Facebook do Piratacast Twitter da Equipe Piratacast TV do Bau Piratacast, Diário de Bordo e Papo Pirata Feed do Site Feed do Podcast Assine no Itunes Entre em Contato

Antes de iniciar “O Mapa” dessa semana, vou explicar uma classificação da Economia que é usada em todos os estudos no ramo: Microeconomia e Macroeconomia. Como essa coluna não pretende dar um curso no ramo, e sim mostrar algumas curiosidades, vou simplificar os conceitos.

“Micro” é a parte que estuda o comportamento individual dos consumidores e produtores, assim explicando questões como preço, custos e etc..

“Macro” é a parte que estuda as grandes questões econômicas de uma nação, como inflação, balança de pagamentos, controle de produção e emprego, crescimento e desenvolvimento, etc..

Com o tempo e ambientação, esses dois conceitos ficam tão simples e evidentes como o ovo e a galinha. E tão controverso quanto, quando se discute qual influencia qual.

O que falaremos hoje é um dos primeiros e mais interessantes estudos da Microeconomia, que faz parte da Teoria do Consumidor, sub-parte que estuda o comportamento das pessoas em relação ao seu consumo de produtos.

São as chamadas “Curvas de Indiferença”.

Para questões de comparação, separamos o consumo de um indivíduo em dois casos análogos, que podem ser, por exemplo, num bar, comprar uma cerveja ou um refrigerante, caso aplicável à qualquer um de nós.

Mas, para ficar mais fácil a visualização, vamos utilizar um exemplo extremo.

Um nerd consumista.

Como qualquer ser humano, ele precisa se alimentar,  sobreviver. Caso não tenha alguém que lhe sustente, para isso, irá gastar grande parte de sua renda.

Por outro lado, como nerd que é, tem necessidade vital daquelas bugigangas eletrônicas, e acaba apertando o orçamento pra ter aquele celular de última geração que consegue acessar internet wi-fi pra atualizar o twitter não é mesmo? Hehehe.

Assim, podemos simplificar os gastos da vida do nerd entre, gastar sua renda com alimentação, ou gastar com bugigangas eletrônicas.

Dessa forma, para analisar um, ou um grupo de produtos, temos que comparar com o uso de outro, e consideramos que toda a renda será gasta com esses dois. Para isso, os chamamos de cestas de produtos (sim, é uma alusão de quando o comércio era feito nas feiras).

Então, essa troca que temos que fazer na escolha entre a cesta A e a cesta B é o que chamamos de “Curva de Indiferença”. E você já deve ter percebido que essa relação não é direta.

À medida que vamos escolhendo entre gastar tudo entre uma cesta e outra, há a resistência de abdicar de um produto por outro (isso é chamado de Taxa Marginal de Substituição – TMS). No nosso caso, para cada economia que o Nerd faz em seus gastos com alimentação, ele sabe que terá mais dinheiro pra comprar as bugigangas. E vice-versa.

Então, para visualizarmos melhor, vamos montar um gráfico com as duas cestas de produtos, uma em cada lado. O que melhor representa as preferências do consumidor é uma curva côncava, que não toca nenhum dos limites.

Observe a figura, que eu explico como ela funciona:

Ela se chama Curva de Indiferença, justamente pois esses são os valores em que é indiferente para o individuo ter um ou outro produto, ou seja, atingem o mesmo grau de utilidade.

Voltando para o nosso exemplo do nerd.

Em alguns meses, ele não está com a ganância de gastar com nenhum produto novo, então gasta grande parte com a sua alimentação, MAS ainda tem alguns poucos gastos “nérdicos”, como por exemplo, pagar a sua internet banda larga.

Em outro mês, ele já sente a abstinência (conhecida não cientificamente, como coceira no toba) e gasta grande parte de sua grana comprando um novo gadget, e tem que se apertar com os gastos de sua alimentação, que ficará mais regrada durante algum tempo.

