir uma conta nessa corretora, cadastre outra conta corrente sua, e a única forma de investimento será transferência bancária dessas duas contas vinculadas ao seu CPF ou CNPJ.

Esse dinheiro costuma demorar alguns dias úteis (normalmente 3) para estar disponível, só assim então você poderá comprar e vender ações. Por isso é importante preparar tudo, fechar com a corretora, fazer um depósito inicial, para não perder as oportunidades quando quiser começar a operar. Mas isso, já é outro passo, que mostrarei semana que vem.

Como sempre, qualquer observação, dúvida, ou sugestão, podem ser colocadas nos comentários que responderei quando possível.

[O Mapa] Investindo na Bolsa de Valores – O que são as ações?.

Categoria(s): O Mapa