Além disso, como já comentamos, ele não pode optar por ter apenas um desses dois produtos (não pode ficar sem se alimentar, e nem sem nenhum gadget). Por isso, a curva não toca os limites dos gráficos, pois significaria que ele gastou toda a sua renda em um único produto.

Em qualquer ponto dessa curva, nosso nerd se mantém vivo, alimentado, e on-line!! Em outras palavras, é indiferente, no patamar de consumo desse indivíduo, a escolha de consumo desses dois produtos nos diferentes pontos dessa curva de indiferença.

Mas você pode estar pensando “Peraí, mais isso depende do tanto que esse nerd ganha, $$$”.

Exato! E é isso que discutiremos semana que vem, onde vocês verão que existem várias curvas de indiferença, e introduziremos mais um conceito crucial, o grande vilão, o Darth Vader do consumo: A “Restrição Orçamentária”.

Não percam.

PS.: Qualquer esclarecimento, peçam nos comentários! See ya!!

Categoria(s): O Mapa

13 marujos comentaram até agora...

  1. .
    .
    PQP, Iskilo…
    .
    Fodástica a coluna… Maneira a explicação e de forma bem simples… 3 novos conceitos (macroeconomia, microeconomia e curva de indiferença) aprendidos.. Valeu!
    .
    .

  2. Digodk disse:

    Opa, muito boa a 'aula', Iskilo, o conceito de curva de nível é um pouco complicado, mas acho que entendi.
    Duvidas:
    A curva de nível vai ter sempre essa forma ou ela pode tender a um lado ou outro?
    É possível calcular ou observar a TMS a partir do gráfico?
    Gostei dessa coluna, acho que aprenderei muito por aqui, hehe.
    Um abraço!

  3. lady disse:

    Mto bom!
    Escrita clara!
    Parabens!

  4. iskilo666 disse:

    Seguinte Digo, a TMS pode sim ser observada pelo gráfico, e até calculada se tiver valores no gráfico, pois é a razão da variação de um bem pelo outro. Delta (variação) de um produto sobre o outro VA/VB. A inclinação da curva também é a reprensentação da TMS, quanto maior, mais inclinada.

  5. Digodk disse:

    iskilo, então seria a derivada? hehe
    Ok, entendido o assunto.

  6. Carolina disse:

    Adorei a explicação. Gostaria de saber como se elabora uma curva de indiferença.

  7. João Paulo disse:

    Iskilo, parabéns! Sou formado em Comércio Exterior pelo CEFET/RN e estou revisando a matéria para uma prova de seleção de mestrado que farei esta semana. Estava fazendo um garimpo aqui e achei sua coluna. Além da sua iniciativa fantástica de esclarecer o conteúdo da Economia, parabenizo também pela linguagem acessível que facilita o entendimento de todos, como a galera mesmo já afirmou. Excelente e estou salvando aqui sua coluna em meus favoritos. Abraço e tudo de bom aí.
    Valeu!!

  8. andrea disse:

    cara muito bommmm!!!! vc é professor? foi a unica forma de explicação que entrendi e olhe que já olhei varios livros, video you tube…. . parabens pela simplicidade e clareza!!!

  9. Jéssica disse:

    Parabéns! Post com uma linguagem super simples que ajudou muito no entendimento. Também adorei o exemplo do nerd (rs). Continue assim!

  10. josaine valuá disse:

    porque duas curvas de indiferença, não podem interceptar-se e o que acontece com o sistema de preferências do consumidor caso haja uma intercepção das curvas?

  11. Yan disse:

    Ótimo texto cara, só uma correção as curvas de indiferenças geralmente são convexas, curvas côncavas não para cestas especializadas. obrigado.

  12. Rafaela disse:

    Adorei,tá ajudando muito entender economia,pois estava com bastante dúvida nesse assunto devido a forma complexa de explicação que os livros trazem.
    muito obrigado!!

  13. Dovina disse:

    Qual e o mapa da curva de indiferença??


    .
    @jabour_rio, @iskilo666, @junior_cq,
    @cleverson, @piratacast, @baupirata